26 de julho de 2011

Vamos semear ?


"Um homem trabalhava em uma fábrica distante cinqüenta minutos de ônibus da sua casa. 
No ponto seguinte entrava uma senhora idosa que sempre se sentava junto à janela. 
Ela abria a bolsa, tirava um pacotinho e passava a viagem toda jogando alguma coisa para fora. 
A cena sempre se repetia e um dia, curioso, o homem lhe perguntou o que jogava pela janela. 
- Jogo sementes, respondeu ela. 
- Sementes? Sementes de que? 
De flores. É que eu olho para fora e a estrada é tão vazia.
Gostaria de poder viajar vendo flores coloridas por todo o caminho. Imagine como seria bom! 
· Mas as sementes caem no asfalto, são esmagadas pelos pneus dos carros, devoradas pelos passarinhos... 
A senhora acha mesmo que estas sementes vão germinar na beira da estrada? 
- Acho meu filho. Mesmo que muitas se percam, algumas acabam caindo na terra e com o tempo vão brotar. 
-Mesmo assim, demoram a crescer, precisam de água.
Ah, eu faço a minha parte. Sempre há dias de chuva. E se alguém jogar as sementes, as flores nascerão. 
Dizendo isso, virou-se para a janela aberta e recomeçou seu trabalho. 
O homem desceu logo adiante, achando que a senhora já estava senil. 
Algum tempo depois, no mesmo ônibus, o homem ao olhar para fora percebeu flores na beira da estrada, muitas flores, a paisagem colorida, perfumada e linda!
Lembrou-se então daquela senhora e a procurou em vão. Perguntou ao cobrador, que conhecia todos os usuários no percurso, pela velhinha das sementes?

- Pois é, Morreu há quase um mês. Respondeu o cobrador.
O homem voltou para o seu lugar e continuou olhando a paisagem florida pela janela. 
"Quem diria, as flores brotaram mesmo", pensou! 
"Mas de que adiantou o trabalho dela? Morreu e não pode ver esta beleza toda". 
Nesse instante, ouviu risos de criança. No banco à frente, uma garotinha apontava pela janela, entusiasmada: 
- Olha, que lindo! Quantas flores pela estrada!
Então, entendeu o que aquela senhora havia feito, mesmo não estando ali para ver, ela fez a sua parte para a contemplação e a felicidade de outras pessoas. 
No dia seguinte, o homem entrou no ônibus, sentou-se junto à janela e tirou um pacotinho de sementes do bolso.” 
John Deere

Vamos lançar sementes de flores do ônibus, do  carro
Nas ruas, nas estradas
Vamos lançar sementes de otimismo, de amizade, de amor, de paz
Semear pensamentos, palavras, gestos, em casa
No trabalho, entre os nossos amigos
Em nossa mente e em nossos corações

Nenhum comentário:

Postar um comentário