31 de janeiro de 2012

Os limites nos ajudam

"Em nenhuma outra época conseguimos realizar tanto tão rapidamente. E também nunca nos sentimos tão sobrecarregados de informações, tão assoberbados de e-mail´s, de coisas pra ler, assistir, tão extenuados com o incrível volume de tarefas que invadiu nossa vida.

Para muitas pessoas o trabalho é uma torrente de mensagens, notícias, solicitações, telefonemas, recados, papéis, anotações e arquivos. O dia começa com a caixa de entrada cheia e termina com ela igualmente lotada. Cada e-mail representa uma demanda por informações e ações."

Podemos ir morar num interior, numa casa de praia, longe de toda agitação da cidade e de toda tecnologia, ou podemos optar pelo meio termo, por um limite personalizado ao nosso modo, ritmo, prioridades.

"A sobrecarga social também deve ser analisada e ponderada. Festas todos os dias, bebidas, alimentação desregrada, garotos(as), sms´s, roupas, bares, estilos musicais, redes de relacionamentos virtuais e reais dais quais não damos conta. Muito não é sinônimo de bom"

A vida se torna melhor mais prazerosa se a simplificarmos. A alegria barulhenta e com sorriso fácil de quem está excessivamente cercado de eventos, projetos, pessoas é vazia de sentido. Quando o silêncio aparece, td é nada. Quem vive nesse ritmo desenfreado, sem desligar do trabalho quando sai dele, sem ter uma família, um relacionamento sério, equilibrado, sem ter limites de gastar, sair, descansar, comer, beber, vive uma busca constante e cansativa. Procurar é só metade da graça.

Encontre
Determine
Um ponto, um horário
Um valor a ser gasto
Uma meta
Um centro, um equilibrio
Pare
Desacelere, Enfrente
Reflita
Contemple, saboreie
Sinta

30 de janeiro de 2012

"Quem não pode fazer grandes coisas
Faça ao menos o que estiver na medida de suas forças
Certamente não ficará sem recompensa"
São Francisco de Assis

28 de janeiro de 2012

Eu Alves

“Para as crianças, tudo é espantoso
Um ovo, uma minhoca, uma concha de caramujo
O vôo dos urubus, os pulos dos gafanhotos
Uma pipa no céu, um pião na terra
Coisas que os eruditos não veem”
Texto de Rubem Alves
Ele nasceu em 15 de setembro de 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais
Declama, conta, pergunta, explica, encanta
E compara e diz amar crianças e o filósofos
Pelo que têem em comum:
Fazer perguntas
Eu também!

Não se acostume

"A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma."

Trechos do texto: Eu sei mas não devia, de Marina Colasanti.

27 de janeiro de 2012

Fonte da imagem: Blog passarinhos no telhado

"Sonhe com o que você quiser
Vá para onde você queira ir
Seja o que você quer ser
Porque você possui apenas uma vida

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce
Dificuldades para fazê-la forte
Tristeza para fazê-la humana
E esperança suficiente para fazê-la feliz"

Feliz sexta-feira!

25 de janeiro de 2012

O amor e o tempo

"Quando se ama de verdade
O amor não muda com o tempo
O que muda é o nosso jeito de olhar para ele"
Façamos o amor bonito!
Um obrigado especial a meu amor que tem feito nosso amor bonito.
Te amo Paulo, a perder de vista.

As lições do Haicai




Haicai é uma estilo de fazer poesia muito conhecido e usado no Japão.
Geralmente "fala" da natureza e nos ensina sobre o poder da concisão.

São permitidas apenas 17 sílabas que devem ser distribuídas em 3 linhas:
5 sílabas na primeira, 7 na segunda e 5 na terceira.
O poeta precisa saber trabalhar com essa limitação para expressar sua ideia.
Uma tarefa desafiadora!

Um poeta para compor um Haicai pode rapidamente escolher 17 sílabas
ou escolher com cuidado cada sílaba que expressará seu sentimento.
É essa escolha, essa seleção do essencial que exprime muito com pouco.

Algumas lições práticas que podemos tirar desse gênero poético:
Estabelecer limites, escolhendo somente o essencial.
Escolher o essencial para ter um grande resultado.


Ótima quarta-feira a todos!

