30 de julho de 2013

Indicações com boas intenções

Estava eu andando pelo shopping, quando o letreiro da loja me fez olhar para trás e chegar mais um pouco para trás para ler tudinho pois o nome era grande: Quem disse Berenice? Quem disse que nome loja não pode ser uma frasee interrogativa? A loja é de maquiagem e o Google disse que é do grupo O Boticário. O porquê do nome? Não descobri (ainda).
Já que estou fazendo merchan free ilustrei a postagem com uma propaganda da Imaginarium que adoro e de quebra vou indicar uma loja onde comprei uma camiseta que tem escrito: "Pense fora da caixa" e lá ficaram muitas com frases de Drummond, Clarice, outras personalidades, poesias, estampas de filmes, passarinhos e fofurices. Mito é o nome da loja.
O ministério dos bons conselhos adverte: fazer boas recomendações faz bem a saúde. Por isso para completar o momento indicações, tem livro novo de Martha Medeiros saindo do forno. Aos leitores virtuais que comentam, compartilham, gostam de seus textos e sempre tem alguma relação pessoal e terapêutica com as suas crônicas, vale o investimento. Ter a leitura ao alcance das mãos, na estante, na cama, numa sala de espera, fila, vai um pouco além do contato apenas virtual com seus escritos, sem falar que adquirir o livro, a meu ver, é um reconhecimento ao trabalho  da escritora.
Eu já garanti o meu, reservei antes mesmo do dia do lançamento, me achando a fã. Alguém ou muitas pessoas podem dizer: - Essa mulher deve gastar a beça com livros! Não! na verdade não gasto muito, nem a metade do que desejo e gasto com lanches, transporte e outras necessidades e extravagâncias.
Tem também que não entende e desaprova divulgação de graça e sem o conhecimento dos divulgados. Não quero reconhecimento, cartaz ou vitrine, se me derem também não recuso...muitos risos. Eu acho que assim como tenho envolvimento com autores de livros, projetos, produtos de pessoas próximas que divulgo e que divulgam o que produzo, ter pessoas por ai divulgando por iniciativa própria o que acham legal sem ter envolvimento pessoal, é um leva e trás positivo e ainda que haja todo um staff por trás de algo, o velho boca-a-boca é sempre bem vindo.
De fato, minha intenção com divulgações seja do que for, é de que as pessoas se inspirem, se enfeitem, comprem mais livros, vejam filmes de qualidade, façam programas culturais,produzam algo e com isso se transformem, agreguem valores as suas realidades e ao mundo.
Voltando a Martha, seu novo livro se chama: A graça da coisa. Amei a capa preta e branca com um catavento colorido, amo cataventos e vou devorar cada crônica assim que der conta dos livrinhos que estão na fila de espera de minha leitura.
De aperitivo, pescado na internet,  segue trecho de uma das crônicas de uma escritora de apartamento, como eu, como muitas(os). Quem me dera uma casinha branca (azul também serve), um quintal, uma janela, uma rede, uma oliveira, uma amendoeira, uma laranjeira, passarinhos e grama verdinha com uma esteira em cima para eu escrever.
"Sou uma escritora de apartamento, digo com o mesmo tom pejorativo que classificamos crianças de apartamento. Deveríamos estar cercados por jardins, margens de rio, praias abertas, mas vivemos confinados entre quatro paredes que de certa forma aleijam a inspiração. Escrever, lógico, me oferece várias oportunidades de fuga. Estou onde estou, fisicamente, mas também não estou: invento meu próprio lago, pátio, horizonte. Até que volto a ser atingida pela consciência do inevitável: não é o barulho do mar que escuto, nem o das folhas caindo nesse final de outono, e sim o de betoneiras, perfuratrizes, compactadores, rolos compressores. De poético, me restou apenas a chuva. Quando chove, a obra para. Quando chove, o helicóptero some. Quando chove, o silêncio me pisca o olho: "Aproveita a trégua e me escuta". Martha Medeiros
Que tenhamos amor no coração, escutemos a chuva, o vai e vêm das nuvens, o espichar dos raios do sol, um sim tão esperado, o bater de asas de uma borboleta, o girar de um catavento, o bemol de um rouxinol.

