5 de junho de 2013

Taboca e acaçá

Taboca para o dicionário é uma palavra de origem tupi, que significa: planta oca, sem nó; uma vara verde encontrada nas florestas brasileiras. Para mim é o nome de uma gostosura de infância, com formato dessa planta (tipo um tubo de uns 15 cm), um folhado fininho e doce, que desmancha na boca e o gosto é parecido com casquinha de sorvete.
A tinoca aqui, quando o vendedor passava tocando o triangulo, com as tais tabocas em saquinhos transparentes, dentro de latões de manteiga emendados como na imagem, transformados em porta tabocas delivery, sacudia as pernocas e a fralda no berço no ritmo do tim, tim, tim tirim tim tim.
Não sei se existem além Bahia, procurei na internet essa informação e não achei nada além de referências daqui sobre tabocas. O que sei é que ando numa de falar de comer por aqui que vocês já podem pegar um caderninho e anotar o que vão comer quando vierem a Salvador além de acarajé.
Lamento dizer que é difícil hoje passar um vendedor de taboca, mas se você ouvir um triângulo ritmado ou ver o nome já sabe, eu recomendei, corre e compra e se prepara para meleira e colação no céu da boca.
Tem uma outra iguaria que passava vendendo nas ruas antigamente que nunca mais vi, acaçá o nome. Quando eu ouvia o homenzinho que vinha com um tabuleiro apoiado em um torso na cabeça gritando: "Olha o acaçá! Tem de leite, tem de milho oiá!". Eu, nessa época já aborrecente, saia desembestada atrás de pedir dinheiro para comprar. Adorava e comia feliz e faceira, sem ponderar , nem perguntar do que foi feito, se engordava, se era feito de forma higiênica e estou aqui vivinha da Silva, graças a Deus e aos anticorpos.
Pesquisando imagens e informações sobre o acaçá descobri que é um quitute típico do candomblé, como o acarajé e o abará. O acaçá que me dá água na boca só de falar o nome é uma pasta de milho branco ralado ou moído, envolvido, ainda quente, em folhas de bananeiras (adoro essa parte, pelo cheirinho, saborzinho e beleza), que para os rituais da religião tem toda uma preparação ritualística e significados.
Voltando as tabocas, dia desses passando a tarde na casa de minha mãe resolvi atravessar a rua para comprar do outro lado, numa barraquinha de lanches, uma   saltenha. Entre abrir o portão e dar dois passos até a barraquinha eis que ouço o som familiar da musiquinha do triangulo e sem pestanejar berrei o vendedor: "Moooço!"
Música, latas com o nome da manteiga, sem pinturas ou adesivos, o senhorzinho com o boné do Vitória (meu time), a imagem das tabocas saindo das latas, o preço convidativo, juntando tudo comprei dois pacotes e esqueci da saltenha.

21 comentários:

  1. Tina, quando eu for a Bahia, você me leva para experimentar essas coisas todas? Você falando e eu aqui comendo meu queijo-quente. Texto mais gostoso! do mundo! :)

    ResponderExcluir
  2. Que delícia deve ser! Fiquei imaginando a alegria ao reencontrar, na visita à tua mãe o barulhinho que leva à gostosura...beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  3. Tudo novidade para mim! já está anotado na moleskine genérica que é para não esquecer, junto é claro com a pipoca com fitas de coco por cima.
    Magali ritmada hein? E o bom paladar já vem de berço!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina,
    Pelo que você descreveu, aqui no sul tem/ ou tinha também e se chama barquilha, mas é enrolado quase como um triângulo, uma delícia mesmo...
    Sobre o acaçá, o mais parecido que eu já comi, foi pamonha...é parecido?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece um tantinho.

      É uma massa prensadinha como a da pamonha, enrolado em folha como ela, só que a folha da bananeira passa um pouco o gosto dela para o quitute e a do milho já tem o mesmo sabor da pamonha.

      A pamonha tem uma consistência encorpada. Já o acaçá é mais leve e cremoso.

      Eu sempre escolhia o de leite e o sabor pra mim é algo entre de mingau de maisena a cuscuz de tapioca.