乾杯
Felicidades

24 de janeiro de 2012

Todo bem que pudermos

Todos procuram por respostas.
Algumas vezes as encontramos debaixo da superfície.
Outras vezes encontramos qd não perguntamos nada.

Quero


"Quero, antes de qualquer outra razão me sentir feliz 
por encontrar descanso e contentamento no meu coração.  
Por tocar com o sentimento a preciosidade da vida.
Por saber que existem coisas para eu realizar enquanto estou por aqui. 
Por acreditar que a maior proposta da ideia humana é a felicidade.
Não importa quantas nuvens eu possa ter que dissipar (...)
Gente, por natureza, é sol, e eu quero viver esse lume."
Ana Jácomo e Eu

23 de janeiro de 2012

Tempo é dinheiro

“O princípio fundamental da economia é que os desejos são infinitos mas os recursos são escassos. A economia é a ciência severa da escassez. Num mundo em que as formas de deixar o tempo passar são abundantes, o recurso mais escasso é o seu tempo.

Assim como na economia de reais você pode decidir se vai à balada ou se bota o dinheiro na poupança para usar depois, na economia da atenção você decide a todo instante o que fazer com seu tempo. Você pode assistir TV ou ler um livro ou curtir a família. Você pode prestar atenção no seu trabalho ou retuitar memes da internet.

“Tempo é dinheiro” é uma equação inversamente proporcional: se você tem pouco tempo, você gasta mais dinheiro (ir a um compromisso de táxi versus ir de ônibus); se você tem tempo sobrando, gasta menos dinheiro (espera para comprar passagens de avião quando há uma promoção). Geralmente somos mais ricos em tempo do que em dinheiro. Exatamente por isso tendemos a praticamente acender charutos com notas dele.

Você aloca seu tempo usando uma moeda chamada atenção.
(...)Com o que você gasta seu tempo? Já prestou atenção?
(...)Gaste seu tempo como se fosse dinheiro: com o que você acha que vale a pena.”

Pequenas felicidades

"Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
 
E eu me sinto completamente feliz. 
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, 
que estão diante de cada janela, 
uns dizem que essas coisas não existem, 
outros que só existem diante das minhas janelas, 
e outros, finalmente, 
que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim." 
Cecilia Meireles

21 de janeiro de 2012


“A medida que vou amadurecendo 
Presto menos atenção ao que os homens dizem
Simplesmente vejo o que fazem”

20 de janeiro de 2012

“A vida não é uma taça para ser esvaziada. 
É uma medida para ser cheia.”

Encha seu final de semana
Sua mente
Seu coração
Sua casa
De amor, carinho, admiração
De consideração
De valores, cores, aromas, sabores
De sonhos

Tds ligados na TVE

Eis-me aqui, irmã coruja 
Divulgando e parabenizando
O trabalho do irmão
Quem mora na Bahia 
É só ligar no canal 2
Quem não mora na Bahia
Assiste pelo site da TVE Bahia
Clica aqui


Salve as sextas-feiras!

Hoje é sexta feira

19 de janeiro de 2012

Eu Mafalda

Mafalda é a garota argentina mais conhecida do mundo
Ela foi criada pelo cartunista Quino 
Para uma campanha publicitária em 1963
A sábia e faceira hermanita 
Teve publicações regulares durante 9 anos (1964-1973)
As críticas presentes em suas tirinhas permanecem atuais
São narrativas recheadas de ironia
Reflexões inteligentes e filosóficas
Citações de pessoas famosas
Acontecimentos do cenário político, paródias etc
Façamos nossa parte
Para que o original do mundo não seja tão desastroso
"É necessário que o mundo
Depois de ti seja algo melhor
Porque tu viveste nele"

Olhar pelo coração

Vamos fazer algo incrível

"Para encontrar o equilíbrio que você busca - disse Ketut, por intermédio do tradutor - é nisso que você tem de se transformar. Precisa manter os pés plantados com tanta firmeza na terra que é como se tivesse quatro pernas, em vez de duas. Assim, você consegue permanecer no mundo. Mas você tem que parar de ver o mundo através da sua cabeça. Em vez disso, precisa olhar pelo coração. Assim você vai conhecer Deus." 

