23 de fevereiro de 2013

Sem Face. Pode ser?

Sim há vida sem face! Tem quem não tem e vive...risos. Quando alguém (eu por exemplo) diz: Não tenho face. Parece que uma luz se ascende sob a pessoa e uma placa é pendurada em seu pescoço: et.
Num outro extremo, pessoas idosas são criticadas porque que vão ao caixa, não os eletrônicos, aos com pessoinhas que falam e ouvem fazer depósitos, pagar contas ou vão as suas agências de origem do outro lado da cidade com uma agência do mesmo banco na sua rua. E outras pessoas, de diferentes idades e por diferentes motivos optam por não usar o banco pela internet, querem agências e caixas eletrônicos a sua disposição e com dinheiro dentro em dias de greve. Sim! São todos normais.

O mundo digital é mesmo maravilhoso, contudo cada um tem o direito de fazer o uso que achar melhor dele, além da necessidade de pelo menos conhecer o básico para não ficar perdido. É bom pois está em tudo e todo lugar e também pelo lado das variedades de acesso a informação e diversão.
A nova geração entende mais, usa mais, e a parte ruim é o demais e com isso não usar o dia, o sol, a porta do vizinho do lado, não curtir o mundo ao vivo e a cores. Não olhar, guardar na mente e sim no celular para compartilhar o momento do brinde, dos fogos, do por do sol que não viveu, apenas fotografou, filmou e publicou.

Há quem não tenha face por N motivos, por não ter saco, por não ter habilidade com ferramentas e programas de pc, por não ter tempo e não quer criar uma conta só pra dizer que tem, porque o parceiro não curte e ai não acha legal trocar coisas e mundos que ele não compartilha, por ter rabo preso, por usar o do irmão, marido, filho e já servir assim. Passaria uma hora aqui enumerando possibilidades.
Somos criaturas sociais e é natural que socializar online seja divertido, interessante. Ter contato com pessoas que você não pode conviver pessoalmente ou que tem vontade de saber por onde anda e como está é o maior barato da ferramenta na minha opinião. Mas ainda assim é uma socialização superficial, com um comentário aqui e ali, ver fotos, talvez uma mensagem mais elaborada e nada que substitua um cartão postal palpável, um telefonema onde invariavelmente há mais envolvimento.
Amigos ao alcance que acha-se que tem contato por lidar com eles no face, sem uma conversa presencial a meses, anos, sem um cineminha, olho no olho, abraço, cheiro do perfume. Pode ser isso?

Há quem venha convidando para casamentos, terminando relacionamentos pelo Face, Twitter e sei lá mais o que. Almoçando com a família ou a namorada com olhos, dedos e mente teclando.
Tem o lado extremo que é o de adolescentes e até adultos que se apegam assustadoramente aos seus perfis, sentidos e angustiados por não terem sido visitados, ninguém ter curtido o que postou, por uma caixa de entrada vazia, um tédio, uma baixa na estima. Cruzes!
Ainda tem um monte de sujeira, manifestações de falta de respeito, caráter, preconceitos, fanatismo e mau usos que não vou me dar ao trabalho de citar.

Pode ser desligar da tomada e viver ao vivo, in loco, passar dias ou um só dia que seja sem usar a internet, sem saber da vida dos outros, sem exibir a sua.
Pode ser ver tv, ler jornal, revistas, livros, andar, passear, sentar-se na praia de frente ao mar sem o celular ao lado para fotografar ou ver o perfil.
Conseguindo, tarefa difícil para muitos, é prova de que ainda somos bons companheiros de nós mesmos e dos que nos cercam.
Que o exagero seja visto, modificado, que além das conexões sociais, dos hábitos de nossos amigos, familiares, colegas quanto a usar ou não, muito ou pouco as redes sociais, não nos tire do contato constante e atento com o mundo real.

