31 de julho de 2012

"Continuo amando a Deus
Mesmo quando os "milagres" que eu imploro não acontecem
Continuo acreditando em Deus
Mesmo quando os pedidos que faço em minhas orações não são atendidos"
Padre Fábio de Melo
É preciso amarmos e crermos como nos votos do casamento
Na alegria e na tristeza
Na saúde e na doença
Na riqueza e na pobreza
Todos os dias
Um dia de fé e amor para todos nós

30 de julho de 2012

Ai! Ai! Dona Mafalda
Aprende com Rita Apoena:
"Não é que o mundo seja só ruim e triste
É que as pequenas notícias não saem nos grandes jornais
Quando uma pena flutua no ar por oito segundos
Ou a menina abraça o seu grande amigo
Nenhum jornalista escreve a respeito
Só os poetas o fazem"

28 de julho de 2012

“Somos mestres e aprendizes uns dos outros
O tempo todo estudamos, lado a lado, inúmeras lições
Criamos espaço para celebrar os mágicos momentos de recreio
Até descobrimos juntos um segredo libertador
O aprendizado e o recreio não precisam acontecer separados."
Ana Jácomo

27 de julho de 2012

Hoje é sexta-feira
E como eu já disse muitas vezes
E Adriana Calcanhoto bem descreveu
"Toda sexta-feira
Todo canto é santo
E toda conta
Toda gota
Toda onda
Toda renda
Todo mundo é baiano junto"
Bençãos para cada um de nós
Que nossos anjos protetores
Todos os santos, guias
Todas energias positivas
Canções e orações
Nos mantenham conectados com a paz e o bem

26 de julho de 2012

Avós são pais com açúcar

Hoje é dia dos avós
E eu sou suspeita para falar 
Pois amo vovozinhas e vovozinhos
Prefiro é lógico os que são doces
Fazem crochê e contam histórias
Mas os ranzinzas também tem meu carinho
Hoje tem os(as) avós jovens, descolados(as)
Que não deixam de ser avós
A todos meu respeito e admiração
É admirável ser essa figura familiar
Que representa histórias de nossas histórias
De vida, família, lugares, acontecimentos
Deve ser fantástico ver nascer, crescer
Conviver com filhos de nossos filhos
Ter avós
Se tornar avós
São dádivas
Saudades de meu avô
Feliz por ainda ter uma avó
E viva meu pai, minha mãe e minha sogra
Avós carinhosos de meu filho
Viva todos os(as) avós do mundo!
Estava aqui pensando:
Podíamos imaginar o Natal em julho, por exemplo
Em agosto se for melhor para você
No Natal todo mundo fica mais afetuoso
Agregador, amigo
Com ares de perdão, reflexão
Os valores morais, sociais e familiares se afloram
Ares de Natal em pleno julho então para seu dia
De presente sonzinho de guizos
Rabanadas com café quentinho
E meu carinho

25 de julho de 2012

Hj é dia do escritor

Eu que sei de várias datas festivas
Fico fuçando dia disso e daquilo
E não sabia que hoje era dia do Escritor
O dia 25 de julho foi escolhido como dia nacional do escritor
Por decreto governamental em 1960
Após o I Festival do Escritor Brasileiro
Do qual participou da organização ninguém menos que Jorge Amado.
Soube agora a pouco da data de uma maneira muito legal
Recebi parabéns de uma amiga linda
Pensem em uma pessoa se achando
Que amou
Adorou
Essas foram as palavrinhas de Alê
"Desejo a vc minha amiga escritora
Muita inspiração
Muitas viagens imaginarias
Amor
Poesia
Felicidades
E muita “tinta e papel”
Para nos presentear com seus contos, textos
Poemas, histórias"
Vou guardar como meu primeiro parabéns por esse dia
E pegar emprestadas as palavras de Clarice
Sou assim
“Não caibo em mim e estouro em palavras"
E que assim seja
Que eu publique meu primeiro livro
Um segundo, vários
Muitos post´s, cartões, bilhetes
E-mails, histórias
Obrigada a todos que sempre passam por aqui para “me ler”
Me incentivar e me inspirar
Um obrigada especial a você Alê
E vamos ler meu povo e escrever também
Sempre seja você mesmo

"Nada de imitar seja lá quem for
 Temos de ser nós mesmos
Ser núcleo de cometa, não cauda
Puxar fila, não seguir"
Monteiro Lobato

24 de julho de 2012

Salve Nanda!