De Comer, rezar, amar

18 de janeiro de 2012

Busque e ache

O amor deve começar dando conta dos mais próximos

Seguem trechos de uma das crônicas do livro 
FELIZ POR NADA, de Martha Medeiros,
para refletirmos sobre nossos achares e buscarmos sempre enxergar e entender o que sentimos 
e o que sentem os outros.


"Será que nós sabemos, de verdade, o que acontece à nossa volta? Achamos que sabemos.

Achamos que sabemos quais são as ambições de nossos filhos, o que eles planejam para suas vidas, esquecendo que a complexidade humana também é atributo dos que nasceram do nosso ventre, e que por mais íntimos e abertos que eles sejam conosco, jamais teremos noção exata de seus desejos mais secretos.

Achamos que sabemos o que o amor da nossa vida sente por nós, baseados em suas declarações afetuosas, seus olhares ternos, suas gentilezas intermináveis e sua permanência, mas isso diz tudo mesmo? Nem sempre temos conhecimento das carências mais profundas daquele que vive sob o nosso teto, e não porque ele esteja sonegando alguns de seus sentimentos, mas porque nem ele consegue explicar para si mesmo o que lhe dói e o que ainda lhe falta.

Achamos que sabemos quais são as melhores escolhas para nossa vida, e é verdade que alguma intuição temos mesmo, mas certeza, nenhuma. Achamos que sabemos como será envelhecer, como será ter consciência de que se está vivendo os últimos anos que nos restam, como será perder a rigidez e a saúde do corpo, achamos que sabemos como se deve enfrentar tudo isso, mas que susto levaremos quando chegar a hora."
"Basta um galhinho e vira trapezista o passarinho
Alice Ruiz


Confie em si mesmo(a)

17 de janeiro de 2012

Sorria :)

 “Todas as pessoas do mundo 
sorriem no mesmo idioma.”
Imagem de Takashi Murakami
Frase de Morris Mandel

16 de janeiro de 2012

Dividindo leituras

Criando raízes
Autor: Philip Gulley

"Quando eu era pequeno, tinha um velho vizinho chamado Dr. Gibbis. Ele não se parecia com nenhum médico que eu jamais houvesse conhecido. Todas as vezes que eu o via, ele estava vestido com um macacão de zuarte e um chapéu de palha cuja aba da frente era de plástico verde transparente. Sorria muito, um sorriso que combinava com seu chapéu – velho, amarrotado e bastante gasto. Nunca gritava conosco por brincarmos em seu jardim. Lembro-me dele como alguém muito mais gentil do que as circunstâncias justificariam.
Quando o Dr. Gibbis não estava salvando vidas, estava plantando árvores. Sua casa localizava-se em um terreno de dez acres e seu objetivo na vida era transformá-lo em uma floresta.
O bom doutor possuía algumas teorias interessantes a respeito da jardinagem. Ele era da escola do “sem sofrimento não há crescimento”. Nunca regava as novas árvores, o que desafiava abertamente a sabedoria convencional. Uma vez perguntei-lhe por quê. Ele disse que molhar as plantas deixava-as mimadas e que, se nós as molhássemos, cada geração sucessiva de árvores cresceria cada vez mais fraca. Portanto, tínhamos que tornar as coisas difíceis para elas e eliminar as árvores fracas logo do início.
Ele falou sobre como regar as árvores fazia com que as raízes não se aprofundassem e como as árvores que não eram regadas tinham que criar raízes mais profundas para procurar umidade. Achei que ele queria dizer que raízes mais profundas deveriam ser apreciadas.
Portanto, ele nunca regava suas árvores. Plantava um carvalho e, ao invés de regá-lo todas as manhãs, batia nele com um jornal enrolado. Smack! Slape! Pou! Perguntei-lhe porque fazia isso e ele disse que era para chamar a atenção da árvore.
O Dr. Gibbis faleceu alguns anos depois. Saí de casa. De vez em quando passo por sua casa e olho para as árvores que o vi plantar há cerca de vinte e cinco anos. Estão fortes como granito agora. Grandes e robustas. Aquelas árvores acordam pela manhã, batem no peito e bebem café sem açúcar.
Plantei algumas árvores há alguns anos. Carreguei água para elas durante um verão inteiro. Borrifei-as. Rezei por elas. Todos os nove metros do meu jardim. Dois anos de mimo resultaram em árvores que querem ser servidas e paparicadas. Sempre que sopra um vento frio elas tremem e balançam os galhos. Árvores maricas.
Uma coisa engraçada a respeito das árvores do Dr. Gibbis: a adversidade e a privação pareciam beneficiá-las de um modo que o conforto e a tranqüilidade nunca conseguiram.
Todas as noites, antes de ir dormir, dou uma olhada em meus dois filhos. Olho-os de cima e observo seus corpinhos. O sobe e desce da vida dentro deles. Freqüentemente rezo por eles. Rezo principalmente para que tenham vidas fáceis: “Senhor, poupe-os do sofrimento”. Mas, ultimamente, venho pensando que é hora de mudar minha oração.
Essa mudança tem a ver com a inevitabilidade dos ventos gelados que nos atingem em cheio. Sei que meus filhos irão encontrar dificuldades e minha oração para que isto não aconteça é ingênua. Sempre há um vento gelado soprando em algum lugar.
Portanto, estou mudando minha oração vespertina. Porque a vida é dura, quer o desejemos ou não. Ao invés disso, vou rezar para que as raízes de meus filhos sejam profundas, para que eles possam retirar forças das fontes escondidas do Deus eterno.
Muitas vezes rezamos por tranqüilidade, mas essa é uma graça muito difícil de alcançar. O que precisamos fazer é rezar por raízes mais profundas, para que quando as chuvas caiam e os ventos soprem não sejamos varridos em direções diferentes."

