22 de fevereiro de 2012

Tietagem

A Escola de samba campeã de SP foi a Mocidade Alegre que homenageou Jorge Amado.  Salve Jorge!

Fiquei feliz e muito orgulhosa pelo número de escolas de samba de SP e do Rio que exaltaram o nordeste. Por aqui por terras baianas, tenho com pesar que pontuar que as grandes artistas, exceto Daniela Mercury deixaram sumariamente de lado o tema do nosso carnaval. Tema de orgulho e riqueza, que fez a Mocidade ganhar o carnaval lá em terras paulistanas.

Um universo de personagens, temas, contos e encantos que Jorge Amado deixou que tanto nos divulgou e enalteceu foi deixado de lado pelas musas que escolheram temas pessoais e particulares, que por sinal não tiveram nenhuma leitura popular, amarrados, estampas, criações artísticas de luxo que não disseram nada sem as devidas explicações e algumas fantasias nem com explicação deu para entender o que queriam dizer.

Acho que na Bahia toda artista, toda menina baiana como diz a canção, devia em um dos dias de folia, quem sabe até um mesmo dia combinado em comum, se vestir de baiana. Baianas clássicas ou estilizadas, sensuais, temáticas em cores, tecidos e adereços, mas baianas.

Acho também que o tema do governo do estado, divulgado e combinado com antecedência devia ser abraçado, sem politicagem, em prol da cultura popular, da preservação da identidade local e imagem para fora. É necessária uma sintonia, união, organização em detrimento das modas e projetos pessoais.

As músicas que falam de Tieta e outras que falam de outros personagens deviam ter sido "tietadas" em todos os trios. O governo da Bahia, emissoras de rádio e tv lançaram jingles muitos legais que podiam ter sido tocados, mas a divulgação pessoal e o modismo deixaram a homenagem de lado. Salve Xanddy do Harmonia do samba que se vestiu e vestiu a banda com a caricatura de Jorge. Salve o Chiclete que tocou Tieta e Wando de quebra. Salve Daniela Mercury que homenageou Jorge Amado e homenageou também o grande nordestino, compositor, cantor, sanfoneiro e poeta Gonzagão.

Em tempo, editei o post para saldar o resultado da Escola campeã do Rio de Janeiro, a Unidos da Tijuca, que homenageou Luiz Gonzaga. Salve Luiz!

Por aqui cabia ainda o samba enredo da escola que homenageou Jorge e qualquer folião do mais pobre ao mais chique, do local ao vindo do exterior reconheceria e aplaudiria uma simples ou glamourosa Tieta, Dona Flor ou Gabriela, uma camisa de flores, bermudão e chinelo, qualquer imagem, personagem, uma frase, que dissessem com orgulho: Somos filhos de Jorge.

17 comentários:

  1. Olá Tina...voltei! Como está nesta quarta-feira?
    Já li suas postagens carnavalescas...e vou te falar que um dos primeiros livros que li foi de Jorge Amado..."Mar Morto"!
    Os livros dele fazem a gente sentir até o calor do nordeste de tão detalhista e encantador!
    Quero te desejar uma ótima quarta-feira e super semana!
    Bjs com cheiro de mato!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  2. Tina eu amei a homenagem, assisti somente os melhores momentos mas realmente a escola saiu lindissima. O nordeste mereçe todos elogios, nossa o terra boa. Adoroooooo Dani

    ResponderExcluir
  3. Tina, o meu comentário sobre esta postagem vai ser nada mais, nada menos, que uma grande salva de palmas pela sua inspiração ao escrevê-lo. Até Jesus citou nos Evangelhos que ninguém tem valor em sua terra natal. Infelizmente...
    Grande abraço.
    Manoel.

    ResponderExcluir
  4. Coincidentemente, hoje na coluna do Artur Xexéo (O Globo – RJ) ele comentou que em todos os carnavais de sua vida, aqui no Rio, ele nunca viu tantas alas de cangaceiros e que muitos enredos fizeram referencia ao Nordeste. Ainda bem!
    Boa semana,
    Maria Célia

    ResponderExcluir
  5. Não sou fã de escolas de samba e não assisto aos desfiles,mas acho importante essa valorização a cultura nordestina.
    Já de Jorge Amado, sou super fã!
    Bjoks

    ResponderExcluir
  6. Em tempos, Jorge Amado foi um dos meus autores amados. Exibo até hoje a obra que tenho dele, e da qual li tudo praticamente o que possuo. Reli alguns livros mais tarde e guardo no coração a essência da força e da sensualidade brasileira através da sua mensagem. Grande homem e grande homenagem ele merece. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merecia mais, mas haverão mtas homenagens esse ano, com ctz, por aqui e pelo mundo.

      Excluir
  7. Olá Tina, não assisti o desfile das escolas de samba mas gosto.... obriga pela visita.
    Beijos
    Glorinha

    ResponderExcluir
  8. Linda sua postagem,mas que merecido o titulo.Estou te seguindo.bjkas
    http://www.chocolatecommenta.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá Tina,
    Saudades!
    Desde jovem fui fã do Jorge Amado. Depois Zelia Gattai começou a publicar e fiquei super fã dela também.
    Acredito que neste ano do centenário de Jorge outras homenagens serão prestadas ao nosso grande escritor.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Belas palavras!!! Concordo!

    Ah! Só fazendo um adendo... rsrsrsrsrs!!! O EVA também tocou tieta, Wando e etc. e o figurino da banda e de Saulo foi em homenagem as nossas raízes africanas e por que não dizer... raízes totalmente baianas.

    beijos no coração

    Erika Moutinho Leone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi (ouvi) nas mtas transmissões que assisti e qd vi eles passarem na Barra, faaalha da mídia e minha reverência.

      Valeu o figurino afro, valeu mesmo ter cantado tieta, podia ter ticado tb o sambo enredo da Mocidade, a de Gal de Gabriela...Enfim!
      Circulou!

      Beijos e vlw o adendo ;]

      Excluir
  11. O que acho bacana em Saulo é a tentativa de nos relembrar as nossas raízes. Independente da cor externa que temos, nós todos somos filhos da África. E isso também ter a ver com o resgate dos antigos carnavais. Desde o carnaval passado, ele baixou as cordas para o povão de um bloco que sempre foi considerado elitista - o EVA. Trouxe artistas que fizeram sucesso no passado como Zé Honório e Buk Jones e tem o desejo de revitalizar o encontro de trios na Praça Castro Alves. Este ano foi lindo! Ele conseguiu reunir Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Luiz Caldas. E o público ainda agitava "mamãe-sacode". Álguém lembra disso?

    Erika Moutinho Leone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi muiiito legal mesmo!

      Algumas das batas de Saulo esse ano lembraram as velhas e carnavalescas mortalhas. Se não me engano vi algumas mamães sacode no encontro dos trios. Muito legal ver antigamente o bloco todo com as mamães sacodes sacudindo no ar, aquele tapete colorido.
      Fica a dica pro EVA resgatar as mamães sacodes, cada dia uma cor.

      Valeu pelos comentários querida, muito significativos.

      Votei na música do Eva, com certeza foi a melhor, minha segunda eleita foi a de Magary com a filha.

      Circulou,circulou,circulou \o/

      Excluir
  12. Vc é muito sensível quanto a essas sutilides que parecem ser apenas palco de faz-de-conta e que efetivamente os atuais governantes não se importam. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Dri, acredito que somos feitos dos detalhes e das sutilezas, dos pontos que se ligam, do que é invisível aos olhos, uma pena governos, mídias, maiorias, nãos enxergarem assim.

      Sempre bom vc por aqui ;]

      Excluir