16 de novembro de 2011

Meu filho meu tesouro

Acompanho comportamentos e desempenhos lastimáveis de crianças tão pequenas e tão desinteressadas, mau acompanhadas, que não tem respeito, educação, conteúdo.

Meu filho antes da alfabetização já sabia todo o alfabeto, as cores, noções de perto, longe, metade, inteiro e muitas outras coisas que digo com orgulho que foi eu que ensinei para ele. Sempre acompanhei de perto o que a escola ensinava e recheava e cobria tudo com mais literatura, poesia, cores, conhecimento, valores.

Assim como eu  ensinei, o pai, os programas de tv que colocávamos para ele ver, livros que ele sempre teve, as pessoas com as quais ele convivia e a condução que dávamos ao que elas diziam ou transmitiam de valores para ele.
As lições diárias com relação aos brinquedos, gestos, sentimentos, a educação.

Obrigado!
Por favor!
Com licença!
Não bater, não cuspir, não morder.
Não falar palavrão.
Respeitar os mais velhos.
Respeitar e cuidar do meio ambiente.
Ser amigo, humilde, honesto.
Falar baixo, não ser egoísta, não mentir.

Nas tarefas da escola cobrávamos com amor e explicações práticas  a limpeza, dedicação, empenho. Capricho na letra, nas respostas, no entendimento, no buscar mais e saber mais para ser e fazer sempre mais e melhor, não para tirar nota, não para a pró, para mim ou para o pai, mas para ele, para a vida.

Tenho orgulho de meu filho, da educação, inteligência e doçura dele, um tesouro sem valor.

12 comentários:

  1. Precisamos dar exemplos bons e ensinar educação e boas maneiras.Isso faz bem sempre!E abre portas...beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Querida Tina,
    Nós aqui em casa, sempre tivemos como prioridade a educação dos nossos filhos.
    Dar educação dá trabalho e custa tempo, mas é só o que vale a pena.
    Colhemos o que plantamos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Que alegria ler esse texto! Educar eh uma arte, uma tarefa diaria de amor e controle! Parabens!
    Um bj doce
    Roberta

    ResponderExcluir
  4. Tina, sou tua fã viu!
    Educar é amor e perseverança.
    Meus filhos reclamam que nós falamos sempre a mesma coisa, ué! Se não for assim...
    Fiz um post onde abordava levemente essa questão.
    Sempre falo que o mundo está doente por culpa dos pais, que vão transmitindo suas mazelas, suas falhas, perpetuando o egoísmo, falta de respeito, falta de educação, etc etc etc
    triste, lamentável
    Nossa, quase um post no teu post kkkk
    Parabéns Tina, para você, marido e filho!

    bjs

    ResponderExcluir
  5. que exemplo, Tina, você tem que se orgulhar mesmo!

    Sem esse respeito, educação, conteúdo que a gente quase não vê por aí, o que vai ser da humanidade? Às vezes me pego pensando nisso...

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Pois é meninas, fico observando e imaginando que adolescentes, cidadãos, amigos, namorados, profissionais, chefes de família serão essas crianças sem educação, sem limites, amor ao próximo, sem respeito, sem cultura.

    Repetir, repetir e repetir sempre o certo e o errado claramente, com doçura e exigência do cumprimento. Lembrei com isso de falar sempre a mesma coisa de uma história de um velho que ficava sentado numa praça falando para as pessoas serem educadas, amigas, solidárias, ele falava e ninguém o ouvia, fazia isso todos os dias e por vários dias um jovem o observou e lhe perguntou certa vez:
    - Pq o senhor continua falando se ninguém te escuta, não está convencendo ninguém.
    O bom velinho respondeu:
    - Se eu parar serão eles que terão me convencido.

    Contei essa história para meu filho, como tantas outras e muitos ditados, histórias de minha infância, histórias de erros e suas consequências, histórias sobre as histórias, enfim.

    Obrigada pelos comentários, elogios, carinho.

    ResponderExcluir
  7. Vou repassar a história do senhor na praça para os meus filhos, reforçando o porquê, de nós falarmos sempre a mesma coisa.

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Quantos excelentes motivos para sentir orgulho do teu maior tesouro!
    E dá trabalho educar... por isso muitos delegam ou simplesmente renegam.
    Uma boa reflexão seu post. Beijo

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Tina por este tesouro.
    Também procuramos aqui incentivar, motivar e complementar, além da escola.
    Acho importantíssimo o convívio família escola, essa interação faz realmente a diferença.
    Bjão e um cheirinho no seu príncipe.

    ResponderExcluir
  10. Que fofa você Tina!
    Parabéns! Não é fácil criar um filho e com uma particiação ativa é mais difícil ainda encontrar... Hoje tem muitos pais que acham que a escola tem que ensinar e educar, quando esse último papel pertence aos pais...
    Gostei da sua postura!!!!
    Beijokas, Taís

    Glamour e Glacê

    http://www.glamoureglace.com

    ResponderExcluir
  11. Postado em um blog amigo:
    http://cadaquacomseupiqua.blogspot.com/2011/11/pedro-bial.html

    "Tudo o que hoje preciso realmente saber, sobre como viver, o que fazer e como ser, eu aprendi no jardim de infância. Estas são as coisas que aprendi lá:

    Compartilhe tudo.
    Jogue dentro das regras.
    Não bata nos outros.
    Coloque as coisas de volta onde pegou.
    Arrume sua bagunça.
    Não pegue as coisas dos outros.
    Peça desculpas quando machucar alguém.
    Lave as mãos antes de comer e agradeça a Deus antes de deitar.
    Dê descarga. (Essa regrinha é importante!
    Biscoitos quentinhos e leite fazem bem para você.
    Respeite o outro.
    Leve uma vida equilibrada: aprenda um pouco, pense um pouco... desenhe...
    Tire uma soneca à tarde. (Isso é muito bom!)
    Quando sair cuidado com os carros.
    Dê a mão e fique junto.
    Repare nas maravilhas da vida.
    O peixinho dourado, o hamster, o camundongo branco e até mesmo a sementinha co copinho plástico, todos morrem... nós também.

    Pense como o mundo seria melhor se todos nós, no mundo todo, tivéssemos biscoitos e leite todos os dias por volta das três da tarde e pudéssemos nos deitar com um cobertorzinho para uma soneca. Ao sair para o mundo é sempre melhor darmos as mãos e ficarmos juntos."

    Pedro Bial

    ResponderExcluir