7 de maio de 2013

Psssssss

A palavra silêncio deriva do latim silentiu e significa “interrupção de ruído”. Isso de o que é ruído está muito questionável nos dias de hoje, tem gente por exemplo que ouve e curte sons que julga ser música e que outros julgam ruído. Tem os ruídos do trânsito, de aparelhos e pessoas em casa ou no trabalho, barulho de obras e tantos outros
O post que está programado para amanhã, fala sobre escutar, que invariavelmente pede silêncio. E temos feito pouco silêncio e escutado pouco. Vale pontuar que ouvir é uma coisa e escutar é outra. Em algumas civilizações, o silêncio é um importante elemento cultural, espiritual e comportamental, praticado livremente e por vezes imposto, para ensinamentos diversos. No filme Comer, rezar e amar, há uma passagem sobre a prática zen e benefícios do silêncio.
No antigo Egito havia um “Deus” do silêncio chamado Harpócrates, com posição de dedo na boca como a das imagens clássicas de enfermeiras. Dentre os gregos, Orfeu, com magia, canto e tocando sua lira, silenciava a natureza e a tudo magnetizava.
Falando em enfermeiras, hoje em dia não há silêncio,respeito, educação nem elegância, seja em hospitais, velórios, cerimônias, reuniões, apresentações teatrais, cinema, elevadores. Todos estão sempre falando, desrespeitando as pessoas, na maioria das vezes com o bendito celular que é um disseminador de ruídos, sejam pelos seus toques e musicas ouvidas pelos usuários indiscriminadamente, seja pelo blá blá blá a qualquer tempo e hora. 
Sem falar da falta que somos para quem esta ao nosso lado quando disponibilizamos maior atenção a quem não está, seja ligando, trocando mensagens ou vendo e compartilhando coisas. Quem está a nossa frente é desprestigiado e se faz o silêncio ruim, o silêncio que nos afasta e desumaniza. 
Ouvi um nome muito interessante dentro desse contexto para as redes sociais, elas podiam passar a se chamar redes anti-sociais, como esses programinhas de bate bato, por onde se dá parabéns, pêsames, envia-se convites, notícias importantes e acha-se que está de bom tamanho.
Voltando ao silêncio, isso também acontece muito, agente vai falar de uma coisa e vem mil coisas a cabeça e privamos os outros do silêncio, não por querermos convencê-los de nada a força, nem exaurir nossos argumentos, é o mau hábito mesmo de não respirar, de falar enquanto o outro ainda esta pensando, ou querendo falar também.
O budismo valorizava muito o silêncio como condição para a contemplação, internalização, compreensão, evolução. A meditação, bem como a yôga nos educa muito nesse sentido. Calar, respirar e pausar.
Vivemos num mundo agitado, confuso, poluído sonora, visual e mentalmente. Então celebrar um pouco de silêncio é precioso e como descobri que 7 de maio, hoje, é o dia do silêncio, não descobri porque, resolvi dividir a descoberta com vocês e recomendar o uso do silêncio em nosso favor e do coletivo.

12 comentários:

  1. [falando bem baixinho]: alguns silêncios fazem muito barulho dentro de nós...

    Abç!

    ResponderExcluir
  2. Oii Tina, verdade o que falou, lembro dos hospitais em completo silencio nos corredores, hj em dia não é bem assim, mesmo em velórios, são tantos casos que as pessoas querem contar sobre o morto que vira um burburinho só!Em muitos momentos das nossas vidas prezar pelo silencio as vezes é a atitude mais inteligente! Bjoooosss

    ResponderExcluir
  3. Adoro o silêncio. Para muitos ele pode ser opressivo. Alguém já disse que "é difícil interpretar o silêncio", mas para mim o silêncio é uma boa companhia. Sou a favor de que devemos falar menos na tentativa de mostrar o que somos porque é somente o nosso comportamento que vai dizer quem somos.

    ResponderExcluir
  4. Sabe, ouvi de uma amiga fonaudióloga que muitos que voltaram a escutar, graças a tecnologia desses aparelhinhos auditivos, acabam por dispensá-los. Acostumaram-se ao silêncio. Já reparou que não ouvimos um som apenas, mas a soma de vários. Isso deve mesmo ser ensurdecedor para que sempre teve o silêncio. :)

    ResponderExcluir
  5. Tina...minha querida Tina Flor! (Que passa? te achei hoje um pouco borocoxô - assim dizemos quando sentimos que a pessoa está meio triste ou para baixo). E olha que estou a milhas e milhas distante, hehe! Obrigada por passear lá por casa! E eu por aqui me vejo no momento silêncio. Concordo plena e totalmente com tudo que você disse sobre o bate papo virtual e a poluição sonora e também visual que cansam muito a mente e quando chegamos no final do dia sentimos aquele zumbido profundo na cabeça que parece uma geladeira quando liga. Enfim...quero me acostumar cada vez mais ao silêncio e procurar por ele...pois hoje temos que procura-lo!
    Beijos Tina Flor...alegrias, maresias e boas energias!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  6. Precisamos dele. Noto que há horas que não quero nada perto de mim que faça barulho... ( com Neno ao lado fica difícil,sr_)
    É importante conseguirmos, nem que seja um pouco! beijos,chica

    ResponderExcluir
  7. Celebrar o silêncio! Que dia importante e que maravilhoso que você descobriu esse importante dia.
    Precisamos aprender a silenciar. Lembro-me de um filme japonês que assisti em que duas senhoras se visitam e ficam sentadas uma frente a outra em silêncio. É estranho porque não praticamos muito.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Tina
    Estou um pouco ausente dos comentários, sem tempo mesmo,procuro entao ler os post's anteriores pra acompanhar o que sente observa e escreve. Gostei também dos anteriores, sobre Saramago Manoel de Barros grandes poetas.
    E os ruídos? nossa , como tantas vezes irritam! e é a a melhor hora pra valorizarmos o silêncio que trás calma reflexão e sabedoria.
    Quem ouve mais do que fala é sempre mais sábio _ o silêncio ensina.
    Obrigada e deixo abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá querida tina
    Procuro intercalar o silêncio com a necessidade de estar falando e tem dado certo.... quando preciso falar muito, em seguida, vêm meus momentos de deserto... providencio... porque necessito...
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  10. Tina, em homenagem ao Dia do Silêncio eu gostaria de citar Camille Berguis:
    "No silêncio só se escuta o essencial"

    Até acho que isso serve para todos os dias, mas... o Camille falou, está falado!

    Abraços

    Manoel

    ResponderExcluir
  11. http://estiilogarota.blogspot.com.br/ segue ?

    ResponderExcluir
  12. O silêncio da boca ou até mesmo das atitudes, auxilia muito nas observações. Eu, por exemplo, tenho momentos e momentos. Como um "fiel" usuário do transporte público, voltando da aula, percebo muitas atitudes a minha volta, ouço histórias alheias pela altura em que são contadas. Permaneço no silêncio e acabo encontrando uma nova ideia para crônica, por exemplo. Há momentos, porém, que gosto de me desligar e ouvir música calma, percebendo apenas o meu silêncio interno. Daí saem conclusões sobre mim. Não viram crônicas, mas me ajudam a refletir sobre minha vida, o que é sempre necessário.

    ResponderExcluir