5 de agosto de 2011

Sobre mares, barcos e nós

Ouvi hoje a seguinte reflexão:
"Viver é como estar em alto mar, as vezes tudo vai bem, as vezes há tormentas, outras ficamos a deriva e o objetivo é encontar um porto seguro".

Lembro de ter visto um filme em que o cara sonhava em ter um barco e incentivado a de fato ter um ele disse curtia sonhar em ter, mas não queria ter, pois acarretava responsabilidades que ele não tinha no sonho.

Ele se alimentava da idéia, da inspiração, sem os custos e demandas e isso lhe trazia prazer, talvez passase para fase do ter e ai mudasse seu prazer do sonho pelo prazer de ter, só que ai precisaria escolher outro sonho. Como na animação moderna do clássico infantil Rapunzel, onde ela sonha em ver de perto as luzes que via da torre e momentos antes de presenciar o espetáculo, bate um vazio estranho e o principe lhe sugere curtir o momento e já ir pensando em um novo sonho.

Voltando ao mar e a nossa navegação diária, que tenhamos ânimo, superemos os momentos de maresia, aproveitemos o bom da viagem, tenhamos bons marujos e fé no que virá.

Vale voltar para os filmes e ter a criatividade de "Piratas do Caribe", onde há além mar, barcos que surgem das profundezas, tartarugas que levam a terra firme, tesouros e mistérios.

Já ouviram falar ou leram "O conto da ilha desconhecida", de José Saramago ?

É uma pequena história (segue link) na qual, autor descreve metaforicamente através de um barco e uma ilha, o mundo, descrevendo também aspectos do ser humano, suas ambições e frustrações.

Link para "O conto da ilha desconhecida":
http://www.releituras.com/jsaramago_conto.asp

“Sim, às vezes naufraga-se pelo caminho, mas, se tal me viesse a acontecer, deverias escrever nos anais do porto que o ponto a que cheguei foi esse...chegar sempre se chega...” (p.27)

"A busca de uma ilha que não consta em nenhum mapa, tem por trás de seu relato o retrato do ser humano, suas condições, pensamentos e buscas".

“O homem do barco procurou ajuda de marinheiros, mas ninguém quis ajudá-lo, porque sair de suas vidas tranqüilas e se meter à procura do “impossível”, enfrentar o mar tenebroso, é tarefa difícil, é necessária muita coragem e obstinação para ser um aventureiro que desbrava novas terras. Mas ele conta com a ajuda de uma mulher (a mulher da limpeza), que resolve sair do palácio pela porta das decisões e passa a acompanhá-lo nesta busca.

É apresentado no texto um processo de recomeço e de renovação, no qual aparece o sonho não como um sonho qualquer, mas nos mostrando que é preciso navegar para além do real, resistindo às adversidades para que nos tornemos aptos para obter a concretização deste sonho e possamos ancorar em porto seguro.

Sabiam eles, agora, que um completaria o outro, que a compreensão das verdades mais profundas, escondidas na alma (como uma ilha) seria possível.

Tanto assim é, que eles nomearam o barco que o rei havia lhes dado de “Ilha Desconhecida”, e esta se lançou enfim ao mar, a procura de si mesma, mostrando que ainda havia muitas descobertas a serem feitas.”

5 comentários:

  1. Tina, vc sempre tão inspiradora... esse post me fez muito bem ;) Gostei muito de suas palavras!!

    Beijos no seu coração e um maravilhoso final de semana para vc!!

    nandapezzi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Tina,

    Obrigada por sua visita no "Preciosidades", quando quiser, volta para uma visitinha, será muito bem vinda!!Ih!!Somos conterrâneas...kkk
    Adorei o texto. Vou ver depois o conto do Saramago, ainda não li!
    Bjão e um excelente final de semana.
    Débora
    http://kimimoartbook.blogspot.com
    http://parlor-parlor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Tina, amei!
    E amei a recomendação do Projeto Releituras... Muito legal! E não conhecia. Já está em meus Favoritos :-)

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto!!
    Otimo fim de semana...
    Fabiola.
    http://blogencontrandoideias.blogspot.com/

    ResponderExcluir