Hoje é aniversário de uma pessoinha amiga fashion e doce chamada Nanda Pezzi. Em seu blog ela publica detalhes inspiradores de moda, decoração, leituras e reflexões de vida.
Adoro moda, acessórios, bolsas, sapatos...Me viro com uma camiseta, calça jeans e tênis, mas não me queixaria de ter o closet de Sarah Jessica Parker em Sexy and the City. Quando pequena eu adorava desenhar modelos e mais modelos de roupas para minha boneca de papel, tinha uma pasta cheia, ela era eu e aquelas roupas seriam todas e mais algumas das que eu teria quando crescesse. Também fazia modelitos para minha Barbie com retalhos de tecido. Uma fashionista. Hoje nas visitas ao blog de Nanda, pelas vitrines do shopping, tv e revistas acompanho as tendências, sonho e adquiro quando em vez, modelitos, marcas, acessórios. 
Obrigada Nanda por nos inspirar, alimentar nosso gosto por moda, nos deixar antenados com as tendência e principalmente por através desse viés ser uma pessoa tão presente, carinhosa, simpática, doce e AMIGA comigo. Você é para mim em um paralelo com o universo dos acessórios, uma peça exclusiva da Tiffany & Co.
Assisti esses dias umas 3 vezes, o filme: A invenção de Hugo Cabret. Pela quantidade de vezes que vi nem preciso dizer que recomendo. Das muitas coisas que vi, ouvi e gostei, estava aqui ensaiando escrever sobre a reflexão do lindo garotinho de que: Tudo tem um propósito.
"Os relógios dizem as horas. Os trens nos levam a algum lugar." Se o relógio quebra, o trem enguiça, eles perdem seus propósitos, assim como nós, cada um de nós tem um propósito e se não o descobrimos ainda ou se o perdemos, estamos quebrados.
Cada um de nós tem uma missão, ou várias, que estão nos nossos talentos pessoais, profissionais, individuais e coletivos.
Buscar, descobrir, encontrar e muitas vezes recuperar nosso propósito e por em funcionamento, exercer o nosso propósito, se realizar e assim desencadear um efeito em cadeia, pois os bons propósitos alheios são transformadores. 
Imaginemos o mundo como uma grande máquina e observemos que máquinas não vem com peças sobressalentes. Você não compra um computador e ele vem com peças a mais, nem um relógio vem com ponteiros extras. Cada peça tem sua função, ou várias funções, eu tenho as minhas, você tem as suas.
Se realize, busque e cumpra seus propósitos, se concerte caso esteja quebrado, para você e toda a engrenagem a sua volta girarem leve e macio.

23 de julho de 2012

Improvisa ai

“Somos capazes de ideias espetaculares
E nem temos ideia do limite desse potencial espetacular
Somos capazes de fecundar novas vidas humanas
E também de parir risos, poemas, projetos
Canções, descansos, respostas
Céus azuis macios que o sentimento cria
E onde o coração passeia
Somos capazes de resultados que não esperávamos
De mudanças que já não acreditávamos ser possíveis
De improvisos maravilhosos"
Ana Jácomo
Inspirada pelo lançamento hoje, de novas moedas aqui no Brasil, fui em busca de velhas notinhas que já rechearam nossas carteiras, sonhos e cadernetas de poupança dos sacisO réis foi a nossa primeira moeda, importada na época do Brasil colônia e começou a valer como dinheiro a partir de 1614.

