2 de agosto de 2013

Pão aos pedaços

Desde o tempo em que ir comprar pão era sinônimo de ser grandinha e de aproveitar para bordejar, que o saco de pão chegava aberto lá em casa, com um pão beliscado (hábito bem apassarinhado), isso quando uma unidade não se fazia totalmente ausente no destino.
Hoje ainda tenho predileção por pães pegos com a mão do saco, sem lavar mesmo, para dar uma temperada, a caminho de casa, ou assim que o saco chega na cozinha. Se estiverem quentes então é melhor tirar da frente, se não de lasca em lasca como uns 3. Agora é a parte para estudos: de um único pão, colocado no prato, com manteiga e modos, não consigo muitas vezes dar conta.
Minha mãe e meu pai (que só estou chamando assim para ser mais formal, na oratória seria mainha e painho) sempre fizeram e até hoje fazem pãezinhos delícia, como chamamos aqui, pães macios, de massa leve e branquinha, com queijo ralado por cima. Eles fazem de lanche para lanchonetes e escolas e de festa, para aniversários e eventos. Os de festa, menorezinhos, eu digo e defendo veemente serem mais gostosos, sendo da mesma massa que os grandes. Minha mãe ri e meu pai não discute, já discutiu muito o pobre coitado comigo desde a infância quando eu teimava (ainda teimo) com o que tinha razão, com o que não tinha e com o que nem existe também.
Os pães delícia, que são mesmo uma delícia, quando crescem nas assadeiras e encostam uns nos outros, depois de assados ao serem destacados deixam uma pelinha em um dos grudados. Destacar e comer é o que faço de melhor em todo processo de aprontar eles (pincelar com manteiga, abrir com uma faquinha, colocar recheio dentro e virar de ponta cabeça numa tigela de queijo ralado).
Eu gosto de pão puro, com ovo, com sardinhas enlatadas dentro, cebola e azeite doce, com queijo e presunto, com requeijão, com ricota, rúcula e peito de peru, com salsicha e bastante molho, com patê, com tudo dentro, na chapa, pão integral, de leite, de milho, francês, de Minas, pão doce, pão de todo tipo, modelo e nacionalidade. Adoro comer figado frito com bem cebolas e pimentão e bastante pão para acompanhar e lambiscar o caldinho, amo sopa com pão e confesso que molho o pão com manteiga no café sem a menor finesse. Chega né! Deu até fome! Só para arrematar, pão aos pedaços é eleito por mim como o melhor tipo de pão existente, faça como eu e os passarinhos, experimente!

20 comentários:

  1. Uau, deu até vontade desses pãezinhos delícia ,dos grandes ee pequenos para as festas. Lindo te ler,com tuas inspirações maravilhosas!


    E saber comer pedacinho por pedacinho os "pães" que a vida nos dá. sbendo saborear cada um ao seu tempo. beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Nem preciso experimentar! Sempre digo que pode me deixar sem muita coisa, mas por favor não me deixem sem pão!Também gosto deles com qualquer coisa dentro, e se não tiver na hora alguma coisa para pôr dentro, vai puro mesmo, aos pedaços lascados ou arrancados, mastigando e fazendo outra atividade.
    Quando criança os pães eram "filões" grandes, não haviam ainda os pãezinhos.
    Na padaria enrolavam em um papel (chamado papel de pão) e as duas pontas ficavam para fora. Adivinha se as pontas chegavam inteiras em casa? nunca ...
    O papel de pão era usado para escrever. Meu pais usavam como rascunho para contas ou textos, antes de "passar a limpo" no caderno.
    Tina, obrigada pelas dicas de leitura que voce manda por e.mail, e desculpe se não atendi prontamente nesses ultimos dias.
    Por favor continue mandando, eu gosto muito, só não apareci antes porque "forças ocultas" me impediram de fazer tudo o que gosto e tenho vontade.
    Penso que estarei livre delas logo, logo! Beijos querida amiga passarinha, tenha um lindo fim de semana.
    Ah! esqueci de dizer que adoro comer pão com fruta. Como com mamão, maçã, banana ou qualquer uma que passe pela frente. Gosta também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fruta é mto pitoresco, nunca experimentei.
      E chocolate?
      Bife?
      As carnes do cozido?
      Afff...Santa gula a nossa...rsrs

      Excluir
    2. sim , é muito pitoresco, mas me agrada! experimente sentar-se em frente a um prato com uvas e pão. Vá picando o pão e comendo com as uvas, depois me conte. E esqueci do figo, delicioso com pão. E manga? hum ...
      Chocolate não, nunca comi com pão. Talvez porque não sou chocólatra.
      Bife? carnes ensopadas? até no outro dia, tiro da geladeira e "nhac" kkkkk
      beijos querida!

      Excluir
  3. E não é que você acordou feito a Magali, com uma fome danada!!! Vou já no mercado aqui perto comprar o meu pão delícia que eles sabem fazer igualzinho ao de vocês. Uma historinha: uma vez tive que preparar uma mesa de lanche para uma banda baiana e na lista de exigência tinha "queijo tipo lanche". Precisei de consultoria para saber que era queijo prato.

