4 de agosto de 2011

Direto do túnel do tempo


Os ioiôs da Coca-Cola;

Papeis de carta;

Pular elástico;

Ploc, Bala Soft (que engasgava e matava segundo nossas mães);

Dip Lik, Mini-Chiclets
E o pirulito que vinha com hélice pra girar e voar;

Curso de datilografia;

Provas com cheiro de álcool, recém copiadas no mimeógrafo;

Ovada no dia do aniversário;

Enduro e River Raid no Atari;

"Estátua", "Batata-quente", "Queimada", "Pega-pega"
"Pique-esconde", "Cabra-cega", "Passa Anel"
"Boca de Forno", Amarelinha"
"Stop"; "Fura pé", Garrafão", "Mamãe posso ir";

Melissinha, Bota sete léguas
Catina, Conga, Kichute
E o Tênis Montreal que era o único anti-micróbio;

Estojos automático, com vários botões e breguetes;

Caneta de 10 cores com cheiro;

Os livros da Série Vaga Lume;

Enciclopédia Barsa;

A régua que ao bater no braço se enroscava como uma pulseira
A Bate-Enrola;

Brincos que vinham em uma cartela e se colava na orelha;

Polainas;

Patins de prender nos tênis;

Mini garrafas de refrigerantes
Que as mães diziam que tinha veneno dentro
Para que a gente não bebesse.

Recordações impagáveis!

2 comentários:

  1. Ao ler seu texto bateu uma saudadezinha da infância. Ei ainda tenho um ioio da fanta que eu adoro! Beijos *.*

    Crys Leite

    crysleite.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho tanto "breguete": brinquedo, boletins da Escola, crachá de gincana,...tantas embalagens lendárias de chocolates e guardanapos de lanchonetes em minhas agendas...

    Dá saudade mesmo.

    ResponderExcluir