Esta nota de réis apresenta a efígie do imperador D. Pedro II

Essa nota de Cr$ 1,00 (um cruzeiro) mostra a efígie simbolo da República

Em maio de 1986 entrou em circulação a poética e adorável Cecília Meirelles
O moeda era o cruzado novo essa era a nota de NCz$100



Machado de Assis estampa em 1987 a cédula de Cz$ 1.000,00
A moeda era o cruzado

Em 1993 emitiu-se uma cédula de Cr$ 500.000,00 (cruzeiros de novo)
E lá estava Mário de Andrade

Esta é de 1993, CR$ 100,00
E traz a imagem de um beija-flor alimentado seu filhote no ninho
Escolhi essa pensando em você Sheilinha

Em julho de 1994 estreia  amoeda que temos hoje: o real
E a nossa efígie da República marca presença outra vez
Com pinta de Mona Lisa

21 de julho de 2012

Minhas postagens e Eu

Lógico que a postagem do dia é o carro chefe de todo blog, mas andei refletindo sobre como são pouco visitadas e nunca comentadas as postagens antigas.
Costumo ir nos blogs de sempre e nos novos e visitar post´s passados, não só os da tela, mas de meses, de anos passados, por curiosidade, pela tracinha da leitura que se apossa de meu ser e por achar que pode ter algo interessante nessa garimpagem. Confesso que raramente comento nas postagens antigas alheias por achar que não será lido o comentário.
Reunindo textos para participar de um concurso e quem sabe ver meu primeiro livro publicado encontrei coisas de quem nem mesmo eu lembrava que escrevi, nem publiquei aqui.
Convido pois a todos para passeios, leituras e releituras de minhas postagens antigas. 
Cliquem ai no lado em um mês ou nas mais visitadas ou ponham uma palavra qualquer na busca, fiquem a vontade, colham e lancem sementinhas em meu terreno, vai me fazer feliz e vou responder aqui mesmo ou a domicílio.

20 de julho de 2012

A vida é igual garimpo bem descreveu Pe Fábio
Não se percebe o diamante numa primeira olhada
Cascalhos e diamantes se parecem
Os diamantes escondem o brilho sob suas cascas
É preciso lapidar
E pessoas são como diamantes
Corremos o risco de jogá-las fora
Por não ter a disposição de olhá-las além de suas cascas
Hoje é o dia do amigo
E amizade é isso, é se dispor a olhar além das cascas
Além dos defeitos, das concordâncias
Ser amigo, saber que ali há um amigo
Sentimento bom, estimulante, transformador

19 de julho de 2012

Minhas curiosidades e eu



Sempre gostei de saber coisinhas curiosas, explicações, mitos, historinhas linguísticas, regionais e até de botequim. A primeira vez que trouxe curiosidades aqui para o blog foi através de um e-mail que recebi da minha prima e amiga Paty. Depois disso desatei a procurar e achar e receber coisas e constatei que eu e a torcida do Flamengo gostamos de curiosidades.
Outro dia meu filho, que adora saber de coisas, de tudo, de qualquer tema, a qualquer tempo e hora (uma espoja de saberes...rsrs), me disse no carro:
- Mãe, você já reparou que Abril é o único mês que a grafia não termina com O ?
Eu disse:
- Legal! Onde você viu isso?
Ele então disse que havia observado isso.
Não sei gostei mais da observação fantástica dele ou de saber mais uma coisa pra me deixar insuportavelmente ariana, meu mês é único...rararara
Dia desses recebi um e-mail com as perguntas curiosas que seguem:
*Como se escreve zero em algarismos romanos?
* Se depois do banho estamos limpos porque lavamos a toalha?
* Por que as luas dos outros planetas tem nome, mas a nossa é chamada só de lua?
* Por que quando a gente liga para um número errado nunca dá ocupado?
* Por que as pessoas apertam o controle remoto com mais força, quando a pilha está fraca?
* O instituto que emite os certificados de qualidade ISO 9002,  tem qualidade certificada por quem?
 * Se o Pato Donald não usa calças, por que ele amarra uma toalha na cintura quando sai do banho?

