15 de abril de 2013

Mudanças, hábitos, atitudes

Por quantas ruas passamos, praças, praias
E nada de uma lixeira
Isso na minha opinião não justifica jogar lixo no chão
Nem mesmo um papel de bombom
Tem que segurar ou colocar na bolsa ou deixar dentro do carro
Para jogar em uma lixeira depois
Ruas sujas, bueiros entupidos, alagamentos
Areia, mar, rios, lagos poluídos
Bichos com patas, asas, órgãos entupidos de porcarias
Que seres racionais saíram jogando lixo irracionalmente por ai?
Os humanos. Que vergonha!
Essa lixeira da imagem foi improvisada por um ser realmente humano
Tem duas iguais aqui na ladeira que dá no prédio onde eu moro
Parei de noite para tirar foto com o celular de meu marido
Depois de termos comentado sobre esse gesto voluntário
Que além de pró-ativo é reciclável e civilizado
Vi outro dia na capa de uma revista uma frase de Nizan Guanaes: "Não fale, faça". E tudo na vida, desde de hábitos de consumo a comportamento, dietas, planos e metas, começa de fato na ação. Ainda que seja válido falar e planejar, a mudança acontece de fato com a ação e continuação, que o cérebro percebe e entende como novo hábito e daí em diante se torna automático, involuntário.
Li outro dia em um blog amigo que a China precisa urgentemente mudar os hábitos no que se refere ao uso e descarte de milhares de palitinhos de madeira, os hachis. Desmatamento, lixo, hábito e tradição que precisam de uma revisão.
A natureza agradece por essa mudança e pede também aos americanos para não viverem de babadores para bebês, pratos, copos, paninhos de limpeza e uma variedade incontável, prática e poluente de descartáveis.
O planeta e o bolso dizem muito obrigado ao consumo consciente,  a comprarmos só o que vamos realmente usar, a colocarmos no prato só o que vamos comer.
O nosso eu e os outros agradecem o cuidado com o que falamos, pensamos, fazemos. Se fomos a vida toda agitados demais ou parados demais é possível mudar para o bem da nossa natureza e para o bem comum por consequência e para mudar é preciso começar e fazer da mudança um hábito. Nossos hábitos estão literalmente gravados em nosso neurônios e se mandarmos novas mensagens, arquivos de emendas, cortes, mudanças, eles acatarão. Simples assim!
Se insistirmos o suficiente, dizem os especialistas, podemos transformar qualquer coisa em hábito. E isso vale tanto para o que planejamos de bom, quanto para o que inconscientemente ou inadvertidamente nos habituamos a fazer de ruim.
Nossa mente é um fichário, nós somos os responsáveis pelas fichas. Mãos a obra então e trabalho contínuo para uma boa organização, boas fichas, bons hábitos e uma vida internamente e externamente feliz e comprometida com o bem.

16 comentários:

  1. Falta também muita informação em países subdesenvolvidos como o Brasil e China, muitos nem sabem que reciclar o "lixo" é uma forma de lucrar tb! abraços

    ResponderExcluir
  2. Vou usar um palavra que não utilizamos quando falamos de humanos: adestramento. Saber que é preciso fazer, que é necessário para o bem de todos é de conhecimento de todos. Mas a maioria não faz. Outro dia fui conhecer o novo estádio de futebol que está pronto para a Copa do Mundo e acredite você, não existe uma única lixeira na área do público, que pode chegar a 70.000 pessoas. Pode imaginar o estado que ficou ao final do jogo??? Por isto recomento adestramento, para as pessoas e órgãos públicos.

    ResponderExcluir
  3. Tina, realmente tem que haver uma mudança de cabeças e mentalidades pra coisa funcionar. Enquanto isso, que cada um faça um pouquinho...Já ajuda! beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Tina
    São coisas tão simples de serem entendidas e tão complexas de serem realizadas.
    Lembrei de uma frase: que crianças você está educando pra cuidar do futuro, a frase não é bem assim, mas encerra a problemática básica que é a educação.Sabe...às vezes me sinto desanimada com tanta coisa errada...mas lembro que cada um tem que fazer sua parte, pequena sim, mas tem que ser bem feita.
    Vamos torcer pra que as pessoas mudem pra que o mundo fique melhor.
    bjão e uma ótima segunda.
    mari

    ResponderExcluir
  5. Tina,
    muito bom o teu post.
    Moro em uma cidade (Itajubá-MG) que nos meses de chuva sempre sofre com enchentes, e vou te falar, as maiores perdas nem sempre vem devido ao alto volume da água, é mais o lixo que vem a tona nas ruas que rende prejuízos, doenças, e até morte.
    Meu pai tem um hábito que muita gente detesta e critica, mas que eu me lembro desde sempre como uma coisa boa... Sempre quando andávamos pela rua e ele via alguém jogar algo no chão ele dizia: 'Mais um que deve um pedido de desculpas ao Planeta Terra', rs. No começo eu achava engraçado, por que não entendia.
    Mas isso foi entrando na minha cabeça, e principalmente nos meus hábitos. Hoje ando sempre com uma sacolinha dentro da bolsa, para guardar o lixo até quando chegar em casa.
    Falta mesmo atitude, afinal, acho que todos tem consciência de que lugar de lixo não é nas ruas, nas matas, nos mares...
    O entendimento disso, tinha que trazer mais atitude.
    Mas sabe, iniciativas como a sua sempre tem de acontecer,
    temos mesmo é que falar sempre, afinal, aos poucos acho que a conscientização vai surtindo seus efeitos.

