24 de abril de 2013

Sobre decisões

Eu por aqui decidi aderir a economia de pensamentos, um método inovador, que me ocorreu e que estou desenvolvendo e aperfeiçoando para as situações em que ouvimos, vemos, sabemos de coisas absurdas, comentários, declarações, comportamentos que é melhor não pensar o que levam as pessoas a serem assim.
Quem quiser pode testar, experimentar e comentar caso já tenha alguma experiência no tema. Aceito sugestões para essa proposta e prática de não pensar nos porquês, de não tentar entender, explicar, julgar, economizar de fato os pensamentos e as palavras, principalmente sobre assuntos polêmicos, confusos e sem explicação aparente.
A ideia é zelar pela sanidade mental, física e o perfeito alinhamento dos chacras. Render só o que for agregador. E tenho dito.

14 comentários:

  1. Está mais que certa. Ando agindo da mesma forma. Não lembro quem disse que "quando a ignorância fala, a inteligência se cala". Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Tina
    Há um certo tempo deixei de me perguntar o porquê de certas coisas...mt vezes n resolve nd e nos faz sofrer!
    Gostei mt do post de hj!

    Bjoooooooo

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.b

    ResponderExcluir
  3. Tina,
    Acho que hoje isso caiu como uma luva pra mim. Tô precisando cuidar mais da minha sanidade mental. Acho que vou seguir seu conselho, começando hoje.
    Um beijo querida,

    ResponderExcluir
  4. Escolher o recheio que vamos colocar em nossos dias!!! Legal! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Nice post & great blog!
    Maybe we follow each other !?
    Let me know :)

    www.YulieKendra.com

    ResponderExcluir
  6. Não sei qual foi a abelha que ferroou e fez surgir esta tempestade. Mas você está certa e eu acabei de postar um comentário na Rovênia contando que descobri o botão do liga e desliga, para ser usado em situações assim. Não sei quanto vai custar o seu uso porque ainda não recebi a conta. Mas funciona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem ferroadas, apenas precaução.
      Melhor berrar e reclamar ou calar, antes de se machucar :)

      Excluir
  7. Bem... Se entendi eu diria que, têm pessoas que criam um personagem inconscientemente de si próprio, alguma coisa que gostaria de ser. E nada melhor que a convivência para que percebamos isso. Tem coisa que só basta observar para perceber, por exemplo, pessoas que dizem odiar o sol e vive com lindo bronzeado dourado do sol e tantas outras coisas simples de se ver. Acho que não podemos nos entregar de todo a todos, mas também não precisamos andar de armaduras, decepções existem até a gente perceber q muitas das vezes também criamos muitas expectativas nas pessoas.
    E como dizem os grandes filósofos:
    Excesso de expectativa é o caminho mais curto para a frustração.
    Martha Medeiros

    Uma vez que você abandone as expectativas, você aprendeu a viver.
    Osho

    Quando não há expectativa também não há desilusão
    Jaqueline Moreira

    Desculpe se falei bobagem!
    Beijos!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou e disse, recheou e decorou o bolo :)

      A decisão na verdade não é para pessoas específicas ou situações reais, ainda que também se aplique a elas. Mas para coisas por exemplo que ouvimos na tv, que ouvimos falar, que sabemos e ficamos cabilando como diz minha mãe. Encafifadas, para usar uma das palavrinhas da vez por aqui.

      Tá parecendo um café filosófico isso aqui...rsrs
      Cadê vc Camomila Rosa, que adora, para participar?

      E não me ocorreu nada hoje, nem ontem, a decisão é continuada, fruto de vivências e observações individuais e coletivas.

      “A medida que vou amadurecendo, presto menos atenção ao que os homens dizem. Simplesmente vejo o que fazem.”
      Não sei quem disse isso, mas tenho aqui guardado na minha lista de citações.

      Prestemos pois atenção, economizemos pensamentos e caprichemos nas ações :)

      Excluir
    2. Na realidade não consegui interpretar muito bem o texto... Sou lenta! rsrs
      Estou que nem coruja nesse café filosófico de olhos arregalados e virando a cabeça e prestando a atenção a cada comentário... ADORO!
      Hoje não saio daqui.... A proposito tem chá?

      Excluir
  8. Tina, só tu mesmo, pra levantar tal tema.

    Eu tento fazer isso de vez em quando. justamente quando vejo pessoas se anulando para idolatrar outras. e a ciranda aumenta.
    no questions, no sense, no notion... apenas seguem...

    por onde anda a razão?

    estou tentando zelar pela minha sanidade mental. tento fazer ouvido de mercador para certas idiossincrasias, especialmente no âmbito das religiões.
    onde a faca fica cada vez mais amolada...

    Socialmente,percebo o homem cada vez mais escravo de si próprio. as necessidades fundem-se com os alimentos para o ego. não se discerne mais. bem observado por Aldous Huxley: "A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer coma fuga. um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão."

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Isso mesmo, muita coisa nao vale a pena a gente pensar, indagar, querer saber o porque...
    Vamos nos libertar disso tudo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Tina, o Novo Testamento nos aconselha dizendo para a gente "não dar pérolas aos porcos". Pelo que você percebe, esse tema já vem de longa data. Então, como disse a Beatriz, vamos usar e abusar do nosso botãozinho "on - off".
    Um abraço
    Manoel

    ResponderExcluir
  11. Penso que talvez, o excesso de questionamentos está diretamente ligado a falta da verdade, da objetividade.
    O caminho existe, porém, muitas vezes preferimos pegar um atalho.
    saudades de guria!
    ;)
    ;*) \Q/

    ResponderExcluir