Resenha de Ralph Waldo Emerson

Deixe

Empréstimo do Blog Sigo palavras e busco estrelas

15 de janeiro de 2012

“O tempo não cura tudo
 O tempo não cura nada
O tempo apenas tira o incurável do centro das atenções”
Martha Medeiros

Faça alguma coisa boa hoje.

14 de janeiro de 2012

Sheila e Eu

O Blog passarinhos no telhado tem um clima de pode entrar
Lá mora uma passarinha muito simpática
Sempre doce, prestativa, adorável
Hoje é o aniversário dela
Eu faço aqui a vez de telhado vizinho amigo
Salve Sheilinha!

"Fazer aniversário é olhar para trás com gratidão e para frente com fé!"
Rosaura Gomes

Se você não puder ser um pinheiro no topo de uma colina
Seja um arbusto no vale
Mas seja o melhor arbusto à margem do regato

Seja um ramo, se não puder ser uma árvore
Se não puder ser um ramo, seja um pouco de relva
E dê alegria a algum caminho

Se não puder ser almíscar, seja então, apenas uma tíbia
Mas a tíbia mais viva do lago

Não podemos ser todos capitães, temos de ser tripulação
Há alguma coisa para todos nós aqui
Há grandes obras e outras menores, a realizar
E é a próxima tarefa a que temos que empreender

Se você não puder ser uma estrada, seja apenas uma senda
Se não puder ser Sol, seja uma estrela menor
Não é pelo tamanho que terá êxito ou fracasso
Seja o melhor no que quer que você seja

Douglas Malloch

13 de janeiro de 2012

Olhar devagar

Olhamos depressa demais para tudo.
É preciso olhar mais demorado.
"Os sábios possuem a terceira visão.
Eles são capazes de se encantar com coisas menores 
porque olham devagar para elas"

12 de janeiro de 2012

10 de janeiro de 2012

Baiano não nasce estréia

Aqui na Bahia é tanta coisa que sempre acontece
Festas, procissões, rituais
Costumes de diversos credos e origens
E mais um tantão de eventos da moda
Que começam, param, somem, voltam, se transformam
Mas o que não muda, é Sagrado
É um tapete branco, um mar de pessoas
Toda segunda quinta-feira após o dia de Reis
É o cortejo de baianas, devotos, curiosos, baianos e turistas
 Caminhando rumo as escadarias da Igreja do Bonfim
E quem tem fé vai a pé como reza o dito popular
Iremos, eu e meu marido, amigo, parceiro
Da Igreja da Conceição da praias a Colina Sagrada
Onde acontece a lavagem das escadas com água de cheiro
E de onde o padre benze da janelinha da Igreja a multidão
De curiosidade que trouxe para dividir com vocês
 Vi dia desses um outdoor com a chamada para uma festa
Além da caminhada para lavagem 
E de outras tradicionais que acontecem e mudam de nome
O lado profano da festa como se diz
E me chamou atenção o nome do evento:
Enxaguada du Bonfim
Promovido pelo multifacetado Carlinhos Brown
Já é terceira edição (eu, só tomei conhecimento esse ano)
O evento é um sambão com cortejo, baianas, grupos folclóricos
Não tem a Lavagem?
Lavou, tem que enxaguar não é mesmo?
Hora dessa alguém lança a secagem
Salve a criatividade!
Salve a fé!
Salve a Bahia!

