10 de agosto de 2011

Para Paulo Pai

Lembra quando eu te fazia bilhete de Dia dos Pais pelos(as) filhos(as) que viriam?

E da sua cara de pânico no dia que entramos no corredor para sala cirúrgica?

A primeira vez que vc viu ele, que pegou, que ninou, que ele sorriu pra vc, que te chamou de Pai, que escreveu Pai eu te amo, que disse Pai eu te amo, as tantas vezes que ele já disse isso, com essas palavras e com tantas outras, tantos gestos, olhares.

Andar de carro para que ele dormisse, cantar "como vai você", "amor i love you", pilotar o "carrão do sonão", milingue, siiiilvia, izis megazord, a abóbora, 1.450 pontos, mistura de personagens em mega histórias mirabolantes.
Quem está lendo deve estar se perguntando que língua é essa?

A reposta perfeita seria: a linguagem de nossas lembranças, a linguagem do amor de Deus personificado em forma de uma criança.

Paulo pai de Paulinho, uma criaturinha engraçada inteligente, doce, única. Um pai dedicado, apaixonado, responsável, amigo.

"Futebol sem bola, Piu-piu sem Frajola"
Café sem maizena.
É assim ele sem você.


Nós três!
É eterna essa história!

2 comentários:

  1. AI QUE LINDO AMIGA!!!!
    Tenho orgulho de conhecer Paulinho, filho de Paulo pai,que com certeza é um excelente pai junto com a mais tinoca!
    Paulinho é um menino lindo de ouro!
    amo vcs

    ResponderExcluir
  2. Ai que linda vc amiga.

    Tb te lovi.

    ResponderExcluir