18 de julho de 2012

“Cultivei a semente da árvore
Também para os passarinhos
Sem saber se vinham
Mesmo que não viessem
Só por aguardá-los
Eles já cantavam no meu coração”
Ana Jácomo
Está a caminho o primeiro filho de minha irmã Kátia. O nome dele já foi escolhido: Zaion. Eu, que só tenho sobrinhos emprestados do marido, estou ansiosa pela chegada dele. Digam se Tia Tina não é sonoro?
Adoro crianças, mais ainda bebês, olhar para eles, carregá-los no colo, sei lá, parece que agente se enche de energia boa. Adoro os pezinhos, o olhar, a certeza de que posso falar a vontade que não vou ser interrompida (risos), as chupetas, mamadeiras, brinquedinhos, roupinhas, o cheirinho, a pureza, a inocência, o milagre da vida. Salve as grávidas, as mães e as tias! E que Zaion venha com saúde e me ame :)

17 de julho de 2012

Pare e sinta o cheiro das flores
Respire
Olhe para o céu
Fique nem que seja um minuto sem pensar em nada
Que maus pensamentos, olhares, desavenças
Não nos alcance
Que não se desenvolvam em nós
Flores em nossos caminhos
Que nosso dia seja de paz

16 de julho de 2012

"No domingo fui ao mercado com uma listinha de minha esposa com alguns itens específicos para complementar o almoço familiar.
Em meio a escolha de hortaliças e verduras frescas encontrei uma amiga que a muito tempo não via. Ela vivia sozinha aqui na cidade, pois toda sua família era do interior. Após uma breve conversa, nos despedimos e ela partiu, foi então que me peguei refletindo como era importante a minha missão. 
Minha amiga tinha em suas mãos comidas semi prontas e congeladas,   com um semblante desolado, foi ai que pensei que o que nos realiza de verdade é servir alguém. 
Minha listinha tinha mais que itens, representava minha esposa e meu filho em casa esperando aquelas coisas e ela não seria a mesma e não teria sentido se eu estivesse só nesse domingo.
Gostamos mesmo de ter alguém, de lembrar dos sorrisos das pessoas quando você atinge as suas expectativas, seja para quem convivemos diariamente, seja para os amigos , nos momentos em que nos reunimos e  pensamos nas coisas que eles gostam de beber , de comer,  nas cores que eles preferem e todas as pequenas coisas que lembramos para agradar as pessoas que amamos."

Texto escrito por meu esposo, que me fez feliz pelo que tem escrito e orgulhosa pela narrativa, tão bem escrita e poética. Inicio a semana com chave de ouro.

15 de julho de 2012

Estrela no coração

Essa foi minha foto preferida, ela fala o que vim contar
Meu filho com cara de quem entendeu a emoção do pai
Com cara de bobo ao lado do Falcon

Quem teve uma dessas?

Meu marido, minha irmã Susana e eu voltamos por alguns minutos a ser crianças nesse sábado, quando fomos ao Shopping e não acreditamos no que vimos.
Viajamos no tempo, cada um mostrando os seus brinquedos de infância, os que tivemos ou sonhamos ter. Lembramos de histórias, passamos atestado e certificado de velhice em meio a todos e a toda modernidade das lojas, local e espaço-tempo a nossa volta. Era uma exposição dos brinquedos antigos da Estrela.
Amei ver a máquina de filminho da imagem acima, não lembrava dela, mas ao vê-la um filme literalmente passou em minha mente.
Várias crianças grandes viam de perto brinquedos que estiveram presentes nas casas, nos comercias de tv e nas prateleiras das grandes lojas, com aquela estrelinha que era e ainda é sinônimo de infância.
Muito legal esse resgate da Estrela. Bonecas, carrinhos, jogos, encantamentos de nossas infâncias em exposição, para deleite dos olhos, memórias, ao alcance das mãos e da lente das nossas máquinas de fotos digital, provocando alegria que só crianças sentem.
Faça as pazes com cada momento

14 de julho de 2012

Sejamos como o arco-íris
Várias cores diferentes que estão sempre juntas
Permitindo a cada qual ser como é

