4 de outubro de 2013

Entre rios, mares e males

Como hoje é dia de São Francisco resolvi postar de novo para cronicalizar e apelar pela preservação e cuidados com o velho Chico, que tem a sua nascente na Serra da Canastra lá em Minas e deságue entre Sergipe e Alagoas, cutucada pela prisão e enquadramento de piratas para os integrantes do Green Peace em defesa do Ártico, dentre eles uma bióloga brasileira, enquanto piratas saqueadores aterrorizam o mar, com pontos certos e não se faz um cerco a eles, como o feito aos ativistas, que por não serem criminosos, eis a constatação, não ofereciam perigo. O fato é que o gelo do Ártico está derretendo e dentre os males causados por esse derretimento, muitos ursos polares lutam para sobreviver, a plataforma de petróleo por lá vai causar impactos e os detalhes eu não sei explicar, mas sei que no nosso Chico a fauna e a flora são um capítulo a parte e folcloricamente o danado é citado em diversas histórias, lendas e músicas, vigiadas pelos olhos das carrancas que espantam os maus espíritos. Elas, as carrancas, estiveram inté por aqui dia desses.
O estado de degradação em que o rio se encontra e os planos mirabolantes propostos para resolver seus problemas, bem como a questão do derretimento das geleiras e tantas outras catástrofes ambientais, são além dos maus modos individuais dos seres humanos, o reflexo da maneira como os governantes administram e zelam pelos recursos naturais, com descaso, ganância, politicagem e irresponsabilidade para dizer o mínimo. E tenho dito!

2 comentários:

  1. Infelizmente essa ganância que só crewce tem seus reflexos e efeitos...Dá nisso que vemos! beijos, belo grito! chica

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga

    Ler palavras que nos toquem
    o coração,
    é como chegar as estrelas
    nos braços da luz.

    Que haja sempre em ti,
    tempo para estar a sós contigo
    para ouvir a música do teu coração...

    ResponderExcluir