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina,

    Saudades de passar por aqui...E vim hoje num dia bom...AMO de paixão pão, estava comentando aqui em casa hoje pela manhã, se deixar como muito, e como você, já venho beliscando desde a padaria...
    Uma sexa iluminada para você.

    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Tina, quando morei em Vitória da Conquista, aprendi com uma vizinha a fazer este pão delícia...
    Quase morri de saudades lendo seu post.
    Era uma delícia mesmo, ai, que saudades!
    Adorei o post, beliscar o pão dentro do saco de papel é a melhor coisa! Adoro também.
    bjs
    Vania

    ResponderExcluir
  6. Pedaço por pedaço como seguir degrau por degrau....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  7. Quando eu era menor, gostava de comer o miolo do filão (pão francês em algumas cidades de SP é chamado assim).
    Amo também pão com manteiga de leite. Margarina é tão... sei lá.

    E a vovó faz pão também. A gente chama de pãozinho. É um pão em forma de bolinha que ela recheia com patê de atum e leva nas festas de família. Você ia adorar.

    Já comeu pão hoje? Eu não, mas fiquei com vontade.

    ResponderExcluir
  8. Eu também comprava bengala. Meia, porque a família era pequena. Trazia debaixo de braço embrulhada em papel e vinha beliscando pelo caminho.
    Menorzinha ainda, minha mãe para me fazer comer pão, fazia uma fila na mesa, sobre a toalha e dizia que era a mamãe pata ( pedaço maior ) indo passear com os filhinhos e assim, um a um eu ia comendo.
    ah, depois falam que eu Magali. Olha só a Ivani comendo pão com fruta.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, experimenta! voce vai gostar ...pão com fruta é tudo de bom!
      beijo.

      Excluir
  9. Boa tarde Tina!
    Estou passando bem rapidinho só para te desejar um lindo e abençoado fim de semana. Estou correndo mais assim que der volto para ler seu post!!!

    Beijão

    Nanda Pezzi

    ResponderExcluir
  10. Entendi toda a sua poesia nessa crônica, Tina. Filho de padeiro, comi todo tipo de pão e de todas as formas. No entanto, somente qdo morando em São Paulo, no meu tra alho, q aprendi uma nova forma de comer pão. Vai aí o modo para vc experimentar. Soca um pouco a massa do pão em um das pontas, passa bastante manteiga e jogue café quente no oco formando até ficar bem molhado, depois é só comer até se lambuzar. Bjos.

    ResponderExcluir
  11. Tina, a origem da minha família é de seleiros, meu bisa e depois o meu avô, com a queda do transporte animal, meu vô foi ser barqueiro, trnasportava cargas pelo rio São Franscisco e seus afluentes, foi então, com a queda do transporte fluvial q meu pai entrou no ramo de panificação. Esse modo de se comer o pão me foi passado por um italiano. Na Itáilia ele fazia isso com vinho, somente em São Paulo, ele substitui o vinho pelo café.

    ResponderExcluir
  12. Adoro falar de pão! Pão com ovo é o que mais gosto!!!
    Adorei Tina Flor, voltei no tempo e lembrei da época boa de criança, quando eu ia de bicicleta buscar pão e prendia a sacolinha no guidão...não dava pra beliscar! Eu morava em Cafelândia-SP, cidade pequenina e que vivia da torrefação do café, imagina o aroma no ar pela manhã!
    Beijos Tina e um ótimo final de semana em sua casa...nutellas!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  13. Com muitas saudades depois de uma pequena ausência
    estou voltando para agradecer seu carinho comigo
    eu entendo ,que a amizade é eterna quando somos amigos de verdade.
    Nessa ausência pude compriender o quanto
    sua presença enche minha vida de esperança.
    Esta sendo difícil passar por mais essa fase
    da minha vida.
    De sorte a minha fé é inabalavel por maior ,
    que seja minha luta procuro ser cada dia mais forte.
    Eu ainda não sei de onde vem minha força,
    mais acredito , que vem do Alto Dos Céus.
    Onde as estrelas e os anjos me cobre de paz e de luz
    restaurando assim minha vida.
    Com muito carinho deixei um premio na postagem
    caso gostar leve por favor.
    Deus abençoe seu final de semana.
    com carinho e minha amizade pra sempre.
    Beijos no coração e na sua alma.
    Evanir.


    ResponderExcluir
  14. Tina, afinidade que temos em comum gostar de pão, passarinho e colecionar folhas!
    Tina,minha vovó está fazendo uma postagem sobre meu caderno de folhas.
    Adoro pães de qualquer jeito, puro sem nada!
    Feliz domingo.
    Beijinhos
    Pedro

    ResponderExcluir
  15. Tina,
    adorei o seu cantinho e passarei aqui mais vezes.
    Te convido para uma visita.
    www.lilligarcia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Aiiiimmm que texto delicia!
    Quantas vezes não fiz isso, comprar pão e voltar com um deles meio comido! Muito passarinho isso! Hahahaha
    Lembrança boa!

    Pão tb gosto de qualquer jeito e qualquer tipo, italiano, de forma, caseiro, francês!

    Adorei teu post! Beijos!

    ResponderExcluir