13 de julho de 2012

Refletir, comer, rezar e amar

Vamos refletir junto comigo e com Elizabeth Gilbert em Comer, rezar e amar quando ela fala do Augusteum, local construído por Otaviano Augusto para abrigar seus restos mortais e que foi destruído pelos bárbaros junto com quase todo a histórica Roma antiga?
Roma cresceu ao redor do Augusteum ao longo dos séculos, o lugar silencioso e palco de contemplação e reflexão para quem ali passa é como uma ferida, uma cicatriz.
No filme, a personagem sentada diante de tais ruínas pontua como um local que foi devastado, pode ser um local de tranquilidade. Ali se contempla o poder de adaptação, de reconstrução, se absorve sabedoria e aprendizado, pois fazendo um paralelo com nossas vidas e batalhas internas e externas: "A única armadilha real é nos apegarmos às coisas.  A ruína é uma dádiva. A ruína é o caminho que leva à transformação".
Nossas ruínas, assim como nossas glórias fazem parte da nossa história e podem nos fazer mais fortes ao invés de nos enfraquecer. Não é sadio maquiar, esconder, isolar. Aceitar e encarar é sempre a melhor opção.
Embarquemos pois nessa viagem interna, nessa prática diária considerando tudo que aconteceu e que ainda irá acontecer em nossas jornadas com tranquilidade e contemplação, aceitando cada acontecimento e cada um que encontre no caminho como professor, aprendendo, encarando e perdoando não só aos outros mais também a nós mesmos.

12 de julho de 2012

Eu Apoena

"Alguns escrevem pela arte
Pela linguagem
Pela literatura
Esses, sim, são os bons
Eu só escrevo para fazer afagos"
Rita Apoena

11 de julho de 2012

Bolinhos de chuva

Chuva em Salvador a dois dias, um frio meio baiano e eu aqui no meu canto pensei em bolinhos de chuva. Tenho a maior vontade de comer bolinhos de chuva, na verdade gosto do nome, já ouvi em  novelas e sei lá mais onde. Tem um quê de guloseima de casa de vó, de receita da tia Anastácia. Engraçado é que eu curiosa como sou, nunca tenha parado para me perguntar, nunca tenha parado para perguntar ao Google o que são esses tais bolinhos que desejo.
Também me ocorreu do porquê de eu  nunca ter pedido para meu pai padeiro e confeiteiro de mão cheia fazer tais bolinhos, embora ele seja espanhol, se não soubesse o que são descobriríamos e eu já teria comido dúzias deles ou cortado da minha lista de desejos.
Pois bem, após gastronômica pesquisa descobri que os tais bolinhos de nome poético, são como tudo que é bom, pura simplicidade. Uma mistura de farinha, ovo, leite, fermento e açúcar.
Com tudo comigo tem história, lá fui eu atrás da história do bolinho de chuva e achei por ai a explicação de que no final do século XVIII, o trigo era pouco, caro, vinha de Portugal, e raras eram as receitas com a “Farinha do Reino”, então os bolinhos eram feitos com mandioca e muitos ovos, açúcar, leite, fritos em gordura de porco e eram chamados dentre outros nomes de Quero-Quero.
Creiam que por muito tempo foram à comida do entrudo (assim se chamava o carnaval naquela época) e eram apelidados Filós de Carnaval, com direito a sotaque português na pronúncia.  Tempos passados e renovados, grandes tabuleiros eram montados nas esquinas e nas praças das cidades, ofertando esses históricos bolinhos, que receberam em cada canto muitos nomes, apelidos, adaptações e recheios.
Monteiro Lobato nas maravilhosas e atemporais histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo encheu a todos de desejo nos muitos episódios em que Narizinho, Emília e Pedrinho comiam os Bolinhos de Tia Nastácia. Olha minha lembrança infantil enraizada em mim. Quem ai lembra-se da história Minotauro no labirinto, onde ele prova o bolinho e fica com os olhos brilhantes? “Acabou completamente manso, esqueceu até a mania de comer gente”.
Mas, foi no século XX, que alguém (não descobri quem), lhe deu o nome de Bolinho de Chuva, lembrando a alegria das crianças nos dias de chuva, ao comer os bolinhos como recompensa por não poderem correr ou brincar nos quintais por causa do tempo chuvoso.
Que estejamos livres dos perigos
Seguros
Vigilantes
Protegidos

