26 de agosto de 2013

Paralelos e perpendiculares

Ao ver essa imagem senti uma boba emoção
Pois tive um vestido de São João 
Com esse mesmo tecido de coração
E já fiz muito isso com balde d´água na cabeça
Perdeu a rima, mas não resisti comentar

Num dicionário de definições paralelas, eu diria que Twitter é aquela caixa de sapato ou de lata, a moda antiga, de colecionar fotos 3×4 e bilhetes, o Face, caixas maiores, com fotos 10x15, cartas, postais, amigos e socialização ao alcance dos dedos mas não do abraço, do contato, do olhar.
O tal do What´s App nada mais é que o relançamento do Msn, que com as redes sociais havia sido abandonado e agora de novo nome, ganhou milhões de usuários sedentos de novidades, ainda que sejam velhas. Quem bips não sejam relançados, com nova roupagem e virem moda.
Meu marido teve bip, olha eu entregando a idade dele, assim, sem cerimônia, que indelicada. Outro dia, a propósito, descobrimos, eu e ele, que colocar www para entrar em um site, é ultrapassado e desnecessário, desde então nos modernizamos.
Li em algum lugar que conversa por rede social tem um quê de conversa vigiada por palpiteiros, com zoiões e ouvidões de plantão, reproduções e releituras e as que são no paralelo seja teclando ou por fone de ouvido e microfone, parecem papo com atendente virtual ou telemarketing, sem barulho alheio, tão enriquecedor para a tomada de novos rumos dos papos, sem passantes, criançada, cachorrada a desviar e enriquecer o fuxicar.
Comparações, paralelos e perpendiculares a parte, ninguém nunca vai inventar nada melhor que conversa de portão, mesa de café da manhã, almoço, janta ou bar, tapas nas costas, abraços, cheiro de perfumes, voz ao vivo, roupa, cabelo, caras e bocas com todos os mega pixels que nossos olhos tem, em tempo real e com as cores que agente sente.
Trocentas curtidas, cutucadas e lista de seguidores virtuais, não são como as pessoas e os lugares ao vivo, como curtir um filme na sala de cinema, praia, sol, banho de mar, chuá de uma balde d´água, banho de mangueira, cochilada no meio da tarde, deitar em rede, balançar em balanço, pipoca quentinha, massagem no pé, colo e cafuné.
A todos uma semana iluminada, enxaguada, refrescante, recheada como cesta de piquenique e arejada como roupa no varal.

8 comentários:

  1. Que beleza issso. Realmente todas as curtidas não chegam nem perto do sabos do encontro, do olho no olho e esse banho de balde, delicioso! Não hoje por aqui, pois faz muiiiiiiito frio e chove! beijos, linda semana sorridente!chica

    ResponderExcluir
  2. Acho que consegui, nestes dias de férias, dar um banho na minha alma. Uma linda semana para você.

    ResponderExcluir
  3. Que sua semaninha seja linda!!!

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Que vontade me deu de virar uma balde de água. Está tão quente por aqui! Falando em antigo e novo, viu a casa de 1973 que o Fantástico reproduziu ontem? Achei o máximo. Tinha máquina de escrever, geladeira retrô, TV em preto e branco e telefone de discar. E a família se reunia para brincar de jogo de botão, tabuleiro. Saudades de ontem! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO legal! Eu adorei!

      Jogar ludo é td de bom, faz tempo que não jogo, vou mudar isso.
      Adoro jogos de tabuleiro: Jogo da vida, Banco imobiliário, Detetive, Perfil... Me diverti e aprendi mto com eles.
      Sem falar de damas, baralho...

      Sua vontade de virar balde me fez viajar no tempo, vê se você lembra:
      Super gêmeos, ativar
      Forma de balde
      Forma de água

      Chuás para sua semana, com gostinho de ontem com hoje :)

      Excluir
  5. Ai que lindo Tina!! Com toda certeza nada substituirá o café da tarde em família ou com amigos, as cartas que chegam pelos correios, um abraço apertado... Saudade do tempo onde tudo isso acontecia com frequência, dos banhos de mangueira quando criança ;) tb jogava baldes de água em mim... coisa boa!!!

    Beijoo grande e uma semana delícia para vc!

    Nanda Pezzi

    ResponderExcluir
  6. Senti falta de tomar café com a vó todas as tardes e de conversar com amigos da rua. Não sobrou nenhum e quem sobrou não era amigo de verdade. Uma mensagem e outra e vou matando a saudade das amizades que têm um dia tão agitado quanto o meu. Mas, sem dúvida alguma, não substitui uma conversa frente a frente. Marcamos periodicamente, na medida do possível, e assim não ficamos presos somente aos meios rápidos e afastados de comunicação. Tem uma matéria da Super, acho que uma das primeiras da minha assinatura do ano passado, que um dos jornalistas viveu um dia ou uma semana sem celular e tecnologias similares. Não sei se a matéria já veio para a internet, não encontrei com palavras-chave, mas vou vasculhar as revistas, procurar e te mandar o link caso já esteja por aqui. Achei bem legal :)

    ResponderExcluir
  7. Eu sentia vergonha da atendente do bip. Mandava versos de amor para meu bem querer.
    Essa foto está incrível: tão simples, tão ao nosso alcance e por isso encantadora.

    Sobre marias-sem-vergonha, nunca estourei, nem sei o que é :(
    No google imagens aparece umas florzinhas que para mim fazem parte do caminho da Chapeuzinho Vermelho enquanto canta pela estrada a fora.
    Será alguma bolinha antes da flor? Ou algo tão diferente?
    Apoiado o post em nome das descobertas.
    bj

    ResponderExcluir