11 comentários:

  1. Bom dia Tina, opaaa o livro parece bom!
    Fiquei interessada!
    Também acho engraçado o nome 'Quem disse Berenice?' hehehehe qd descobrir conta aqui o porquê!

    Bjoooooooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nome curioso o dessa loja! Não conheço nomes fantasia com frases assim e até com a interrogação. É uma ótima forma de chamar atenção do público, além de levantar uma certa curiosidade, que pode levar a uma pesquisa.
    Gostei do que disse Martha nesse trecho. Não há em nossas janelas nada daquilo que tem a leveza da inspiração. Além do trabalho de criar um bom texto, precisamos ser os próprios responsáveis de nossas viagens para outros espaços. De certa forma, sinto-me influenciado por todo esse agito que me rodeia. Aprendi a tirar a inspiração disso tudo. Mas sinto uma vontade imensa de ir para o rancho da vovó e levar papel e lápis. A última vez que passei um bom tempo lá, foi naquele surto de gripe suína. Fiquei refugiado, já que não tinha nenhuma outra responsabilidade a não ser a escola (que tinha adiado as aulas logo após as férias.)
    Acho que quando tomamos a responsabilidade de nos transportar para poder escrever, acabamos conhecendo histórias no caminho. De uma ideia nascem três.

    (:

    ResponderExcluir
  3. E, ah! Nem sempre nos transportamos fisicamente, claro. Na maioria das vezes saímos do apartamento sem sair dele.

    ResponderExcluir
  4. Também gosto do nome desta loja de cosméticos. Na época do seu lançamento li que queriam passar a ideia de que devemos ser livres e que cada mulher deve encontrar o seu jeito de ficar mais bonita. Quem disse que tem que usar pink? Quem disse que velha não pode usar sombra azul porque vai parecer que está com mofo nos olhos? Enfim, no mundo da beleza não deve existir tantas regras. E penso que o nome Berenice somente apareceu para rimar com disse. Obrigado pela indicação do livro da Martha. Já anotei e também por aqui existe uma fila.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a imagem acima e o livro da Martha, será mais um de sucesso. Ela é DEZ! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tina, boa dica de livro!
    Nunca ouvi falar dessa loja... A Imaginarium eu adoro!
    Gostei da explicacao tbm!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Um adorei o texto Tina, acho que vc esta correta fazer uma divulgação boca a boca é a melhor coisa, mesmo que haja zilhões de propagandas na televisão.

    Eu não sabia que esta marca era do Boticário! quanto ao livro i amiga nuca fui leitora assídua mesmo teve uma época que lia um por semana mas foi por um curto período e depois que a bebê nasceu ai é que leio pouco mesmo, mas ja vi muitas indicações da marta

    bjs

    Gélia

    ResponderExcluir
  8. Lamentável que já tenhamos nos acostumado com sempre ter algo em troca. Faço publicidade, falo de você, do seu produto, do seu livro e o que eu ganho em troca?
    Agradável que existam pessoas que como você sabem dividir descobertas sem receio, sem desejo de nada em troca. É um semear de coisas boas que se espalham.

    Comprei na pré venda o livro da Martha. Só aguardando!
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Tina, essa postagem é bem VOCÊ. Poderia chamá-la de minha amiga disponível ou até de amiga de utilidade pública. A convivência "toma lá / dá cá" é consequência de educação (formação). O gostoso dessa vida é poder servir. Até com presença e carinho podemos e devemos servir sem nenhum interesse de retorno. É super gratificante conseguir fazer a alegria de uma pessoa (Por exemplo: arrancar um sorriso do pipoqueiro, kkk!) principalmente quando ela é irritadiça e de mal com a vida.
    Muito boa essa postagem e muito legal a sua dica principalmente a dica de gratuidade. A turma da "Rota da Pipoca" se orgulha muito de você.
    Um pacotinho de pipoca doce :)
    Manoel

    ResponderExcluir
  10. Olá Tina, lindo texto! Minha Vovó adora os livros da Martha!
    O meu post de hoje também é indicação do livro de Ziraldo, (Os Meninos de Marte) que eu gostei muito!
    Um abraço com carinho
    Pedro

    ResponderExcluir