10 de julho de 2012

Pizza nuestra


Há quem diga que a história da pizza começou com os egípcios, outros afirmam que os pioneiros são os gregos, que faziam massas a base de farinha de trigo, arroz ou grão-de-bico (amo grão de bico) e as assavam em tijolos quentes.
Os fenícios, por sua vez, 3 séculos antes de Cristo, costumavam acrescentar coberturas de carne e cebola ao pão; os turcos muçulmanos adotaram esse costume durante a Idade Média e por causa das cruzadas essa prática chegou à Itália pelo porto de Nápoles.
No início de sua existência, somente as ervas regionais e o azeite de oliva eram os ingredientes típicos da pizza, comuns no cotidiano da região, ai os italianos acrescentaram o tomate, daí a pizza Italiana mais tradicional ser a Napoletana, o nome diz tudo.
A pizza chegou ao Brasil  por meio dos imigrantes italianos (benditos sejam) e desde 1985, em 10 de julho comemora-se o dia da pizza. Adoro!
No princípio, a tradição italiana era o carro chefe da maioria dos estabelecimentos e as pizzas de mozarela e anchova eram as mais pedidas, mas à medida que hortaliças e embutidos foram acrescentadas a massa, a criatividade dos brasileiros e os hábitos e gostos regionais são muito presentes.
- Onde há amor há vida -
"Não há nada que você possa fazer que não possa ser feito
Nada que você possa ver que não esteja à mostra
Tudo que você precisa é amor"
Trechos da canção Tudo que você precisa é amor, dos Beatles

9 de julho de 2012

Pepes e Josés

Você conhece algum Pepe?
E ao saber que o Pepe se chama José, você se perguntou:
O QUE PEPE TEM A VER COM JOSÉ?
José é uma forma reduzida de "Jusepe"
E é comum nos países europeus os Josés serem apelidados de Pepes
Sempre há uma explicação
E eu sempre gosto de saber e explicar essas curiosidades nossas de cada dia
Confraternizar
Verbo regular, transitivo e intransitivo
Significado: Unir como irmãos
Bom ver os amigos reunidos em nossa casa, poder ter aquelas conversas demoradas, sem ser por e-mail, face, celular ou até na hora do almoço entre uma garfada outra e a hora de voltar ao trabalho. Bom sentar para ver as fotos de nossa história que muitas vezes tem a história dos que nos cercam, ali ao alcance de nossas mãos, na gaveta do armário onde muitas vezes pegamos pra ver e falamos daquelas pessoas que não estão ali para se ver em nosso arquivo pessoal, para ver com agente e lembrar através das imagens cabelos e estilos de roupas diferentes, nossos e dos outros, pessoas que já não nos acompanham mais, as que ainda e sempre estão conosco, marcas, letreiros, lugares que ficarão para trás, que se transformaram com o tempo ou que são exatamente iguais.
Colocar nossa melhor toalha de mesa, roupa de cama, comprar flores, servir coisas que você gosta ou que sabe que aquela pessoa gosta. Registrar novos momentos, novos sorrisos, novos amigos e velhos amigos em novas fotos, que amanhã estarão ali naquela gaveta. Ouvir e contar novas e velhas histórias.
Uma luta a 1h da manhã, um jogo, um filme numa tarde de domingo, uma partidinha de dominó, para um casal de amigos, para 1 amigo, uma turma, na sala, varanda, sem ser dia de aniversário, marcando com vinte dias de antecedência, ou de última hora, conduzindo as visitas que estavam em casa para suas casas para poder cumprir a palavra de ir na casa dos amigos que te esperavam, deixando a boemia, para estar com os amigos de verdade por menos atrativo que isso a primeira vista possa parecer, várias leituras de comportamentos, sentimentos, diversão, valores, reconhecimento de que momentos assim fazem o corre-corre parar por alguns instantes.
  Salve a amizade!
Salve o Brasil!
Salve o respeito em qualquer esporte!
Salve torcer!
Tenha sido por Anderson Silva
Ou "apenas" para estar entre amigos

