25 de agosto de 2012

"Não gosto quando se referem a baianidade com o estereótipo da preguiça...A Bahia é graça, prazer, leveza, mas ela é também luta. O Brasil ficou independente com um grito em 1822. A Bahia teve que lutar, morrer e vencer para expulsar de vez os portugueses em 2 de julho de 1823.
Castro Alves, o maior poeta brasileiro, morreu aos 24 anos, deixando uma obra imensa. Ou seja, trabalhou muito para deixar tanto em um tempo tão curto de sua existência.
Todos os anos o povo da Bahia anda 12 quilômetros com potes de água na cabeça para lavar as escadarias de nosso pai, Oxalá.
No Carnaval baiano, enquanto milhões se divertem, milhares trabalham dia e noite cantando, tocando, vendendo, para que o nosso povo e gente de todo o mundo possam se divertir.
Baianidade é enfrentar a dura vida de uma maneira que ela pareça menos dura e mais vida.
E para que exerçamos a plena baianidade, é preciso que entendamos plenamente do que é que somos orgulhosos.
Sou orgulhoso da Bahia mãe de Menininha, Cleusa, Carmem, Stella, do grande Obarain e de Padre Sadock, Padre Luna e Irmã Dulce...
Sou orgulhoso de Gil, Caetano, Bethânia, Gal, de Jorge, meu amigo amado.
Sou orgulhoso de Carybé, Verger, Lícia Fábio, que não nasceram na Bahia, mas a Bahia nasceu deles.
Sou, enfim, orgulhoso dos filhos da Bahia. E por isso sou tão orgulhoso do Brasil.
O Brasil é o maior filho da Bahia. Ele nasceu lá no dia 22 de Abril de 1500 e é por isso que os brasileiros ficam tão felizes quando vão à Bahia. Porque eles estão, na realidade, visitando os parentes, revendo suas raízes.
Baianidade é enfim o DNA do Brasil, é o genoma do país.Quando o Brasil vai à Bahia, ele volta para casa." (Trechos de um texto de Nizan Guanaes)

8 comentários:

  1. Ter orgulho da Bahia, realmente! Lindo texto! Ótimo fds,tudo de bom,beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, lindinha.
    Entendo bem esse momento, no trabalho tenho contato diario com cariocas e paulistas e sempre ouço que não pareço ser baiana por falar rápido, se soubessem como me irrito ouvindo isso, não comentariam. Claro que depois de um pequeno ocorrido diminuiram bastante, vou contar: "ao falar pelo telefone com um desses colegas ele disse: ô baiana eu imagino vcs ai todas trabalhando vestidas de baiana de torso na cabeça, com uns brações gordos, batendo a massa de acarajé... ai já sabe nem deixei ele terminar, fui logo respondendo: que engraçado eu imagino vcs todos de capuz e com uma AR15 na mão defendendo o morro de vcs. Depois disso o nosso contato melhorou muito.
    Bom final de semana!
    Kisses,
    Cris.

    ResponderExcluir
  3. Oi querida!!!
    obrigada pelas dicas de penteado que me deu!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi querida,
    A Bahia é linda, linda, linda!
    É o lugar onde o Brasil nasceu e talvez por isso, os baianos falem com música na voz, como quem embala neném.
    Um lindo final de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. É como vc falou, só um estereótipo, meu pai é da Bahia, mas precisamente do interior, Coqueiros de Paraguaçu. E se tem uma coisa que o povo de lá não é, é preguiçoso
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Um ninho que exala cores, aromas, convivências, musicalidade... A Bahia está em nós.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Salve a Bahia...salve vc passarinha baiana!
    Eu só conheço Porto Seguro, mas um dia queria ir a Salvador, e quem sabe te dar um abraço apertado tbm!
    bjks :)

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo Tina! Salve Tina, baiana nata e querida!!
    Beijos**

    ResponderExcluir