21 comentários:

  1. Que seja realmente uma ferramenta agradável, bem usada.
    O mundo real é o nosso mundo. Fugir dele só nos prejudica.
    Bom sábado por aí. Bj

    ResponderExcluir
  2. Tenho certeza. falo de cadeira. há muiiiiiiita vida sem ele. beijos,lindo fds!chica(indo pra natureza!)

    ResponderExcluir
  3. Eu concodo que há vida sem face, but, eu tenho, e não deixo de viver por causa dele. Mas é o que acontece com milhões de gente por aí afora. E olha, nem tem tata coisa assim não. Acho bem mais importante o meu blog, do que o meu face. É o que eu sempre digo: aqui no blog eu sou muito mais eu, do que no face. Lá eu sou só espectadora da vida alheia, o que vamos e venhamos não é lá aquelas coisas! :)
    Beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é!
      Bem vinda Sche!
      Volte sempre por aqui :)

      Excluir
  4. Interessante como um assunto puxa o outro e acho que esta sua reflexão sobre o uso das redes sociais (muita vezes de forma superficial) está interligada à reflexão sobre a leitura do post anterior. Na minha opinião é preciso ficar atento ao uso indiscriminado e sem critério pois o equilíbrio é sempre o melhor caminho.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Tina!

    Sentei um alivio no desabafo! Rsrs

    Tina, vc não tem que ter fecebook!
    Blogueiras que faz um trabalho diário, tipo o jornal de todos os dias, fica meio difícil.
    Existe um ditado que diz (pretensão e agua benta, cada um carrega o quanto aguenta rsss), Têm pessoas que conseguem ter “04 meios de comunicação internéticas!!”O que eu quero dizer com isso é que se eu tiver ligada a 4 meios de comunicação num dia eu não vivo outra coisa, eu não vejo o mundo lá fora.
    Quanto ao facebook em si, realmente tem seus prós e contras, acredito eu que mais desvantagens que vantagens. Poderia citar varias, mas acho que seu texto já deixou isso bem claro.
    Eu particularmente não sinto a sua falta no face, porque adoro estar aqui no seu blog, aqui eu me sinto sentada na sua cozinha batendo papo com vc e seus amigos. No face já sentiria como se estivéssemos numa boate cheia de gente com a maior barulheira, sem condições de trocar ideias tranquilamente!
    E que vivemos o mundo da realidade o mundo palpável. Curtir a natureza, ler um bom livro, andar descalço no quintal, no jardim, no parque, sentir sol!
    E pode ser sem face!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meio desabafo, meio recado, meio observação...

      Adorei a descrição daqui e de como vc se sente e de como seria no face.
      Você é ímpar Alê :)

      Excluir
  6. Boa tarde, eu sou Portuguesa e aqui é uma luta ter um blog toda as pessoas tem face eu pergunto tens blog pagina na Internet dizem que sim mas é face, eu não gosto do face book, sempre tive blogs nunca tive problemas com seguidores nem clicarem no google + e comentarios, ontem falei com uma senhora tem uma loja é professora de letras e artesã por gosto tem 2 blogs e face book diz que aqui é um meio muito restrito blogs de reciclagem, e artesã, tem mesmo de ser no face, eu gosto mesmo é de estar sentada na minha cadeira descansada, com o meu blog mas sem face olham para mim e até pareço uuma ET, PORTANTO TENHO FACE E PAGINA NO FACE POR OBRIGAÇÃO.
    Gostava muito que visitasse o meu blog, voçê acredita que fiz um sorteio e ninguém aderiu, porque aqui não existe, é como estar a lançar um produto novo no mercado, agora estou a fazer um bazar via internet, ou pessoalmente, onde em cada venda rever-te, para cestas basicas, as pessoas nem ligam, preciso de publicidade e quase tenho de pedir de joelhos sinto-me frustada, por mim não existia face e só blogs.
    Beijinhos
    Alexandra Melo
    Blogreciclardecorar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Acabou de chegar mais uma E.T. sem face! Não dá. Já me tentaram convencer de várias maneiras, mas não consigo aguentar aquilo. É como diz a Alê: parece que estamos num sítio cheio de barulho e onde a confusão é imensa. Como já tenho o blog, um sítio bem mais calmo, chega-me perfeitamente. Para além de que sempre achei um verdadeiro desperdício gastar mais tempo com o mundo virtual do que com o mundo real, por mais duro que ele seja. Beijos virtuais mas com admiração real por este post!

