25 de fevereiro de 2013

Alferes

Alguém ai sabe o que é alferes?
Tem mais de um uso essa palavrinha
O que me trouxe aqui é um grudinho de rapadura, enrolado em uma tirinha de papel manteiga, com preço de bala. Antigamente era comum encontrar por aqui e havia um senhor na porta da escola onde eu estudava, baixinho, franzino, bem idoso que falava meio que cantado para anunciar seu produto: Alfeeeres!
Era uma meleira para comer, sujava as mãos e eu comprava o tal do alferes, mais porque achava lindo o velhinho e para ajudar ele, do que por gosto.
Ainda se encontra nas feiras e sempre tem no caruru para Cosme e Damião na casa de Dona Nilda, sogra de minha irmã e é eu bater no olho no danado e lembrar do velhinho. O gosto é de rapadura, com um ardidinho tipo gengibre.
O senhor da imagem ai de cima, vende castanha do Pará. Hummm! Castanhas! Amo todas: de caju, do Pará, portuguesas. Ele veio parar aqui pois assim que vi esses pacotinhos, sem ler a legenda para saber do que se tratava, adivinha do que lembrei?
Boa e doce semana!
Bom trabalho!
Boas vendas, compras, olhares, lembranças!

10 comentários:

  1. Eu já provei e também gostava de me lambuzar toda,rs Linda semana, linda essa foto! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Estes tipos populares falam ao coração da gente e é bom registrar a sua presença porque penso que um dia não mais serão encontrados. Quanto ao nome, acredito que somente existe em terras baianas. Por aqui tinha em formato de guarda-chuva, e era uma melequeira danada na hora de comer.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia flor do dia!
    Eu não conhecia!
    Uma boa semana pra vc também!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Tina, sou meio pastelona mesmo. Não entendi! Do que vc se lembrou? Do alferes? Bom, eu nunca provei esse doce. Sou de Minas e na porta da minha escola vendiam quebra-queixo. Eu amava! Quanto a castanhas, amo de montão. Lembro da minha infância, do meu pai, que me ensinou a catar coquinhos e a quebrar para pegar a castanha. Humm... Beijos e bom início de semana!

    ResponderExcluir
  5. Alferes... Acho que aqui no Sul a gente chama de puxa-puxa hehehehe Eu adorava! hahahaha Mas hoje em dia se tornou industrializado. Nunca mais comi =/

    Beijo Charmoso :*
    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Não sei se já comi, não me recordo. Com este nome sei que não.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Tina, o único alferes que eu conhecí foi enforcado e chamavam-no Tiradentes.
    Esse , bem mais doce, que você nos apresenta , me é desconhecido. Eu adoro esses historinhas de cultura popular. Não posso gostar muito senão o pipoqueiro fica enciumado.
    Um abraço
    Manoel

    ResponderExcluir
  8. Ahhh Obrigada por explicar, já tinha ouvido falar antes, mas confesso que fiquei confusa. Humm me deu vontade de experimentar... aqui temos só rapadura... ah que saudade das Minas Gerais... quando eu e Camomila disputávamos pedaços de rapadura na casa da vó... ahahhaha lembrança trás lembrança... ahahhahah
    beijos flor

    ResponderExcluir
  9. Eu vendo puxa quando estou desempregada, tenho muito prazer em divulgar esse doce cultural. Apenas eu vendo aqui na cidade de Queimadas(Ba), esse doce dá trabalho pra fazer, até que se descubra o ponto certo. Minha tia vendia, depois minha irmã fazia e eu vendia, e hoje, quando necessito, faço e vendo de porta em porta.

    ResponderExcluir
  10. Oi! Sou do interior de SP e por aqui não acho para comprar, porém sou apaixonada por ele. Alguém pode me enviar por correio?
    E-mail para contato: thais90_10@hotmail.com

    Obrigada!

    ResponderExcluir