9 de janeiro de 2012

Fiar

Vi no final de semana uma homenagem aos 50 anos de casamento do casal global Nicette Bruno e Paulo Goulart e entre as histórias  que ouvi e o que vi, refleti sobre os efeitos benéficos de amar, de ter relações duradouras, de construir uma família unida, de ter hábitos conservadores, agregadores, de dançar agarradinho, de  saber e cultivar afazeres prosaicos como cozinhar, escrever, ler, ouvir boas músicas, bordar, como tudo isso traz tranquilidade, como fia e firma bons sentimentos.

Bordar, por exemplo, ou fazer crochê é um exercício de paciência e todas as mulheres que já o fizeram sabem que em um momento de distração pode-se perder o fio. Podemos fazer um paralelo com os fiares da vida, dos dias, das relações, emoções. Com o auxílio das associações fazemos grandes descobertas. Que fiemos bons sentimentos essa semana e todos os dias.

O Amor


"Sem dúvida, se perguntássemos às pessoas qual é o segredo da felicidade, dos bons relacionamentos e da satisfação pessoal, a maioria diria que é o amor, pois, sem amor, a vida é triste, sem cor, solitária, carece de um sentido maior. 

Muito se fala hoje sobre amor. Vemos inúmeros filmes, novelas, livros que abordam direta ou indiretamente esse tema tão explorado pela religião e pelas artes. Contudo, nunca se banalizou tanto o amor e nunca se amou tão pouco.

Definir um amor não é fácil. Muitos já tentaram. Há várias concepções filosóficas sobre o amor. E, mesmo que não conheçamos cada uma dessas teorias, elas estão nos contos de fadas que nossos filhos leem, nos desenhos e filmes a que assistem, nos livros que lemos, nas telenovelas que algum dia já vimos. Percebamos ou não, de alguma forma essas concepções estão em nossa mente e, em parte, explicam o que pensamos sobre o amor e o que esperamos dele.

Por que afirmamos isso? Porque toda pessoa é um ser humano do seu tempo, influencia o meio em que vive e é por ele influenciado em maior ou menor grau. Isso é facilmente percebido na linguagem, no vestuário, nos hábitos e nos costumes dos povos ao longo dos anos. Não falamos, não vestimos, não nos comportamos como alguém do século XVIII. Tampouco pensamos como ele. Vivemos no século XXI e nos comportamos como tal. 

Nos textos bíblicos, depois de afirmar que o amor é o dom mais excelente e de definir as características do amor divino que precisamos desenvolver, Paulo diz: 

"Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino. Porque, agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido." (1 Co 13:11–12)

Uma vida significativa não depende do tipo de sapato que se calça, de morar em certa rua, de uma casa grande e luxuosa. Não depende da marca do carro que se dirige, do time para o qual se torce, da universidade onde se estuda ou onde os filhos estudarão. 

Viver não é nada disso. Uma vida significativa não depende do dinheiro, da posição social, do poder que alguém tenha nem do fato de ser famoso ou não. Viver bem não está ligado ao fato de passar as férias ou não nos lugares desejados. O sentido real da vida é o amor. Logo, depende de amarmos e de sermos amados.

O amor é a maior energia positiva que rege o mundo espiritual. É uma vibração. Temos de estar inundados, cheios do amor ágape, espiritual, para fazer o bem e contagiarmos os outros. Isso fará toda a diferença na vida das pessoas."

