2 de março de 2013

Números e eu

Falei na terça sobre as nossas relações com as palavras e me ocorreu que os números também tem sonoridade e poesia, mas nos relacionamos mais com eles como referência a datas e simbologias. 
Eu amo particularmente os números 19, 23 e 25, datas de meu aniversário, de meu filho e marido sucessivamente. Dezenove também é o número do dia em que me casei. O número 5 é outra paixão, sempre escolhido em senhas, jogo da loteria. Cinco é o número do dia de aniversário de namoro, sim, sou casada e ainda comemoro aniversário de namoro, da licença?
Esse número da imagem lá em cima é da porta de entrada da casa de Dona Conchita, minha mãe, que já foi minha morada na época do namoro, quando o  número não era esse todo lindo e chique, era de gesso ou cimento, não sei bem, na parede. O que me fez publicar essa foto e deslanchar toda essa história foi ter visto no blog de Gê, uma foto de um número 112 da Vila Madalena em SP, clica aqui para ver e ler a postagem dela cheia de fotos lindas, esse ai abaixo é o tal número 112 inspirador.
A parte engraçada é que eu pedi para minha irmã fotografar o 112 da casa de minha mãe, jurando de pé junto que além da numeração nova do azulejinho havia ainda o número antigo, que vim descobrir não era o parecido com a imagem, era um número nove, duas numerações para uma mesma casa, uma mais antiga e outra depois provavelmente. O 112 era tipo plaquinha, segundo meu marido, eu já não sei mais de nada...rsisos
Enfim, vou lá sempre e o número antigo não está lá a anos e ainda vejo ele, pode? Sim, eu acho que pode, digo isso pois eu tenho um delay, como se diz agora, gíria modernas para lerdeza, atraso.
Se por exemplo, na segunda gaveta do armário ficar panos de pratos e um dia eu tirar eles dali e colocar na terceira gaveta, garantido que serão meses eu abrindo a segunda gaveta em vão. Assim como passei anos fechando o portão da casa de minha mãe para não fujir o cachorro que já havia fugido.
A anos, muitos anos, uns vinte e poucos morávamos em outro número o 104 e pensa que esqueci, que nada, se tiver para vender uma casa 104 e a 103 ao lado eu fico com a 104 sem nem piscar antes de decidir.
Falando em números e eu, não podia deixar de falar do número 7 e isso é fonte de abusos e correlações automáticas por aqui, as vezes dantescas e abusadinhas por parte do senhor meu marido para me abusar.
Sete para quem não sabe nem nunca ouvi falar é um número bíblico, aparece muito nos textos sagrados em sentido numérico, ilustrativo, figurativo e simbólico e é tido como o número da perfeição, da sorte por diferentes credos. Sem falar que sete são as cores do arco-iris, chakras, dias para criação do mundo, dias da semana, sete são os sábios da Grécia antiga, sete ondas se pulam na virada do ano, são sete as notas musicais, os orixás, sacramentos e as primeiras constelações de estrelas.
Depois de toda essas relações com o número sete, encerro com minhas boas vindas ao mês três mais uma vez! Para rimar e reforçar.
Sucesso saúde e números que não sejam somente relacionados a cifras para mim e para vocês.
Que hajam rimas, palavras,  frases, histórias, lembranças, afeto, lá no 112, aqui, ai e no infinito.

12 comentários:

  1. Adorei a história do 112 e achei linda a plaquinha, mesmo que em tua memória ainda esteja a antiga.

    Isso acontece mesmo!

    E quanto ao número 7 é o meu preferido. Sempre gosto dele e todos que terminem com ele.
    Adoro números e suas simbologias pra mim...beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Adorei as fotos e claro especialmente a segunda.
    Mas não poderei comentar muito porque depois de tantos símbolos e números, vou correndo lá na lotérica - 112 - 19 - 23 - 25...
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Paula, isso não é um comentário, é um investimento, kkk!
      Beijo
      Manoel

      Excluir
  3. Bom dia com alegria!