    Um beijo Tina flor,
    e uma linda semana!
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu ando quilômetros com um papelzinho de Trident ou uma garrafa de água na mão, mas não jogo no chão!
    O mundo eh a nossa casa e eu não jogaria nada no chão da minha casa.
    Muitas pessoas infelizmente não pensam assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Hoje, passando por um site de notícias, vi uma declaração feita pela presidente da Petrobrás: "Acho lindo carro na rua... Estou faturando!" E pensei, ao ler o seu post e ver essa imagem: A hulmildade traz atitudes riquíssimas. Já a falta dela, traz uma pobreza de pessoa. Fiquei muito chateado ao ler o que esta senhora disse. Afinal, o que era para ser uma instituição que visa a melhoria dos combustíveis para o mundo respirar, tem sido uma instituição de lucros e mais lucros. E que o mundo se exploda!

    Fazer, essa é a palavra.
    Gostei muito, Tina.

    ResponderExcluir
  8. Tina, excelente a sua postagem. Tenho esperanças que essa nova geração seja muito mais consciente. Tenho observado crianças (14 anos para menos) procurando lixeiras para jogar papéis, recipientes de suco,..., e outros. Vejo também que eles tem cobrado a instalação de lixeiras e tem acontecido. Nos ônibus da cidade já instalaram lixeiras. Percebo que estão sendo usadas e mantidas limpas pelos funcionários da empresa. Quem tem falhado nisso, infelizmente, é a prefeitura. Só coloca lixeiras no centro da cidade e em bairros de alto poder aquisitivo. Pelo menos aqui na terrinha estamos evoluindo. Talvez pela influencia e trabalho de diversas Ongs, professores e órgãos como CTA e INPE.
    Um abraço para vocês
    Manoel

    ResponderExcluir
  9. Oi florzinha, tudo bem?
    Estou passando para conhecer seu blog e adorei!
    Já estou te seguindo e te convido para conhecer meu blog e se gostar me segue também :)
    Super beijinho e uma semana mega cheia de sucesso.

    www.jananogueira.com

    ResponderExcluir
  10. Post incrivelmente verdadeiro Tina!
    Nossa, como somos inconscientes, compramos de mais, muitas vezes não nos importamos de jogar comida fora, ao invés de usar um copo de vidro pegamos copos plásticos e canudinhos... Se não mudarmos nossos hábitos não sei onde iremos chegar, isso é, se chegarmos....
    Sempre leio a respeito e estou tentando dia após dia mudar meus hábitos e conceito, é preciso e com urgência.

    Beijão minha queria amiga, parabéns pelo post! Ótima semana para vc!

    Nanda Pezzi

    ResponderExcluir
  11. Oii Tina, bacana o texto e a iniciativa mostrada, sem duvida criticamos muito e fazemos pouco, falamos demais e fazemos de menos, no meu prédio tem a coleta seletiva, no começo confesso que estranhei, temos que separar todo o lixo no apto antes de desce-lo, agora me acostumei e estranho qdo não vejo as pessoas fazendo isso, acho que tudo é uma questão de conscientização e trabalho pesado em cima de campanhas! abraçossss

    ResponderExcluir
  12. Oi Tina, concordo plenamente contigo, cada um fazer um pouquinho por si e pelos outros e tudo vai se organizando.
    Bjks e otima semana

    ResponderExcluir
  13. Olá Tina querida, como vai você? Verdadeiro... a gente fala muito e faz pouco. Temos que fazer a nossa parte e se todos pensar assim ainda tem jeito né? Beijos querida!


    ResponderExcluir
  14. Assino embaixo de tudo que vc falou amiga. Outro dia vi uma mae com duas filhas comendo no onibus e assim q terminaram descartaram tudo pela janela, tipo bem natural. Me envergonhei por essa mae e me entristeci por essas crianças que ja aprenderam que o mundo eh uma grande lata de lixo. :(

    ResponderExcluir
  15. Tina adorei a tua foto e a ideia e a execução da mesma. Ação, atitudes, empenho e hábito; não podemos deixar isso só para o poder público, afinal compartilhamos o mesmo planeta!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Excelente post...
    Beijo
    Lita

    ResponderExcluir