8 de julho de 2012

Dia 04 de julho eu fiz um post sobre a Flip
E meu sonho de ir um dia
Hoje o post é sobre sonhar junto
Como diz Raul na canção Prelúdio
"Sonho que se sonha só
É só um sonho que se sonha só
Mas sonho que se sonha junto é realidade"
Ir na FLIP imagino, é ir para um mundo literário 
Como ir ao Museu da Língua Portuguesa
Sendo a Feira em Paraty
É certeza belas paisagens e energias renovadas
E foi a partir de uma combinação de amor a Literatura
E a ideia de um encontro de amizades a distância
Que nasceu com batismo de Carol
O FlipEncontro
Foi ela também que produziu o selinho
E já é presença confirmada
Após ser definida a data da Edição 2013
Vamos orçar ingressos, passagens, hospedagens
Na oportunidade pensaremos em um link
Para trocarmos figurinhas, confirmar presença etc
Então é isso
Bom, bento e literário domingo

7 de julho de 2012

"A janela fechada não me protege da vida
Há mais perigos dentro do que fora de mim"
Padre Fábio de Melo

6 de julho de 2012

Empréstimo de agradecimento

“É maravilhoso sentir que a poesia que compartilho traz à tona, de um jeito tão perfumado, a poesia que mora no coração de cada um de vocês...Agradeço porque acredito que toda vez que uma única vida sente e expressa doçura o mundo inteirinho respira melhor nesse exato instante. E o mundo, sabemos, precisa muito da paz cuidadosa de cada um desses respiros.”
Agradecimento e sentimento de Ana Jácomo e meus
E desejo de uma sexta benta

5 de julho de 2012

Possível

Não sei se já contei essa história por aqui, se sim, conto de novo, afinal tem histórias que vale contar e recontar, ler e ouvir infinitas vezes.
No meu primeiro apartamento de casada, no primeiro andar, ia a janela um passarinho que parecia querer falar algo, conversar, nos visitar.
Agora no nosso mais novo endereço de morada, no 16º andar eis que um passarinho está sempre a espreitas pela caixa do ar-condicionado, dando passinhos e pulinhos pelo peitoril da janela e da varanda, dando pius, cantarolando e retorcendo o pescocinho para espiar.
Contento-me e alegro-me apenas em observar ele, seu biquinho, olhinho, seu mexe e remexe, arrepiar de penas. Pensei em dar-lhe abrigo em dias de chuva, umas sementinhas para ver aquele peito estufado e farto, água fresquinha para beber, mas ele sumiu quando pus as ofertas na janela, como quem diz: - Venho sem nada pedir moça!, ou: - Não aceito pagamento!. Acreditem, tirei tudo e ele voltou.
Já ia me esquecendo de dizer que ele tem nome, Possível é o nome dele. A origem do nome é a seguinte: eu disse para meu marido que esse passarinho estava sempre por aqui, contei que ele entrou pela janela do meu quarto e andou pelo móvel, que parecia me chamar as vezes e brincando disse que podia ser o do primeiro ap que nos reencontrou. Em dia de pensamentos filosóficos e infantis, perguntei se era possível esse passarinho ser o mesmo sempre, eis que meu marido e filho batizaram ele.
Se é possível que seja o mesmo pássaro, se ele vem na minha e em outras mil janelas, não importa, o que importa é que ele me faz feliz, como nenhum outro passarinho garboso e de espécie rara, faria dentro de uma gaiola.
Ontem final da tarde ele me espreitava enquanto eu estava no computador e pensei: nunca tenho uma máquina de foto quando ele aparece e eis que ali ao alcance das mãos estava a máquina, porém a janela do quarto estava fechada e arrisquei até um click, mas não ficou legal. Dia desses tiro um outro retrato, pois não é possível que não vou estar um outro dia com a máquina ao alcance e possível fazendo poses, sem vidros e com céu azul ao fundo.