    Quanto a simbologia dos números fique sabendo pelo pai de santo Sr. Sebastião, que viu nos búzios que meu numero é o 7. E eu nem sabia que ele era tão representativo assim mi zi fi!
    Um bom sábado pra vc!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Que história linda! O meu número preferido é 14!

    Meu carinho! :)

    ResponderExcluir
  5. Tina, minha casa é 111. Só "caiu a minha ficha" sobre isso ao ler sua postagem. Eu tenho muitas ligações com palavras e adoro as que você inventa, mas números eu já trato no segundo plano. Não que os deteste, mas já estão comigo a todo instante. Quando fiz faculdade, eu dava aulas de matemática em cursinho (números!). Fiz faculdade de engenharia (números!). Trabalho também com informática (números e lógica!)... Então eu acho que os danadinhos dos números me atropelam um pouco. Tive uma idéia para amenizar isso tudo. Vou me ligar nos algarismos romanos (que acabam virando palavras).
    Um final de semana maravilhoso prá vocês.
    Manoel

    ResponderExcluir
  6. Que bom conhecer um blog aqui da terrinha (a maioria das meninas são do sul e sudeste). Estou te seguindo.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Engraçada sua relação com os números Tina! Principalmente a parte que você diz que entre uma casa de nº 103 e outra 104, você fica com a 104 sem piscar, somente por causa do número!

    Gostei das correlações com o nº 7, nunca tinha pensado nisso.
    Eu não sou muito ligada a números não, prefiro palavras. Na verdade, fujo de números, nunca gostei de matemática.
    Mas enfim, amei sua postagem.

    Beijos no coração e uma semana maravilhosa para todos nós!

    ;)

    ResponderExcluir
  8. Tina,

    Quanto a números de casas, faço das palavras de Legião Urbana minhas: "Já morei em tanta casa que nem me lembro mais..." rsrsrs Verdade, não lembro do número de minhas casas preferidas, que são duas, em diferentes diferentes!!! Eram casas de aluguel, mas acho que não é por isso que não lembro, é porque entre os números e eu falta um pouco de afinidade, de romantismo... rsrsrs E também porque mudei demais nesta vida, precisaria ter memória fotográfica!

    Quanto aos números em geral, o 7 da perfeição, sempre! E, na falta dele, servem os outros ímpares. Só comecei a gostar um pouquinho de pares quando o parto de minha filha, por recomendação da obstetra, foi adiantado em 1 dia e ela nasceu em data par. Mas nada de superstição, não ligo a mínima para isso. Apenas gosto, ou faço alguma forma de associação.

    Beijo pra você, ótima nova semana!

    ResponderExcluir
  9. Xiii, preciso prestar mais atenção aos números. Vou pesquisar para ver. De todo jeito, o número da minha casa é 51, uma boa ideia, não? Beijos, com números de sorte, no coração!

    ResponderExcluir
  10. amiga, adorei o post e obrigada pelo link! Hoje em dia tudo é tão sem-graça, né? O número da casa da gente tem que ter charme, sim senhor!

    Bom, não tenho um número preferido, mas todos os imóveis que tive (e morei) tiveram uma caractéristica em comum: a soma dos seus números dá 9, sem exceção. Minha primeira casa em Salvador era 36, o apartamento era 1404. Depois, em taubaté morei na unidade 162 e aqui em SA, 72. E agora que notei que todos os números eram pares tb!
    Meu medo numa situação dessas é futuramente querer comprar outro e, se não ver o 9 somado na porta, achar que não vai ser, não vai dar, essas coisas!

    beijos querida

    ResponderExcluir
  11. Deve ser por isso que " a barata diz que tem 7 saias de filó"
    Eu gosto muito de saber sobre os números, me encantam, me fascinam e o pior é que tenho muita dificuldade em guarda-los na memória quando se referem a documentos...
    Costumo trocá-los na minha cabeça e faço uma grande confusão com eles, minha família que o diga, ahahaha...
    Acho que números me enlouquecem... Será?
    Bjs

    ResponderExcluir