16 de outubro de 2013

De perto

Concordo com meu conterrâneo Caetano, de que de perto, ninguém é normal. E não ser normal é muito normal ao meu ver. Parece maluco, filosófico, mas é bem simples. O que há de errado por exemplo em tomar café, suco ou qualquer coisa mexível, com a colher dentro? Eu tomo e acho até que fica tudo mais gostoso, sem falar da atenção necessária para não enfiar o cabo da colher no olho, que bem pode ser treino das habilidades de mira e reflexo por exemplo.
Uma criança querer sair na calçada ou parar no meio da rua para colocar um barco de papel na corredeira da chuva que cai, para mim é normal, anormal  é adulto que surta com isso, racionaliza, faz declamações e argumentações tipo barca furada.
E em casa, no aconchego de nosso lar, o que tem de anormal em passar a bolacha dentro do pote da manteiga sem usar a faca como atravessadora? E molhar as tais bolachas amanteigadas ou secas e pão no café, além das paredes de nossas casinhas, na minha opinião não devia ser falta de educação ou visto como coisa do outro mundo, eu lanço essa proposta como molhadora oficial. Quem tá comigo?
Mania que as pessoas tem de ficar achando anormal coisas prosaicas e achando normal, se acostumando e replicando coisas não muito normais e prejudiciais a saúde, a coletividade e por ai lá vai. E tenho dito!

17 comentários:

  1. Nessa questão de (a)normalidades o melhor é não dar bola para o que outros possam fazer. Se pre nos está bem E NÃO VAI PREJUDICAR ou ferir o direito de outro, sigamos... beijos e lindas molhações! chica

    ResponderExcluir
  2. Tina... gostos destes teus posts que nos levam a pensar.

    Este, por exemplo, me faz avaliar aquilo que eu faço e que as outras pessoas podem considerar anormal. Vira e mexe, alguém dentro de minha casa, me diz coisas assim... "isso é coisa de criança", "parece louca"... Tenho vontades de fazer as coisas que são consideradas "anormais" para um adulto... Mas são vontades minhas, e muitas vezes eu as realizo sim.

    Outras vezes somos nós que julgamos o comportamento do outro, do próximo, quando vemos que ele tem atitudes um pouco fora dos padrões de "normalidade".

    Valeu sua reflexão para hoje.

    bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo tem seu jeito singular
      De crescer, aparecer e se manifestar
      Se o peso na balança é de uns quilinhos a mais
      E daí, que diferença faz?

      Todo mundo tem que ser especial
      Em oportunidades, em direitos, coisa e tal
      Seja branco, preto, verde, azul ou lilás
      E daí, que diferença faz?

      Já pensou, tudo sempre igual?
      Ser mais do mesmo o tempo todo não é tão legal
      Já pensou, sempre tão igual?
      Tá na hora de ir em frente:
      Ser diferente é normal!

      By Preta Gil

      Excluir
  3. Se tudo fosse normal seria chato.
    Não teria o que falar.
    Aproveito pra te convidar a participar do sorteio nos meus blogues Papo de Mãe e Educar - o primeiro passo

    Links http://toninha-ferreira.blogspot.com.br/2013/09/sorteio-jujubella-moda-infantil-e-papo.html

    http://www.educar-oprimeiropasso.com/2013/10/mensagem-um-bom-professor-um-bom-comeco.html

    ResponderExcluir
  4. Ah! Tina!!!
    Eu não me acho normal, me acho feliz!
    Gosto da simplicidade de um momento, da alegria c ompartilhada, de respeitar e ser respeitada.
    Enfim... Minha vida é gostosa e é por isso que estou sempre sendo procurada para um carinho, uma conversa, um bolo inesperado e quentinho de uma visita tambem inesperada.
    Bom demais fazer coisas que nos fazem bem a alma.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  5. Tina, bom dia!