MALAFAIA, Elizet

7 de janeiro de 2012

Para meu irmão

Os pássaros dessa imagem representam:
Eu o azul e verde
Meu irmão o laranja e vermelho
Serem de papel, inusitados e criativos, representam nós dois
"Um passarinho pediu a meu irmão para ser sua árvore.
Meu irmão aceitou de ser a árvore daquele passarinho.
No estágio de ser essa árvore, meu irmão aprendeu de sol, de céu e de lua...
Aprendeu com a natureza o perfume de Deus.
Seu olho no estágio de ser árvore aprendeu melhor o azul.
E descobriu que uma casa vazia de cigarra 
esquecida no tronco das árvores só serve pra poesia.
No estágio de ser árvore meu irmão descobriu que as árvores são vaidosas.
Que justamente aquela árvore na qual meu irmão se transformara,
envaidecia-se quando era nomeada para o entardecer dos pássaros
e tinha ciúmes da brancura que os lírios deixavam nos brejos.
Meu irmão agradecia a Deus aquela permanência em árvore
porque fez amizade com muitas borboletas."
"Poesia não se descreve se descobre."
Frase de Manoel de Barros
Fonte da imagem:  Kotiliesi magazine
Descrição da ilustração: 
"Em ilhas de penas os melhores sonhos podem ser vistos"

6 de janeiro de 2012

Primeira sexta do ano

Ouça aqui o Hino do Senhor do Bonfim, na voz de Caetano

Glória a ti neste dia de glória
Glória a ti redentor que há cem anos
Nossos pais conduziste à vitória
Pelos mares e campos baianos

Desta sagrada colina
Mansão da misericórdia
Dai-nos a graça divina
Da justiça e da concórdia

Glória a ti nessa altura sagrada
És o eterno farol, és o guia
És, Senhor, sentinela avançada
És a guarda imortal da Bahia

Dessa sagrada colina
Mansão da misericórdia
Dai-nos a graça divina
Da justiça e da concórdia

Aos teus pés que nos deste o direito
Aos teus pés que nos deste a verdade
Trata e exulta num férvido preito
A alma em festa da nossa cidade

Salve 2012!
Salve as sextas-feiras!
Salve Senhor do Bonfim!
Salve Nossa Senhora da Guia!

5 de janeiro de 2012

Eu Raul

"Tem que ser selado,
Registrado, carimbado
Avaliado e rotulado
Se quiser voar
Pra lua a taxa é alta
Pro sol identidade
Mas já pro seu foguete viajar pelo universo
É preciso meu carimbo
Dando sim, sim, sim, sim"
Salve Raul Seixas
Um dos artistas mais cultuados do Brasil até hoje
E ele nasceu onde?
Onde?
Onde?
Na Bahia
Toca Raul!

4 de janeiro de 2012

Dividindo leituras 6, 7 e 8 de 8

O pequeno príncipe encontrou em suas viagens diversos tipos de pessoas, todas representando a dificuldade de se encarar a vida como um adulto.
Cada um dos personagens tem perfis dos homens modernos: viciados em trabalho, em poder, dinheiro, bebida, conhecimento.
Diante das considerações da história somos convidados a refletir como, com o passar do tempo, deixamos de ver as coisas com os olhos de uma criança, e nos tornamos extremamente complexos, uma singela obra que aponta grandes ensinamentos da vida por meio das percepções de uma criança.

Eu havia decidido fazer 8 post´s com frases e reflexões sobre "O pequeno príncipe"
Hoje resolvi compactar os últimos 3 post´s em um só
Para dar uma variada no Dividindo leituras e nas reflexões

"As estrelas são todas iluminadas.
Não será para que cada um 
possa um dia encontrar a sua ?"

Dividindo leituras 5 de 8
"Comece fazendo o que é necessário
Depois o que é possível
E de repente
Você estará fazendo o impossível."
São Francisco de Assis

3 de janeiro de 2012

"Todos os sonhos são sementes 
e todas as estrelas são guias"
Patricia Pinna Bernardo

2 de janeiro de 2012

Importância


“A importância de uma coisa não se mede com fita métrica, 
nem com balanças, nem com barômetros.
A importância de uma coisa há que ser medida 
pelo encantamento que a coisa produza em nós.”
Palavras do apassarinhado Manoel de Barros
Fonte da ilustração: Revista Interini