16 de setembro de 2013

Ação é a solução

Eu tenho tido com o Projeto lenços que curam muitos retornos, no que se refere ao objetivo em si, a pessoas que achei que iam colaborar e se envolver e não o fizeram, cada uma com seus motivos, que não estou aqui para julgar, a pessoas desconhecidas de diversos lugares, inclusive do exterior, que surgiram das conexões virtuais, pessoas que se apresentaram e estamos mantendo contato, outras que simplesmente pegaram o endereço e mandaram sua contribuição, pessoas envolvidas com projetos voluntários de artesanato e costura que estão fazendo com uso de retalhos e trabalho comunitário lenços para enviar, pessoas que estão divulgando em sues blogs, sites, por e-mail, entre os seus parentes e amigos.
Dentre os feedback´s que recebi porém, há muitos relatos de desânimo e falta de retorno concreto quanto as doações, ai vim dizer que para mim isso não foi novidade, apesar de ser otimista, como ariana genuína, também sou bem realista. Nas redes sociais virtuais, curtidas e compartilhadas se fazem com cliques e sem compromisso, sem envolvimento efetivo. Se repassa uma campanha, se curte, mas muitos poucos se dão ao trabalho de comentar e menos ainda de fazer algo, acha-se que replicar já é o bastante. Isso também ocorre nas nossas redes de relacionamentos reais, as pessoas se dizem sensibilizadas, cristãs, disponíveis, interessadas, mas não estendem a mão, não movem uma palha como se diz, não dão um prego numa barra de sabão, não agem.
Quem ai conhece a campanha "Não foi acidente", que versa sobre a mistura de álcool e direção, bem como condução de veículos sob condições adversas e isso ser crime e não acidente? Quem ai entrou lá no site e assinou? Uma estrelinha para quem o fez. Quem incentivou? Não só falando, mas sentando diante do computador e pedindo o cpf e assinando com e por filhos, marido, irmãos, mães, pais? Um pedacinho de céu estrelado para quem o fez ou vai fazer isso, em 10 minutos a qualquer hora do dia, não precisa ser no atribulado horário comercial. Vale gastar vários 10 minutos, as vezes gastos com fofocas e acompanhamento da vida do alheio e expandir os horizontes, como por exemplo, na mesa de bar, festinha de aniversário, encontro casual de amigos, quando o discursador da vez estiver a plenos pulmões falando de cidadania e atitudes, acessar no celular o site da campanha e fazer todos assinarem. #Isso muda o mundo.
Mudando de assunto: Quem se abaixa e pega um papel na areia da praia e leva até o lixo? E quem conhece e acha legal a criação e manutenção de Carol, de uma biblioteca comunitária numa área carente de Goiás? Quem já mandou um livro (um só que seja, que é muito bem vindo) para lá? Quem não tinha livros para mandar e foi num sebo e comprou alguns e mandou? Quem comprou livros novinhos e mandou? Quem ai teve a ideia de comprar os tais livros, de sebo ou livraria convencional pelo site e já colocar o endereço de lá para baratear o envio? Quem reuniu livros, saiu pedindo: - Me dá um livro para eu doar? Me dê um caixa de lápis?, entre os colegas de trabalho, os vizinhos, os parentes. E quem nunca mandou porque o envio pelos correios é caro? Já pensou em a cada doação pedir 1 real, ou 2 e assim pagar o envio que até meio quilo é o mesmo valor. Acontece que livros pesam. É! Pesam! Mas livros tem taxas mais baratas para serem enviados pelos correios, chamadas: Impresso ou Registro módico.
Lenços não pesam, lenços são baratos e o gasto com o envio bem podia ser encarado como um chopp não tomado, um lanche, um café por vários sorrisos. Podem ser arrecadados marcando-se um encontro no shopping ou numa praça, para se aproveitar e rever quem não se vê a muito tempo, pode ser solicitado que seja levado no almoço de família domingo em casa, no dia de reunião na empresa.
Viu algum caso na tv que te tocou? Liga para emissora, entra no site, manda uma mensagem, escreve uma carta, entra na internet e procura o que quer doar naquela cidade com serviço de entrega.
Eu acho que soluções existem aos montes para os empecilhos que há entre nós e a ajuda que podemos dar. Sair do papel de telespectador para o de coadjuvante em muitas histórias, depende de nós, rumo a quem sabe o papel principal com direito a prêmios de atuação valiosos. Sejamos mais que otimistas, sensíveis, compartilhadores, incentivadores, sejamos possibilistas e atuantes. E tenho dito!

8 comentários:

  1. Tens razão, podemos fazer mesmo. E acredito que não podemos desistir se não vemos perto de nós o auxílio que petendíamos. Importante é que nós o façamos e tenho esperança que cada vez mais as pessoas hão de se juntar nas boas causas! Vamos que vamos! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. O seu texto me lembrou Vandré, sempre atual:
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Somos todos iguais
    Braços dados ou não
    Nas escolas, nas ruas
    Campos, construções
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Tina!
    Estou em dívida, ainda não tive tempo de sair para comprar os lenços... A vida anda tão corrida...

    Beijos, boa semana!

    Nanda

    ResponderExcluir
  4. é aquela velha história de cada um fazer a sua parte....não importa se somos uma formiga no meio da multidão, que façamos aquilo que está ao nosso alcance!

    ResponderExcluir
  5. Nem sempre o sucesso de uma Campanha retrata o sentimento verdadeiro de uma doação. Quero crer que os lenços doados foram ou estão chegando carregados da unção e do poder de curar não a doença em si mas o coração doído dos que os rodeiam.Que não seja só um dever cumprido mas muito afeto a envolver aquelas cabecinhas.
    Um texto a refletir!
    beijos Tina

    ResponderExcluir
  6. Arregaçar as mangas e começar feito formiguinha, não importa. Importa fazer, ter ação.
    beijo

    ResponderExcluir
  7. Linda ação!!
    Importante é não desanimar, faça a diferença mesmo no pouco.

    bjokas com carinho =)

    ResponderExcluir
  8. Verdade tudo q vc escreveu, e me senti responsável por também fazer minha parte, vou divulgar no meu blog o projeto lenços que curam, fazer minha parte, obrigado por chamar a atenção!

    ResponderExcluir