7 de dezembro de 2012

Ganhei essa imagem de Sheilinha
Amiga passarinha
Uma lindeza não acham?
Eu amei!
“Nós nascemos curiosos, nascemos filósofos. E, quando crescemos, todos aprendemos a fazer perguntas. Nisso os adultos têm muito o que aprender com a mente curiosa dos jovens. Os adultos acabam se acostumando com o mundo e ficam acomodados.” Jostein Gaarder disse e eu assino embaixo e essa é minha reflexão e pedido para hoje: não nos acostumemos, nem acomodemos.
Que eu, que nós não nos acostumemos, não deixemos de nos chocar com o que é impróprio, inadequado.
Sejamos questionadores, curiosos, empreendedores e detentores de valores que ninguém, tendências, modinhas ou pressões religiosos, políticas ou sociais nos tome, nos persuada. Façamos perguntas, busquemos respostas, sem pressa, mas com sabedoria.
“Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor.
E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E porque à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.
A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema, a engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos. E se acostuma a não ouvir passarinhos, a não colher frutas do pé, a não ter sequer uma planta.” Trechos de um texto de Marina Colasanti.
Hoje é sexta-feira, final de semana a vista, descanso para um uns, badalações para outros, pensei hoje cedo como está próxima a última sexta do ano, imaginei a Colina Sagrada lotada, muito branco, água de cheiro, agradecimentos pelo ano que se encerra, eu tenho muito a agradecer. A propósito: Obrigada! Pelas visitas, comentários, carinho.

11 comentários:

  1. Tantas coisas passam pelas vidas e vamos ou não nos acostumando.Mas o danado do tempo passa,passa, voa e logo essa sexta , última do ano aí estará e nos, acostumados ou não com esse correr do tempo, vamos vivenciá-lo! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Ei guria linda...eu amo este texto de Marina.
    Já o li tantas vezes deste quando era muito jovem, que quase sei todo de cor.
    E posso dizer que amo e odeio ao mesmo tempo. É meio difícil de explicar. Talvez Freud...
    Sim, o ano está se encerrando e diante da profecia Maia, eu não tenho nenhuma confissão apocalíptica a fazer só me resta reafirmar meu amor por você!
    E vamos que vamos no embalo de nossa querida amiga Chicaninha!!!!!
    ;))
    beijos e upa forte!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto,bom para refletir sobre o que estamos vivendo,se estamos realmente vivendo...Bjuss e abençoada sexta.
    Angela

    ResponderExcluir
  4. Adorei te ler, Tina! Não devemos nos acomodar nunca! A vida deve ser descoberta a cada novo instante, pois nenhum dia é igual ao outro! Que imagem mimosa!

    Lindo final de semana!!
    Beijinhos!!♥

    ResponderExcluir
  5. Olá Tina,
    muito bom o texto, uma reflexão sobre esse assunto é sempre necessária. Afinal, as vezes a correria do dia a dia, o contexto no qual vivemos, faz com que nos adaptemos a coisas que não nos fazem bem. Mas não pode ser assim.
    O mesmo vale para aquilo que sabemos ser inadequado e que com o passar do tempo passa a ser visto com olhos de passividade, que isso não nos aconteça!

    Um linda final de semana pra ti,
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Tina, muita coisas passam por nós e nem percebemos.
    Nem notamos quanta coisa legal estamos perdendo.
    uma bela sexta-feira!
    bjs
    Amara

    ResponderExcluir
  7. Oiiiiii,
    amiga, eu não gosto de vir aqui com pressa. gosto de chegar, ler, e refletir. ler de novo...

    acabei de linkar teu blog e enviar pro gtalk do meu marido.
    ontem estávamos a falar sobre esse trecho do livro de Jostein.
    meu marido teve uma palestra, e o palestrante citou exatamente este trecho aí.

    mas o trecho da Marina é um tapa, de reflexão. amei!!!

    bjs, tu moras no meu coração.

    ResponderExcluir
  8. Tina,eu tb me apaixonei por essa imagem!Lindo presente!E sua msg está maravilhosa!Quanto temos a criar e não devemos desanimar e estagnar,tem razão!Obrigada a vc tb por tanto carinho em meus blogs este ano!bjs,

    ResponderExcluir
  9. Que possamos, todas nós, nos vermos nessa menina que balança de cabelos ao vento...
    Um belo final de semana.
    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  10. Gostei demais desse texto de Marina Colassanti, lindo mesmo!
    E penso também que temos muito a agradecer, muito a comemorar.
    Principalmente nossa saúde, a saúde de quem amamos, e a convivência com os amigos, essa tão importante.
    Li agora sua postagem anterior, sobre os nomes bestas que estão escolhendo.
    Nina, minha opinião é que vamos "morrer de vergonha" nessa copa.
    Está tudo sendo feito de maneira "brasileira" com jeitinho e muito super faturamento.
    Aguarde e verás, infelizmente, vamos pagar muito mico.
    Parabéns pela abordagem do tema, mas infelizmente não somos cartolas, não decidimos nada, apenas pagamos.
    E vamos parar mais esse pato. Beijos querida, bom domingo.

    ResponderExcluir
  11. Tina, tudo isso que você escreveu não dá nem para comentar de tão bonito e construtivo. Eu adorei toda a postagem. Principalmente a "puxada de orelhas" pela acomodação. O exemplo da janela do apartamento foi CLARÍSSIMO. Acontece comigo, rs. Para já praticar essa linda postagem vou começar a mudar toda a minha "oficininha" de informática. Jogar fora o que não presta, mudar os quadrinhos de posição, tirar uns pregos da parede com os quais eu já me acostumei e, como não estão servindo para nada, até assustam que entra aqui (rs). Dá até um novo ânimo na gente.
    Valeu, Tina!
    Manoel

    ResponderExcluir