Salve as curiosidades!


Sempre tive curiosidade de saber a origem dos nomes dos meses. Até me perguntava por que dezembro não era o mês 10. Eis então a descoberta da origem dos nomes de nossos meses:
- Janeiro: nome em homenagem ao Deus Janus, protetor dos lares;
- Fevereiro: mês do festival de Februália (festival de purificação dos pecados em Roma);
- Março: em homenagem a Marte, deus guerreiro;
- Abril: derivado do latim aperire (que abre), uma possível referência a primavera no Hemisfério Norte;
- Maio: acredita-se que se origine de Maia, deusa do crescimento das plantas;
- Junho: mês que homenageia Juno, protetora das mulheres;
- Julho: no primeiro calendário romano, de 10 meses, era chamado de Quintilis (5º mês). Foi rebatizado por Júlio César;
- Agosto: inicialmente nomeado de Sextilis (6º mês), mudou em homenagem a César Augusto;
- Setembro: era o sétimo mês. Vem do latim septem;
- Outubro: na contagem dos romanos, era o oitavo mês;
- Novembro: vem do latim novem (nove);
- Dezembro: era o décimo mês.

4 de julho de 2012

FLIP 2012

Eu sonhava em ir ao Museu da Língua Portuguesa em SP
Sonho realizado
Próximo sonho do gênero: ir na FLIP
Clica aqui para conferir tudinho
"As coisas tangíveis
Tornam-se insensíveis à palma da mão
Mas as coisas findas
Muito mais que lindas, essas ficarão"
Drummond

Carlos Drummond de Andrade completaria 110 anos em 2012 e a Edição de nº 10 de FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) homenageia esse grande poeta brasileiro.
A  programação do evento esse ano recebe 40 escritores vindos de 14 países. Entre os destaques estão a portuguesa Dulce Maria Cardoso, a americana Jennifer Egan (vencedora do Prêmio Pullitzer de 2011) e o francês Le Clézio (Nobel de Literatura em 2008). Marcam presença também grandes brasileiros como Veríssimo, Fabrício Carpinejar e Zuenir Ventura.

3 de julho de 2012

"Viver é plantar
É atitude de constante semeadura"
Padre Fábio de Melo

2 de julho de 2012

Salve Salve o 2 de julho!

Imagem de Maria Felipa
Hoje é o dia da independência da Bahia.
E dá rima pois a Bahia é pura poesia.
Olha a rima de novo!
Em fevereiro de 1822, ano da Independência do Brasil, o brigadeiro Madeira de Melo resolveu inspecionar as infantarias de maioria brasileira no intuito de reafirmar sua autoridade, dando início nas proximidades do Forte de São Pedro, aos primeiros confrontos pela independência da Bahia . Em pouco tempo, as lutas se alastraram para as imediações da cidade de Salvador: Mercês, Praça da Piedade e Campo da Pólvora.
O mais marcante episódio de desmando ocorreu quando um grupo português invadiu o Convento da Lapa e assassinou Joana Angélica, considerada a primeira mártir baiana. Eu fiz faculdade nesse Convento e passava todo dia pelo portão onde Joana Angélica resistiu bravamente. Meu endereço de infância e adolescência também leva o nome dela: Av. Joana Angélica.
A independência baiana foi palco de muitas mulheres, além de Joana Angélica, Maria Felipa, sentinela do movimento das embarcações no mar, foi líder das mulheres guerreiras da Ilha de Itaparica e Maria Quitéria, conhecida por lutar vestida de homem ajudou com bravura o exército a expulsar as tropas portuguesas da Bahia. As tropas fiéis a Portugal acabaram sendo derrotadas em 2 de julho de 1823, que além de marcar as lutas de independência do Brasil, é a data em que comemora-se a Independência da Bahia.