12 de agosto de 2013

Googlices

Ceta vez falei por aqui dos Doodles, imagens customizadas do nome Google, que aparecem ao acessarmos o amigão de todas as pesquisas e afins. Desde ontem vi uns gatos em meio a uma equação matemática e minha curiosidade não deixou passar em branco, lá fui eu saber do que se tratava.
É uma homenagem a um físico chamado Erwin Schrödinger, vencedor do prêmio Nobel de Física em 1933 e faz alusão a dois de seus principais feitos na física: a Equação de Schrödinger e o experimento conhecido como o Gato de Schrödinger.
Nascido em Viena, ele foi um teórico muito bem sucedido e a equação que lhe rendeu o Nobel de Física descreve a evolução temporal do estado quântico de um sistema físico, sendo conhecida também como “a segunda Lei de Newton” da Mecânica Quântica. O Gato de Schrödinger, por sua vez, é um experimento mental em que um gato é colocado em uma caixa lacrada com um frasco de veneno e um contador que detecta radiação. O contador pode ser ativado ou não, o que decide a vida do gato. No experimento, o animal é ligado a um martelo que caso seja acionado pelo contador, quebra o vidro e bau bau miau. Que horror!
Pesquisa feita não pude deixar de lembrar após a mistura de gatos e equação, de um imagem de um rabisco de caderno que circula na internet e que adoro. É a teoria do gato flutuante, cuja imagem é muito cheia de rabiscos e não daria para ver nem no tamanho máximo que da para eu publicar imagens aqui.
Segue então, a "pérola" sob minha narrativa: Reza a lei da natureza que gatos caem sempre de pé, ou seja, de barriga pra baixo. E reza a sabedoria popular que biscoitos e pães com manteiga, caem sempre com a manteiga virada para baixo.
Em pensamentos e esquema de alguma mente brilhante e provavelmente dispersa na aula de física, ocorreu o questionamento do que aconteceria a um gato com manteiga na barriga. Ficaria flutuando no ar, constata a ciência da imaginação. 
Culpa dos Doodles tal asneira vir parar aqui. Desculpo-me com Sr. Schrödinger em associar tal teoria as suas colaborações importantes a física, mas eu era bem dispersa na matéria e isso deve ter alguma relação com esse deslizinho com intuito inofensivo de descontrair o final de uma segunda-feira.

5 comentários:

  1. Também gosto desses desenhos do Sr.Google que é nosso amigão! Gostei da tua teoria,rs beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. conseguiu seu intuito Tina! distraiu-me por alguns minutos kkkkkk
    O que deu em voce? assim, sem mais nem menos, tá batendo fora do bumbo?
    Não sou obrigada (claro) a concordar com essa sua teoria de que o gato com manteiga na barriga ficaria flutuando... (putz)
    Mas devo admitir que voce tem uma imaginação tão fértil que faria inveja a muitos escritores de realismo fantástico.
    Divirto-me com isso!
    Sou meio "gaiata" porque caio em pé? bingo! sou assim mesmo, mas tem mais uma coisa:
    adoro peixe...
    beijos querida.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Tina Flor...venho aqui antes de ir dormir e me deparo com uma filosofia que tive até que ler para meu marido que está aqui falando que gato cai com a barriga para baixo porque ele abe as pernas no ar...Ó Lord...onde vamos parar com tanto filosofar, hehehe, e um gato com manteiga queria ver!
    Eu as vezes vejo as figuras no Google, mas demorei para entender o significado, hehehe, normal!
    Beijos Tina, alegrias e filosofias em sua vida! Nutellas amanteigadas!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  4. Tina, devido a sua herança familiar no ramo da panificação, eu gostaria de saber de que lado cairia a metade do pão sem manteiga...rssss. Bjos.
    Ps: voltarei para saber o resultado, já tou imaginando vc partindo o pão e fazendo a experiência...kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com manteiga, não sei te dizer se caem para baixo ou para cima, pego tão rápido e ponho na boca, sem essa preocupação, que nunca reparei.
      Sem manteiga, os pães não são cortados por aqui, são comidos as lascas.

      Excluir