6 de maio de 2013

Mané, José e Eu

Nos áureos anos 80, Millôr Fernandes começou a mostrar ao público, em suas colunas nas revistas Isto é, Veja e no Jornal do Brasil, a poesia de Manoel de Barros e a partir de então o poeta saiu da toca e com 80 anos escreveu seus primeiros 10 livros, como um coelho paridor de frases, poemas, filosofias, histórias e sabedorias.
Assisti semana passada a um documentário exibido no canal Cine Brasil, sobre um outro escritor que gosto muito, José Saramago. Um pássaro arisco e politizado que revelou e criou muitas histórias, metáforas e reflexões.
Pena que não se pare como coelhos Manés e Josés. Estão mais é para espécies em extinção, ou vivem escondidos por ai, além dos holofotes e buscas no Google.
Eu tinha planos de ter um autógrafo de Saramago em um de meus livro, só em outro plano agora. De Manoel, não quero autógrafo, mudei de planos, mandarei uma carta para ele, já recebi até por e-mail o endereço. Farei um desenho talvez e de mim para ele, não ao contrário, uma dedicatória, recado, história, carta, que ainda não escrevi, mas já me sinto importante e feliz com o plano de fazer. Tenho candor por bobagens, como diz ele.
Manoel e José, dois nomes tão simples, duas criaturas tão ímpares que em suas palavras dizem além do que elas significam e os significados são muitos ou únicos e funcionam como cutucadas em nosso coração, alma, saberes, no nosso íntimo, no mundo e nas suas mazelas e belezas, na observação da natureza, das coisas e dos homens.

13 comentários:

  1. Interessante teu texto hj!
    Estou falando sobre escritor hj ni blog tb!
    Como pretendo ser uma, entrei de cabeça nesse maravilhoso mundo!

    Beijos!

    www.culturaviciante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Muito legal e que bom cutucadas assim no coração.Sempre fazem bem, sejam por mio de Manoel, José ou Tina,rs. beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Sempre textos inteligentes Tina!

    Ótima semana pra vc!

    Bjooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Amiga, aqui perto de Brasília, em Goiás Velho, ainda existe a casa de Cora Coralina. Doceira e poetisa de alma e que também encanta.

    Dela para você:
    "Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
    Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove." :)

    ResponderExcluir
  5. Gostei do seu projeto de enviar uma carta para o seu escritor favorito. Faça linda, do jeito que o seu coração pede. Já imaginou a satisfação de quem escreve saber como é recebido pelos leitores. Como as suas palavras conseguiram mudar, modificar e engrandecer pessoas por aí. Pode ser que ele não responda. Pode ser que ele inicie aí um diálogo que vai unir paisagens e vivências tão distintas. Mas não importa quais serão as consequências porque fez o que desejava fazer. O que era preciso ser feito.

    ResponderExcluir
  6. acho que o poeta vai ficar feliz, com essa sua iniciativa, no tempo de internet, e cabos e fios, receber uma carta, algo feito com as maos, co m o coração,
    para um nostálgico è algo impar.

    baci

    ResponderExcluir
  7. Tina, com toda certeza ele irá ficar encantado com sua carta. Quando escreveres mostra pra gente. E se ele responder também... Vou amar!!

    Amiga linda e querida, te desejo uma feliz semana. Que seus desejos se realizem, torço de mais por vc!

    Beijão

    ResponderExcluir
  8. Certamente ele ficará feliz ao receber uma correspondência sua. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Também assisti ao documentário sobre José e Pillar. Ha muito esperava esta oportunidade de conhecer um pouco mais deste amor e fiquei muito emocionada. Sobre o desenho para Manoel tenho certeza que será uma emoção para guardar no baú de tesouros preciosos e sem preço.

    ResponderExcluir
  10. Saramago tem o dom de fascinar quem o lê, que se intera de sua vida, de sua escrita.
    Manoel da mesma forma!
    E como você disse Tina, pena que como eles não aparecem e nascem tantos por aí!

    Muito bom o post!

    Um beijo,
    e uma feliz semana!
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ainda não li nada de Saramago.
    Estou é inebriada de Manoel de Barros. Manda a carta cheia de passarinhos e sopro de carinho. Ele irá amar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Não sabia que o Millôr foi 'padrinho' do Manoel (olha a intimidade). Achei o máximo!
    Ainda não li Saramago. Tenho já algumas indicações.

    Uma semana bem feliz para você! :)

    Abraços,
    Carol
    Um blog simples
    Facebook

    ResponderExcluir
  13. Tina, ótima a sua idéia. Manoel de Barros irá adorar (também assisti ao programa na Tv Brasil). O Millôr teve que pegar Manoel meio que à força porque se dependesse dele, estaria no anonimato até hoje. Ele não precisa e não gosta de muita badalação porque a arte da escrita flui nele normalmente. Já faz parte dele.
    Um abraço
    Manoel

    ResponderExcluir