8 de dezembro de 2011

Histórias de Natal

A partir de post´s de um Blog amigo, sobre os símbolos do Natal,
pesquisas, saberes e gostares segue coletânea natalina.

O presépio ajuda-nos a refletir sobre o nascimento do menino Deus e nele está todo o sentido do Natal.  Foi São Francisco de Assis quem idealizou a representação do nascimento de Jesus com figuras, após 1223, quando festejou a véspera de Natal na floresta de Greccio, na companhia da população de Assis. 

A tradição do presépio, na forma como é representado nos dias de hoje, teve início no século XVI. As primeiras imagens apareceram no interior de igrejas, em mosaicos. No século XVIII a cena do nascimento de Jesus já fazia parte das tradições natalinas em Nápoles e na Península Ibérica.

Conta a lenda, que três moças não podiam casar, porque na época era indispensável um dote, e elas não dispunham de um, para tal. São Nicolau, (santo que inspirou o personagem de Papai Noel), comovido com a situação, resolve jogar três sacos de moedas pela chaminé da casa das moças. Os sacos caíram dentro das meias que estavam secando na lareira.

O Natal é a festa da luz e elas simbolizam a fé, o amor e a vida. Por isso muitos pisca-piscas, lâmpadas, velas e brilho por toda parte.

A árvore natalina reúne dois símbolos religiosos: a luz e a vida. A árvore é símbolo da vida, quando iluminada, a árvore lembra que Cristo é a luz do mundo.

As bolas coloridas significam o fruto da “arvore da vida”, que é Jesus e representam os dons que o nascimento Dele nos trouxe.

Trocar presentes no Natal relembra o presente máximo que recebemos de Deus, seu Filho, que nos foi dado como irmão. E dar presentes feitos por nós, embrulhados com carinho, com bilhetinhos, são maneiras de demonstrar nosso amor.

Os cartões de Natal têm a sua origem na necessidade que o ser humano tem de comunicar-se e compartilhar sua vida com as pessoas que ama. Independentemente da sofisticação ou simplicidade, os cartões são símbolos do que diz o evangelho: Cristo é o Verbo, a Palavra criadora, unificadora e salvadora de Deus.

A Ceia, a refeição do Natal é o símbolo do banquete eterno. É o momento em que a família se reúne para compartilhar afeto, respeito, tradições, desejos e perpetuar suas histórias.

Essas foram as histórias de Natal que reuni com carinho e o desejo de que valorizemos cada símbolo, cada reflexão, cada momento desse final de ano, de forma a nos fortalecermos para iniciar um novo ano com o coração cheio de valores, amor, fé e positividade.

6 comentários:

  1. Pois é, tbm é cultura e nós aprendemos muito aqui com essa pessoa iluminada! *-*
    Mais um ótimo post querida!


    Beijo'o

    ResponderExcluir
  2. Nota dez para a sua pesquisa.
    Parabéns!
    Bjo e upa forte.
    ;)

    ResponderExcluir
  3. É importante resgatar o verdadeiro significado do Natal. Bjos

    ResponderExcluir
  4. Gostei de saber, tão bom o Natal né?! Desde já te desejo um Natal iluminado, beijão!

    ResponderExcluir