21 de agosto de 2013

Gente que inspira a gente

Recherché é uma palavrinha francesa
Para qual achei a seguinte definição:
Procura com cuidado
De rara qualidade ou atratividade

Hoje eu trouxe um achado de rara qualidade, apresentado ontem no programa de Fátima Bernardes. Clica aqui para ver a matéria que conta um pouco da história de Jorge, um carteiro, que do tanto que falou com sua simplicidade e sotaque mineirim, selecionei uma frase: "Fui criado assim!"
A frase, ele usou para explicar o porque de ter começado a escrever cartas para os idosos de um asilo, onde ele é o carteiro e para onde não havia muitas correspondências pessoais a serem entregues lá em Minas, como acontece em todo canto e a ideia surgiu da necessidade que ele sentia de visitar aquelas pessoas e não ter tempo durante o horário de trabalho.
Idosos podem sim ficar melhor acomodados e com atividades e companhias mais adequadas em asilos, mas a presença da família e de amigos é indispensável, assim como carinho, atenção, convívio com o mundo externo, que não se faz por internet para a maioria, por falta de intimidade, de destreza, por deficiências e também, por falta de gosto.
Para um idoso abraço tem que ser real, vale também beijos e postais, recortes, bilhetes, cartas, desenhos dos netos, um sedex com linhas e agulhas, revistas, um terço, um objeto qualquer, palpável, para olhar de dia e de noite e sentir que é lembrado e querido.
S. Jorge escreve cartas para mais de trinta idosos, contando das peraltices de sua infância e da dos irmãos, contando histórias que colhe quando no final de semana, também por voluntariado, leva desenhos a hospitais para crianças internadas colorirem e conversa com suas mães e acompanhantes, ai ele recorta, transcreve e envia para os idosos aquecerem os corações, sendo que ele também se aquece e se engradece a cada história ouvida e transcrita.
Ele disse que não faz nada disso para ter nada em troca e para mim não ser necessário reconhecimento é uma das partes mais legais, creio que o que ele faz de bom a tanta gente, de muitas formas, volta para ele.
Eu entendo do prazer que ele sente no que faz, eu por exemplo sinto uma enorme satisfação quando coloco cartinhas no correio, mais do que quando mando e-mail´s, é algo sensorial e que não me custa nem 0,30 centavos, ou as vezes custa mais, contudo a recompensa com a alegria de quem recebe não tem preço. Não me custa nada pegar folhas no chão para mandar para um amiguinho que tem um livro de folhas, acho até que fico mais feliz quando cato as folhas, do que ele quando as recebe. Não me custa quase tempo nenhum escrever um bilhete para meu marido, para amigos, como não custou a Carol rabiscar um bilhete que está na porta de minha geladeira e veio com um enorme cartaz que crianças que nunca me viram fizeram para mim e para meu marido, porque enviamos para eles livros usados, ver aqui. Essa iniciativa de Carol, da qual já falei aqui e aos quatro ventos, é um outro exemplo de voluntariado, de ser e fazer a diferença na vida das pessoas e elas na nossa, #isso muda o mundo.
O tanto que investimos, recebemos em dobro quando o assunto é atenção, doação, carinho. Que o carteiro de Ituiutaba em Minas Gerais receba sempre em dobro, que brotem e se multipliquem gente e gestos assim. Salve Jorge Silva de quem me tornei fã! Salve Carol de quem sou fã! Salve todos que fazem algo inspirador sem querer nada em troca.
“Eu disse a mim mesma que o mundo no qual eu acreditava deveria existir em algum lugar do planeta. Mesmo se ele não existisse em canto algum, se eu pelo menos pudesse construí-lo em mim, como um templo das coisas mais bonitas em que eu acredito, o mundo seria sim bonito e doce.” Rita Apoena disse e tomei por sugestão e sigo na minha semeadura e crença de poder mudar o mundo, nem que seja o meu. Missão pombo correio passada, passe a frente, invente, faça, procure, ache, construa, escreva, envie, acredite, mude o mundo você também.

16 comentários:

  1. As palavras confortam, não? Infelizmente, escrever cartas é uma atividade em extinção. E esse carteiro doa carinho e recebe em dobro. Feliz ação! Que inventamos outras. Boa pescaria, Tina! :)

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Tina
    Lendo tudo isso dá pra concluir que no final do túnel há muita luz e esperança. Que bom!
    bjão e um ótimo dia.
    mari

    ResponderExcluir
  3. Fiquei com o coração partido ao visitar uma casa de idosos. Uma delas chorava o tempo todo. Sentia falta de uma família. E a moça que nos guiou disse que os parentes muito raramente faziam visitas a qualquer um deles. Infelizmente, a casa se tornou um lugar para encostar idosos pelos quais os familiares não querem se responsabilizar. Mas a nossa presença ali encheu os velhinhos de vida. Queriam compartilhar o café da manhã, as histórias, os conhecimentos sobre plantas, tudo! Pude perceber que, entre eles, havia uma felicidade, como uma peteca, que tentavam sempre mantê-la no ar.

