4 de maio de 2013

Ser poliglota

"Minha pátria é minha língua
Flor do Lácio
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode esta língua?"
Caetano
 "Criar meu web site
Fazer minha home-page
Com quantos gigabytes
Se faz uma jangada
Um barco que veleje
Que veleje nesse informar"
Gil
Eu ontem proseei aqui com vcs sobre ter orgulho de meu nordestês, mas digo isso com o reconhecimento cultural do vocabulário de meu lugar e com o devido valor, uso e conhecimento do português correto, da linguagem oral e escrita adequada a outros meios, como o acadêmico e o profissional. Ainda arrisco  de  lambuja, no internetês, motivo de orgulho dos jovens e conectados. Acentuar, pontuar, saber a origem das palavras, derivar, conjugar, saber termos formais, a meu ver, é atemporal.
Chamei Caetano e Gil para dar uma palavrinha sobre isso, através dos trechos acima e escolhi a imagem como recado para nosso uso tanto da língua local, como do bom português, inglês, abreviações, códigos, símbolos, linguagem internética, clássica, musical e poética.
Sejamos poliglotas de estilos, porque quem sabem mais, entende mais, se explica melhor e tem mais horizontes por dentro e por fora.

13 comentários:

  1. Lindo post e temos que estar bem antenadinhos, saber de tudo um pouquinho pelo menso! beijos,lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Tina, isso seria ideal, seu post está perfeito!! Mas na nossa sociedade brasileira, que a maioria não sabe o português básico!!
    Abraços.Sandra

    ResponderExcluir
  3. Tina, é isso mesmo. Temos obrigação de sermos completos nesse .sentido. Temos que ir arriscando, estudando, nos ajudando e aprendendo porque conheço muitas pessoas simplórias que não se comunicam porque tem vergonha de falar algo errado. Se sabemos mais que elas, em vez de ridicularizá-las, temos obrigação de ensiná-las, não é mesmo?
    Muito bacana essa postagem, Tina.
    Ótimo final de semana pra vocês
    Manoel

    ResponderExcluir
  4. Tina, estás certíssima! Precisamos ser poliglotas,entender pelo menos um pouquinho do que se fala aqui e acolá. Tenho paixão por idiomas em geral, logo estarei me arriscando em novas línguas... Mas, como já foi pontuado aqui, antes de qualquer outra coisa, precisamos dominar nossa própria língua! Não adianta fazer bonito junto aos 'gringos' e fazer fiasco diante dos conterrâneos! Ainda assim, para mim o que mais vale é a comunicação estabelecida, cada um se expressando conforme suas possibilidades e capacidades. Gil transmitiu algo assim, quando mencionou o barco que veleje... Conhecimentos são sempre bem-vindos, em todas as áreas!
    E o internetês hein! Domino o Inglês, algo de Espanhol, me arrisco até no Francês... mas meus filhos pequenos me dão show no internetês! rsrsrs Preciso aprimorar minhas habilidades por aqui... Beijoca!

    ResponderExcluir
  5. Tina, adoro idiomas, em geral, se pudesse falaria MUITOS, hahahahahaha. Minha grande vontade é o francês e a última tentativa foi o chinês no ano passado (difícil pra cacete...).

    Acho o português uma das línguas mais bonitas que existem, quando bem falado. Adoro o sotaque nordestino, eu tinha bastante sotaque baiano quando morava aí e usava muitos termos locais também, mas com o tempo fui perdendo tudo isso.

    bjs, adorei o texto

    ResponderExcluir
  6. :)
    Estou aprendendo também e até arrisco um internetês vez em quando!
    Bom final de semana.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olha... Eu não suporto o internetês não... Não tenho paciência e acho feio. Sério. E tenho dó das crianças e adolescentes de hoje em dia (boa parte deles) e alguns adultos também que vejo que já não sabem escrever direito, ainda caem nesse internetês "i aih ki sai tudu erradu mesmu".
    E a coisa só piora a cada dia, não quero nem ver onde vamos parar, se é que vai parar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Acho que devemos conhecer um pouco de tudo: idiomas, internetês, abreviações...
    Gosto de ler, escrever e conversar.
    O delicioso disso tudo é saborear a mistura de idiomas, sotaques e diferentes tipos de linguagem.
    Bjoks

    ResponderExcluir
  9. Muito bom!
    eu prezo pela língua portuguesa, procuro escrever direitinho rs as vezes pareço um peixe fora d'água em alguns ambientes virtuais.
    mas não sou xiita rs daí que sucumbi ao internetês. mas insisto com meus filhos para que não 'emburreçam' com a internet, que leiam bastante e cuidem dos exageros.

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Sabemos que para crescer não podemos ter medo do novo, do diferente. Se rejeitamos e não queremos nem conhecer, saber e ainda ter raiva de quem sabe, vamos ficando cada vez menores.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia querida Tina, li sua postagem de ontem, como li outras enqto ausente do meu blog. Apesar de ter estudado Letras, o meu português hoje é ruim apesar de gostar demais de uma língua bem escrita e falada. Hoje minha mente se divide entre ingles e portugues, ainda bem q existe o Google Translator & Google Search pois do contrário seria + difícil ainda escrever em meu blog. Ter a mente aberta, buscar conhecimento é algo que enriquece nossas vidas, mas me irrita muito ler em revistas e blogs brasileiros como várias palavras portuguesas estão sendo substituídas por palavras inglesas. Entendo qdo falam 'email' no Brasil (muito embora vou lhe contar uma coisa: parece q ninguém pronuncia essa palavra corretamente no Brasil, até na TV ela é pronunciada errada) - uma palavra moderna, mas substituir a palavra 'tigela' por bowl é simplesmente ridículo e irritante.

    ResponderExcluir
  12. Quero um teclado desses... Beijos e bom início de semana, amiga. Que o português nos ajude dos atropelos a que estamos sujeitos. :)

    ResponderExcluir
  13. Concordo com você Tina.
    Reconhecer o "internetês" é importante.
    Mas valorizar e usar corretamente nosso idioma também é.

    bjo.

    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir