6 de agosto de 2013

Mill e mtas utilidades

John Stuart Mill foi um pensador e filósofo do século XIX autor da teoria utilitarista, que defende que as ações são corretas na medida em que tendem a promover a felicidade, e incorretas na medida em que tendem a gerar o contrário da felicidade.
Que depois da explosão Mentos na geração Coca-cola, hajam laranjas espremidas, café coado, chá quentinho e busca diária de mudanças de hábitos individuais, participação cidadã e humana no coletivo, consciência na hora do voto, cobrança e vigilância dos mandos e desmandos dos órgão públicos e privados. Que o correto seja feito e que seja cobrado que façam as coisas corretamente e nos utilizemos das ferramentas a nossa disposição para maximizar o que é bom.
As reflexões utilitaristas, tem como tudo, críticas e contradições, mas é uma leitura obrigatória para quem se interessa por temas sociais, políticos, éticos e filosóficos. Em sociedades já tão "evoluídas", com tantas formas e facilidades de acesso a informação, ao conhecimento, tanta coisa já mastigada, tantas possibilidades, tanto para desfrutar, há ainda muito para corrigir e melhorar. Uma translúcida água gelada no aumento coletivo e desenfreado de requisitos, atitudes e pensamentos imorais é capaz de mudanças importantes. Vejo e ouço tanta coisa absurda que fico chocada. Para Mill uma sociedade que é um agregado de consciências autocentradas e independentes, cada qual buscando realizar seus desejos e impulsos é uma sociedade fadada ao caos. E é assim que vejo a sociedade em que vivo, acredito que os bons são maioria, mas vejo que é preciso mais união dos bons e mais ação também, os bons precisam ser realizadores, firmes em suas opiniões, contagiantes.
É preciso o despertar e a prática de valores virtuosos, o acesso e uso dos direitos essenciais, o convívio e intimidade com a cultura não como algo diferenciado, nobre, mas como algo popular, acessível, ao alcance.
O que está ao seu alcance? Quanto você pode ser útil? Seja, faça sua parte e vamos juntos mudar o mundo tão cheios de utilidades, pessoas, possibilidades mal aproveitadas.

12 comentários:

  1. Lindo Tina e cheio de bons propósitos como pode ser a nossa vida. Adorei tua frase lá na Ivani,sr beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Eita que o tema hoje é muito sério e é preciso ler, de novo e de novo. E encher a nossa bolsa com resoluções para fazer o nosso mundo melhor.

    ResponderExcluir
  3. Que bonitinha! É por aí mesmo! Conhecimento,vivência, cultura não são coisas nossas, que devemos guardar de forma egoísta. O bom mesmo é semear, contribuir. Nisso estão toda a graça e sabedoria! Saudades de passar por aqui. Quando der volto mais! Beijos! :)

    ResponderExcluir
  4. Ele está certíssimo Tina Flor...fazer nosso melhor e fazer o que pode nos deixar felizes...adorei!
    Beijos Tina, alegrias e boas energias em sua casa!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  5. Comprei um livro escrito pelo Mill há uns dois meses. Chamado "A liberdade". Estou pra ler, ainda.

    Gostei muito do post, Tina. Parei para pensar quantas coisas estavam ao meu alcance e o que eu poderia mudar. Meus dias têm se tornado cada vez mais corridos, mas consegui encontrar um tempo para refletir, ajudar, ser útil.

    Depois volto com mais tempo para ler com mais calma e ler o texto de ontem :)

    ResponderExcluir
  6. Oiii Tina, já estava com saudades, voltando hoje a blogar depois de algumas semanas em pausa! concordo com o texto, cultura deveria ser de acesso popular, e não um luxo de poucos, assim como um transporte de qualidade não deveria ser luxo de países europeus! Temos muito o que conquistar ainda mas como o próprio texto diz, cada um deve fazer um pouquinho! Bjinhossss

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga

    Toda mudança
    sempre começa
    a partir dos sonhos
    que nos habitam.

    Que em teu coração,
    a vida possa dançar
    a música da alegria.

    ResponderExcluir
  8. Colhi do teu texto a palavra contagiar.
    Os bons são a maioria e é preciso sim contagiar os outros ao nosso redor.
    Muito ao alcance da realidade de cada um.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. bom dia Tina
    fiz um comentário na postagem ai embaixo, mas nao foi publicada, será que o comentário não saiu ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi publicado pois estava aqui nos que vão para quarentena sei lá porque.
      Libertado, publicado e eu agradecida por sempre tê-la aqui :)

      Excluir
  10. Tina, ser útil ajudando ao próximo é o passo primordial para contagiar a todos com a bondade existente em cada um. Libertar do individualismo, antes de tudo é essencial. Bjos

    ResponderExcluir
  11. Diria que não há fins justificando meios na teoria de Mill. Afinal, isso rompiria com a questão do correto e do incorreto. Portanto vejo uma razão enorme nisso que diz. Embora não concorde com todas as ideias dele, como as que estão no livro que citei, acho incrível a forma como ele analisa aquilo que defende.

    Que haja ainda muita correção sim e que as mudanças continuem. Não é hora de parar nem desistir. Isso é o caminho para a felicidade de um povo.

    Excelente, srta.

    ResponderExcluir