    ResponderExcluir
  8. Tina, primeiramente, obrigado pelo carinho do comentário lá no Óbvio. Valeu!

    Quanto a sua postagem, concordo plenamente porque a maior parte faz mau uso da ferramenta. Quando você está usando uma coisa porque todo o mundo usa, é uma coisa. Quando você usa porque tem necessidade, é outra. Eu não saberia enumerar as vantagens porque participei dessa ferramenta e só recebi reclamações por não responder os contatos. Então, para mim passou a ser um transtorno. Eu tenho como prioridade bater meu papinho na praça com o Sr. Joaquim e outros "meninos" e também fazer minha visitinha ao pipoqueiro famoso da região. De minha parte, gosto muito mais da conversa olho no olho porque nós temos que exercitar nossas emoções e infelizmente o papo virtual peca pela falha nesse sentido. Muitas vezes a gente se acostuma com os amigos virtuais e consegue perceber se estão tristes ou alegres, mas o recurso para animá-los ainda é muito menos eficiente do que o olho no olho.
    Em resumo: O ter por ter a ferramenta, não é legal. Para grande necessidade, trabalho, ..., cada um sabe como melhor usar.
    O interessante dessa postagem não é criticar a ferramenta e sim dar uma "cutucada" na gente para refletirmos como estamos usando os recursos disponíveis na internet.
    Um abração prá todos.
    Manoel

    ResponderExcluir
  9. Passe por aqui, gostei do espaço, e fiquei.
    Beijo.
    Nita

    ResponderExcluir
  10. Tina, adorei o teor de suas reflexões neste post!
    Por coincidência, talvez, ando um tanto sumida até mesmo do blog (e dos blogs amigos) e um dos motivos é justamente um pouco de "desintoxicação" do mundo virtual. Mesmo o blog, que considero uma excelente ferramenta para troca de ideias, torna-se prejudicial quando vira um vício, algo sem o que não podemos passar um dia. Tanto pior em relação ao "Face" e outras redes sociais! De fato, uma comunicação superficial, um "antro de fofoca" e um causador de muitos mal-entendidos. Lógico que há como se fazer bom uso da rede, mas aquele desespero por estar conectado é que me parece doentio e um desperdício de tempo, de vida! Uma amiga recentemente excluiu sua conta e vive muito bem, obrigado. Tem um monte de amigos presenciais e uma vida social intensa. Quem sabe um dia eu faça o mesmo e descubra que não faz mesmo falta nenhuma? Quem sabe seu post não seja o empurrãozinho necessário? Quem sabe...

    É isso aí, amiga baiana, agora já sabes porque ando sumida: tô vivendo! rsrsrs Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Tina adorei o texto, e realmente o facebook é uma faca de dois gumes, eu tenho e não seria nada sem ele devido ao meu trabalho, pois 80 por cento da minha clientela é agendada por lá, mas tem o lado ocioso de quem usa o face com divã, fofocas, inseguranças, mal humos etc...Eu aproveito o melhor nas dicas culinárias, de trabalho, cinemas, músicas, poesias e sou feliz fechando os olhos para a parte chata rsrsrs.Um beijo e adoro vir aqui!

    ResponderExcluir
  12. Ai Tina,
    Fiquei imaginando a cena: ET, hahaha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Super bom!

    Então, eu mordi a minha língua. até cheguei a escrever um post sobre a minha aversão ao facebook, e acabei abrindo uma conta lá. transito muito pouco por lá, fico assustada com o ego coletivo que o ambiente abriga. o que vejo é justamente isso 'falta de respeito, caráter, preconceitos, fanatismos...'