    É sempre uma surpresa agradável ler os seus textos.
    Concordo com você e Caetano: de perto NINGUÉM é normal. Além do mais, qual é o seu, o meu, o conceito que cada indivíduo pensante tem sobre a normalidade?
    Que continuemos anormais, mas felizes!

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  6. oi Tina,

    concordo com Caetano ( de perto ninguém é normal).
    Mas que graça teria se todo mundo fosse igual?
    E se pensasse igual?
    Tudo seria monotonia.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. Eu sou muito feliz com as minhas anormalidades. Seu texto me fez lembrar da Clara rindo de mim ontem, só porque virei a cabeça e o copo com vitamina de banana para beber aquele restinho do fundo do copo e que demora a cair.
    - Que isso, mamãe?
    - Quero o restinho da vitamina, filhota. É o melhor.
    Ela achou engraçado. Para mim não há nada de engraçado. É normalíssimo! Beijos e queijos!

    ResponderExcluir
  8. oi Tina
    São essas coisinhas que faz o dia ficar mais aconchegante , na intimidade tudo é normal. Considero-me também uma ótima 'molhadora' kkk é muito bom molhar o pão ou o biscoito( aquele tipo maizena), no café com leite _ fica delícia! rsrs
    Como é bom as intimidades anormais não é? rs
    um abraço Tina gostei do texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Biscoitos maisena, de leite, maria (em xícaras de boca grande), cream cracker, de água e sal e biscoitos champanhe (hummm que perdição), pão com manteiga ou torradas com manteiga, molhados no café me representam \o/
      Um dia marcamos de tomar juntas um café com mergulhos e sorrisos :)

      Excluir
  9. Tina, a cada frase que lia lembrava da minha vó que já faleceu... Ela sempre chamava minha mãe de fresca por não nos deixar fazer nada disso... até que passou a dizer que eu era igual minha mãe: cheia de frescuras... hehehehe
    Tempo baum esse...
    As pessoas precisam mesmo é serem felizes, sem frescura, com humildade, sem medo, com mais liberdade na simplicidade dos pequenos detalhes ;)

    Preciso dizer que amei?

    Beijão!!

    Nanda

    ResponderExcluir
  10. Cada pessoa deve fazer o que gosta, desde que a ninguém prejudique. O gostoso da vida é ser simples. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Bravoooo! Alguém me entende.

    Dia desses cheguei com os cabelos molhados na cada da minha tia, e ela vem me dizer que andar de cabelos molhados é feio. Que eu deveria secá-los sempre, ao sair de casa rsrs
    Na verdade, Tina, eu vivo pegando 'ralho' de todo o mundo rsrs por tudo. A vida inteira foi assim. Na adolescência, eu cheguei a ficar triste, achando que eu era anormal. Hoje, meus amigos dizem que sou autêntica, e eu acredito rs

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro sair de cabelos molhados. E o porquê se diz ser feio é tão fora de contexto quanto ser feio mulher assobiar ou mulher que usa calças ser sinal de masculinidade ou subversão.

      Tem tantos preconceitos e preceitos de engraçados a surreais, que só um livro para listar.
      Alguém já te disse ou vc já ouviu falar que meninas tem que repartir o cabelo de um lado e meninos do outro? E relógios também tem isso nas regras normais catalogadas e prescritas sei lá onde, mulher tem que usar em um lado, homem no outro.

      Regras de etiqueta, modinhas, bons modos, tudo bem, mas melindres além da conta é demais pra mim. Somatiza, faz mal ser irrestritamente normal...rsrs

      Penso que cada um com suas manias, gostos, esquizitices que não afetem a si nem aos outros é up.

      Excluir
  12. E tenho dito que especialmente hoje que o blogger poderia aceitar uma foto como comentário...
    Bj! Amei a postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Após ver a foto se é verdade que temos 5 almas gemeas incluindo a amorosa, descofio que há uma concentração de almas minhas por ai :)

      Excluir