    Linda atitude a do carteiro. Uma inspiração!

    Boa quarta (:

    ResponderExcluir
  4. Que lindo trabalhos esse do carteiro que é um exemplo de que querendo se pode fazer! Bilhetes, cartas fazem bem! Vale muito, como um abraço! Gostoso ver essas coisas,não e tu sempre encontra! Adorei teu comentário lá! Fez bem pra minha gripe que tá danada,sr bjs,chica

    ResponderExcluir
  5. Está aí uma coisa que nunca vivi! Escrever e receber cartas, mas imagino que deva ser maravilhoso mesmo!

    Meu pai deu de escrever cartas para minha irmã que está longe. Achei bacana!

    Adorei o post! Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá esperando o quê?
      Escreve pra mim
      Que escrevo pra você
      :)

      Escreve também para sua irmã e para seu pai, para viver intensamente isso de escrever e receber cartas. Quem sabe vc não vivi algo inusitado, vc mesma pegar a carta na cx do correio para entregar a seu pai em mãos, depois te ter levado até o correio e o correio até sua casa.

      Excluir
    2. hahahahaha boa!!!
      O fato de não mandar cartas é a impossibilidade de ir até o correio! uhauahuah

      Geralmente ele (pai) faz isso pra mim, imagina que estranho?!

      kkkkk

      Excluir
  6. Tina, que história linda e que exemplo de vida! Quem faz de coração aberto já tem tudo, né?

    Adorei
    bjs

    ResponderExcluir
  7. hihihihih, tô rindo a tôa com a sua teoria lá no meu blog, minha querida, e não é que funcionou? pisc pisc

    bjs ♥

    ResponderExcluir
  8. Que exemplos Tina, o do S. Jorge eu ainda não conhecia e fiquei encantada, o da Carol eu conheço, admiro e sou fã!
    Quantas vezes em dias tristes abri a caixinha do correio e encontrei uma cartinha linda, sua ou da Carol... e todas essas vezes meu coração ficou alegre, feliz da vida pela lembrança. Assim como quando abro meu e-mail e vejo seus e de outras leitoras recheados de mimos, pedidos carinhoso, conversas sinceras... Não tem preço!!
    Por isso consigo imaginar o que estas pessoas que recebem todo esse carinho sentem, consigo imaginar o bem que faz para quem se doa.
    Sinto a necessidade de me doar mais, de fazer algo pelos outros, assim como fazia quando criança com minha mãe... Vou pensar mais nisso.

    E-mails respondidos <3

    Beijooooo grandão

    Nanda Pezzi

    ResponderExcluir
  9. Emocionante ver como Deus age de múltiplas maneiras nas pessoas, dando a elas o espírito de iniciativas assim! Deslumbrante, Tina! Adorei! Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Oi Tina, que história fascinante!
    Esse senhor realmente nasceu p trazer felicidade às pessoas!
    Eu visitei uma vez um asilo e confesso q n pretendo ir a nenhum nunca mais. Pq?
    Pq eu me senti tão triste, tão mal por não poder fazer mais por eles.
    Eu sou muito 'manteiga-derretida' aí qd vejo vôzinhos e vózinhas nesses lugares fico triste demais, em pensar q as famílias os deixaram lá. N podemos julgar mas sinceramente, acho uma crueldade, mas talvez seja melhor lá do q se estiverem abandonados em seus próprios lares.

    Eu amooooooooooo receber cartas, e enviar também.
    Nunca mais escrevi pra ninguém mas eu acho q o hábito nunca deve ser extinto!

    Bjooooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Que belo exemplo , ele está dando pois, muitos idosos não tem a companhia da família e suas cartas servem de consolo.

    bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Quero primeiro assistir para depois comentar ( hoje sem tempo! ).
    Bj

    ResponderExcluir
  13. É Tina, estamos em sintonia...
    Acredito também que a gente pode mudar o mundo nem que seja só o nosso.
    E vamos assim, parceiras sem querer e sem se saber mas, fazendo a nossa parte.
    Bjs
    Vania

    ResponderExcluir
  14. Tina
    Volto para ler esta postagem com mais calma.
    Gosto das mineirices de sua terra. Hoje postei no meu blogue falando de uma conterrânea
    sua.

    Bjs.

    ResponderExcluir