      Excluir
    2. TABOCA... sendo argentina e morando cá, na Argentina, um músico do SASDERBA antigo... clube onde rolava chorinho, sorprendeu-se por eu ser doida por TABOCA. Cá va uma receita que poderia te ajudar nas tuas saudades. Efetivamente, na Espanha, chama-se de "barquillo". Na Argentina nem sempre rola. Em sorveterias... quem sabe... algumas. E sim.... EU NAO ESQUECO DO TRIÁNGULO... VOU SEGUINDO O SOM!!! lindoooo!!! http://misrecetasfavoritas2.blogspot.com.ar/2009/12/barquillos-de-vainilla.html?m=1

      Excluir
  5. Nossa que mágico isso!
    Ser transportada para infância dessa forma é delicioso!

    Adorei esse texto!
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. Oi Tina
    Bem dizem que a Bahia é mesmo outro País hein? nomes de guloseimas que nunca ouvi falar ... rs e imagino pela descrição que não é de se perder.
    Por aqui temos o 'quebra-queixo' um doce feito de coco e meio puxa-puxa mas bem gostoso também.
    Gostei de conhecer a 'taboa' e o 'acacá' maneiríssimos!
    deixo um abraço,
    adorei a crônica docinha.

    ResponderExcluir
  7. Ana Maria Braga tá perdendo pra vc!
    Aff nem conheço as gostosuras e já fiquei com água na boca.

    Beijos flor!

    ResponderExcluir
  8. Imagem linda!
    Gosto e admiro esses vendedores de comidas típicas que mantem preservados toda uma história e tradição.

    ResponderExcluir
  9. Estas memórias gastronômicas nos perseguem a vida toda. Agora, como fazer para não engordar???

    ResponderExcluir
  10. Fiquei curiosa para saber como é... e que gosto tem!
    Mande por sedex minha amiga-passarinha-flor
    Bjs com direito a chuvinhas de alpiste para dourar seus cabelos! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://misrecetasfavoritas2.blogspot.com.ar/2009/12/barquillos-de-vainilla.html?m=1

      Excluir
  11. Olá , pela descrição, parece ser o famoso Biju , os vendedores passam com o triângulo, chamando a atenção das pessoas e os enroladinhos, saquinhos nos saquinhos transparentes... Minha mãe adora, meu filho tb, Ah. Moro na cidade de sao Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim é o biju, que é o cavaco chinês :)

      Vlw pela participação e visitinha
      Volte sempre!

      Excluir
  12. Tina, que legal! Aprendí mais uma. Pelas características que você deu, temos aqui em São Paulo com o nome de bijú. Dei uma procurada no "tio google" e achei isso:

    Biju
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Nota: Se procura o bolo de goma feito com massa de mandioca, veja beiju.

    Biju, cavaco-chinês ou taboquinha é um biscoito doce, crocante e quebradiço feito com uma massa seca de polvilho ou de farinha de trigo, untada em margarina e preparada em formato tubular (como um canudo) com auxílio de uma prensa. Antigamente encontrado em vários locais do país; hoje é muito comum somente no Nordeste; normalmente são vendidos por vendedores ambulantes que anunciam sua presença com matracas improvisadas ou triângulos, e os acondicionam em latas ou em saquinhos plásticos.

    Acho que é isso, né? Pelo menos o triângulo é tocado nas caminhadas do vendedor.

    Vivendo e aprendendo, não é amiga passarinha?
    Vlw!
    :)

    ResponderExcluir
  13. Pesquisei pela imagem, que pela descrição fiquei meio na dúvida e o tal cavaco chinês é um outro nome da tal taboca.
    Descobri na pesquisa que o triangulo é tb chamado por ai de tinguelingue, que é mais ou menos o som da musiquinha tocada.
    Vlw pela informação. Gostei!

    ResponderExcluir
  14. É legal conhecer um pouquinho da Bahia por aqui. Você representa muito bem sua terra. Me deu água na boca, confesso. Meu café da manhã hoje foi corrido, ainda não mordi nada. Numa hora dessas, no abismo que há entre o "agora" e o meu horário de almoço, essa tal de taboca me tirou a concentração...

    ResponderExcluir
  15. Oi Tina.
    Gostei de saber mais sobre a Bahia.
    Por aqui também passam esses vendedores, embora não vendam essa Taboca.
    bjo

    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Aqui no Rio também tem, mas chamo de canudinho. Na minha infância vinha um moço, tocando matraca e vendendo canudinho doce e pirulito de açúcar queimado. Boas lembranças!
    Bj

    ResponderExcluir
  17. Às vezes os vejo pelas ruas.
    Uma iguaria gostosa,leve.
    Uma lembrança, uma imagem da cidade.

    ResponderExcluir