29 de outubro de 2012

Crônicas ambulantes

Esse mundo é mesmo sem porteiras e se agente se dispuser e treinar em alguns instantes não olhar para o relógio, fazer contas, reclamar, a fazer tudo com pressa e automaticamente, pode observar uma pipa presa num fio, um passarinho saltitante ali ao seu lado no meio da rua barulhenta, uma criança, uma folha ou dar atenção ao flanelinha na sinaleira, descobrimos, aprendemos, expandimos nosso olhar, nosso sentir, nosso ser.
Dia desses vindo para casa com meu marido avistamos o flanelinha personagem de uma crônica que publiquei aqui e ao invés de fugir das investidas de limpeza dos vidros do carro, fizemos questão de parar só para dar um agrado a ele, que educado e bem humorado, como sempre, perguntou ao meu marido onde ficava um tal lugar onde tira carteira de identidade e ai disse que havia perdido um dia todo sem sucesso para tirar novos documentos e a atendente, onde ele esteve, perguntou se ele queria um atestado para apresentar no trabalho por ele ter perdido a tarde lá e ele então ficou se perguntando e nos perguntou: "Atestado para dar a quem?"
Seja uma história inventada, uma piada ou um acontecimento verdadeiro, as tiradas dele o tornam diferenciado, um comunicador nato e para mim um inspirador de crônicas. Sem instrução, sem blog, sem livro, um vendedor ambulante que o produto é a limpeza do seu carro e de brinde você leva um sorriso, uma história, uma distração, com direito a reflexões se você se permitir.
Eu ia escrever sobre essa história a alguns dias mas acabei me esquecendo e lembrei a partir da leitura de uma crônica sobre vendedores ambulantes e da descoberta de uma nova palavra. “Tenho licença poética pra usar a palavra Cronicalize, concedida pelo Word. Basta "Adicionar ao dicionário" e ele concede a licença", diz o criador em seu blog.
Crie ou apenas observe as crônicas do dia-a-dia, as estáticas e as ambulantes. Boa semana!

15 comentários:

  1. Li a tua e adorei e fui lá no blog do Hugo/Luis... Adorei!! beijos,linda semana!chica

    ResponderExcluir
  2. Fantástico!
    Admiro muito escritores, como você, que sabem transformar o dia-a-dia em crônicas. Em histórias!
    Minha admiração e meu carinho! ♥

    ResponderExcluir
  3. É o cotidiano que os inspira. É a simplicidade de um gesto ou de um comentário que nos faz refletir sobre o nosso viver. Mas "bunito" de verdade é quando isto se transforma em uma linda crônica para uma semana que está nascendo.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal, Tina!! Adoro crônica!

    Tenha uma linda semana!!
    Beijos!!♥

    ResponderExcluir
  5. Olá Tina!
    Achei seu texto incrível! A realidade é essa... Essas pessoas tem pouco e acabam sendo o pouco que tem aos olhos de quem passa e mal as percebe. Mas por trás disso existem sorrisos, sonhos, objetivos que no mínimo dão numa boa crônica. Imagina o potencial de muitos por aí?

    Meus parabéns.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi Tina,

    Estava a ler seu texto e vinha constantemente lembrando do que havia lido lá no Blog do Luiz Felipe. Fiquei feliz quando vi a interação no final. Essas experiências precisam mesmo ser relatadas, não apenas pela emoção mas pela função social que exercem a quem lê.

    E intrigou-me muito. Quando ele disse

    >>Atestado para dar a quem?<<

    Liberdade que a aprisiona, reflito

    um beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é!
      Intrigante e referência para os dois lados que há em tudo, para as glórias e lacunas existente em cada escolha, seja ela qual for.
      "Viver é isso, equilibrar-se entre escolhas e consequências"
      Bjs e boa semana!

      Excluir
  7. É isso mesmo, Tina! O mundo nos oferece um farto material para "cronicalizar", basta termos olhares atentos que perceberemos muitas coisas.
    Bj e boa semana,
    Lylia

    ResponderExcluir
  8. Tina,
    muito bom seu texto,
    e parabéns ! Acho muito legal quando fatos do nosso cotidiano, se tornam textos brilhantes como este!

    Sempre bom te ler flor!
    Um beijo,
    uma linda semana !
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do seu texto e... adoro cronicas. O dia a dia é uma fonte inesgotável para uma boa crónica.
    Beijos e boa semana
    Lita

    ResponderExcluir
  10. Tina, essa sua postagem é uma receita para voltarmos a viver normalmente. Para, com simplicidade, aproveitarmos o que de melhor a vida nos oferece.
    Um abraço
    Manoel

    ResponderExcluir
  11. Tina,
    Fico encantada com a sua sensibilidade. Lindo texto!!
    Bjs
    Pedro e Amara

    ResponderExcluir
  12. Oi Passarinha!!!
    Passando para te contar que vem aí um meninão!!!
    Meu marido está com a "boca nas orelhas" Pois vem aí um parceiro para jogar bola! rsss
    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \o/
      Tem mais 2 aqui em casa para o time e mais um nascido no sábado que já está com minha irmã lá na casa dela. Felicidade para eles e paciência para nós...rsrs

      Excluir
  13. Agora, sim, concordo plenamente. Temos de ter sensibilidade. Um olá pode resultar em conhecimento, em texto, em crônica, num dia mais feliz. Beijo grande!

    ResponderExcluir