    O povo quer provar o tempo todo que é politicamente correto, numa desfaçatez absurda. pois a essência tortuosa, cruel e mesquinha, está descaradamente visível.

    bjs meu anjo, e obrigada pelo apoio em relação a minha mãe. estou buscando a mulher-maravilha dentro de mim, porque não está sendo fácil.

    Ah, li teu post sobre Yoani Sánchez e compartilho da tua opinião.

    bjs novamente

    ResponderExcluir
  14. vou excluir o meu logo, logo..
    tbm qro viver sem o face..

    Bjs :*
    Bom Find ")

    ResponderExcluir
  15. KK TINA EU TENHO,MAS è COMO SE NAO TIVESSE, PORQUE QUASE NÃO ENTRO.
    A VERDADE è QUE FIZ PARA FALAR COM MEUS 5 IRMÃOS QUE VIVEM AI NO BRASIL, MAS DEPOIS DEPOIS QUE COLOQUEI O ENDEREçO NO BLOG, MUITA GENTE ME PEDIU A "AMIZADE", E AGORA TENHO 300 AMIGOS QUE NÃO CONHEçO.
    POR ISSO PENSO EM FAZER OUTRO, PARA OS VERDADEIROS AMIGOS

    ResponderExcluir
  16. Tudo é uma questão de medida e bom senso.
    Acredito ser igual a veneno..."depende da dose" rsss

    Uso as redes sociais para contatos e com exposição moderada apenas com aqueles que "quero manter contato".
    Não entro todos os dias e nem me sinto escrava disso.

    Mas muitas vezes percebo que as redes são o meu laboratório pessoal, onde, através da "projeção" uso para me conhecer mais. Quando algo me desagrada questiono...e tenho encontrado respostas bem interessantes com isso.
    É assim que eu encaro essas coisas e a vida.
    Tudo é uma oportunidade de crescimento!
    Basta ter olhos para ver :)

    Não sou melhor do que ninguém por estar nas redes sociais, por detestar o bbb, não gostar de telefone e odiar sertanejo universitário...Mas também não sou pior do que ninguém por isso.

    É apenas uma questão de gosto e de julgar o que é melhor para si no momento.

    Beijos amiga passarinha! Saudades estava de você!
    Sheila

    ResponderExcluir
  17. Eu não tenho Face, Tina. O blog já me toma tempo demais! Amei a propaganda retrô de algo tão moderno. Genial!

    ResponderExcluir
  18. Oi Tina!
    Mais uma ET na sua lista.
    Eu demorei muito pra aderir ao orkut, exatamente por não curtir. Porém, ele me rendeu bons frutos - amizades de infância, reencontros e laços unidos até o dia de hoje.
    Mas, não me enteresso pelo Face, não quero fazer e toda vez que digo que não tenho, realmente os outros acham absurdos.
    O que digo é que cada um tem uma motivação pra isso e eu não tenho nenhuma - passo o dia todo trabalhando no computador e o pouco tempo que tenho fora dele, quero vida de verdade.
    Qdo nossos avôs e bisavôs falavam de robôs, acredito que não eram as máquinas que muitos vêem ou sonham e sim, seres humanos que desconhecem tudo que não seja "digial" ou informatizado, isso inclui as coisas reais, a natureza, os animais e principalmente os sentimentos.

    Ótimo texto, abração.

    ResponderExcluir
  19. Primeiro palmas... depois... confirmações. Viajo pelo mundo da net, mas tenho que adimitir, as vezes fico surpresa com o "apego" de algumas pessoas. Fiz amigos neste mundo cibernético... mas também vi muitas coisas que me deixaram triste...em parte chocada! Acho que a boa e velha moderação serve para tudo na vida... até para informação... Pois, sejamos sinceros, tem coisas que a gente não precisa saber dos amigos... Ui. E como eu digo aos amigos com dedinhos viciados: "- Por favor, devolva sua alma... e larga isso!" ahahahahahahhah Beijos flor!!!

    ResponderExcluir