31 de janeiro de 2013

Todos os dias quando acordamos
Não temos mais
O tempo que passou
Mas temos muito tempo
Temos todo o tempo do mundo
Resolvi trazer hoje um trechinho dessa canção
Dessa reflexão do Legião
Andei ouvindo ela no filme O homem do futuro
Que vi mais de uma vez eses dias
Vocês já viram?
Mas atenção!
Nada de querer viver tudo ao mesmo tempo
Abraçar demais e ai não poder apertar
Sempre em frente, com leveza
Porque cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém
Bons caminhos e escolhas para nossa quinta
E para todos os dias

30 de janeiro de 2013

Recomendações

Que tal substituirmos espelhos por vidros?
Translúcidos, limpos
Para olharmos para e através deles
Como disse Jostein Gaarder
No livro Através do espelho
"Basta uma bela gripe
Para a gente ouvir os passarinhos lá fora de uma maneira bem diferente"
Não esperemos dias ruins
O mundo é muito maior
Do que vemos no espelho
Como bem descreve e reflete Martha Medeiros
"Eu já fui um caramujo ambulante, daquelas criaturinhas desconfiadas, que torcia o nariz para tudo o que não fosse xerox do meu pensamento. Desprezava os diferentes de mim e com isso, claro, custava para encontrar meu lugar no mundo. Era praticamente um autoboicote. Me trancava no quarto e achava que ninguém me compreendia. Ora, nem podiam mesmo. Aliás, nem queriam.
Um dia...percebi que o mundo era maior do que o meu quarto e que eu tinha apenas duas escolhas: absorvê-lo ou brigar contra ele. Contrariando minha natureza rebelde, optei por absorvê-lo. Abracei tudo o que me foi oferecido, deixei de me considerar importante, comecei a achar graça da vida e, com a passagem dos anos, só melhorei, não parei mais de me desobstruir, de lipoaspirar mágoas e ranzinzices – a não ser que desejasse posar de poeta maldita, o que não era o caso. Me salvei eu mesma e fui tratar de aproveitar cada minuto, que é o que venho fazendo até hoje."
Eu também já fui assim
E também venho me salvando
Lipoaspirando mágoas, arrependimentos
Erros, pessoas, ranzinzices
Desobstruindo veias, vias, olhares, passagens
E recomendo

29 de janeiro de 2013

"Luz do sol
Que a folha traga e traduz
Em ver de novo
Em folha, em graça
Em vida, em força, em luz

Céu azul
Que venha até
Onde os pés
Tocam a terra
E a terra inspira
E exala seus azuis

Reza, reza o rio
Córrego pro rio
Rio pro mar
Reza correnteza
Roça a beira
A doura areia

Marcha um homem
Sobre o chão
Leva no coração
Uma ferida acesa
Dono do sim e do não
Diante da visão
Da infinita beleza

Finda por ferir com a mão
Essa delicadeza
A coisa mais querida
A glória, da vida"

Imagem, letra, canção
Para Caetanear
O que há de bom

28 de janeiro de 2013

Bençãos, símbolos e simbologias

Bênçãos de positividade, proteção, paz, bem, para uma pessoa, grupo, uma situação qualquer ou um objeto, pressupõe que se haja uma energia,  um efeito no mundo espiritual, de modo a afetar o mundo físico, fazendo com que o desejo se cumpra, independente das variações da fé de cada um.

Eu fiquei pensando na palavra benção e pesquisei a origem de seu nome a partir da busca de uma medalha para uma corrente que eu e meu marido demos a nosso filhos na ocasião da primeira comunhão dele no final do ano passado, com intenção de ser um símbolo de proteção a ser abençoado na celebração e que acompanhasse ele, representando a religião, a fé e a nossa família.

O desejo do pai era que fosse uma cruz, clássico como o estilo dos dois e eu me vi sem querer discordar e ao mesmo tempo na obrigação sincera de expressar meu sentimento contra ser o pingente uma cruz, ao meu ver, antes de refletir e expandir o meu olhar e conhecimento,  um símbolo pesado e referência de sofrimento. A aceitação e mudança de olhar se deu ao referenciar a cruz ao sinal da cruz, gesto que simboliza benção. Abençoar é bendizer e o sinal da cruz é um movimento, um forma de ritual executado com as mãos pela maioria das religiões cristãs.

Como curiosidades me fascinam, trouxe algumas para dividir com vocês. Existem por exemplo, duas formas de se traçar o sinal da cruz, uma seguida pelas Igrejas do Oriente e outra pelas Igrejas do Ocidente e é feito sobre si mesmo ou por representantes religiosos sobre uma pessoa ou várias ou sobre objetos como uma forma de bênção, como uma forma de oração, de purificação.

As pessoas fazem o sinal nas mais variadas ocasiões, conforme o costume de seu credo, cultura regional e também devoção e hábito particular, eu faço ao passar pela frente de igrejas, ao entrar em templos religiosos ou sagrados de alguma maneira, diante de imagens, ao acordar, antes de entrar no mar. Tem quem faça quando ouve algo absurdo, antes de empreender algo arriscado e por ai lá vai.

Somos batizados em nome da Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, por isso o sinal da cruz é uma profissão fé no mistério da Encarnação e da Redenção. Fazer um pequeno sinal da cruz com o polegar na testa e o conjunto de sinais na testa, boca e no peito chama-se Persignar-se. A cruz na testa simboliza bons, puros e nobres pensamentos, a cruz na boca é para nos livrar de falar maldades, mentiras e dos excesso da gula. A cruz no coração roga pela purificação dos sentimentos e regência divina, amor, proteção, equilíbrio.

Na Rússia os Antigos Crentes unem o polegar e o indicador para fazer o sinal, no Ocidente é usada a mão direita aberta, e os cinco dedos abertos representam as cinco chagas de Jesus, já no Oriente a mão é parcialmente fechada, e os dedos polegar, indicador e médio tocam-se nas pontas, simbolizando a Santíssima Trindade. Nas Igrejas Ortodoxas toca-se em sequência a testa, a região da cintura (simbolizando o ventre, o filho, o milagre da vida), o ombro direito e o ombro esquerdo.

Não podia encerrar de outra maneira que não fosse desejando uma abençoada semana!

Não podia deixar de vir editar o post já programado desde a sexta-feira por bençãos a Santa Maria, aos familiares, amigos, parentes de todos os envolvidos e a todas as cidades, lares, corações que estão sensibilizados com tanta dor.
Indignação, busca de punição, mudanças práticas e efetivas em segurança nos locais de pequenos e grandes eventos e treinamentos para minimizar as tragédias.
Luz sob todas as cruzes, cura sobre os leitos, força aos que ficaram.

26 de janeiro de 2013

Surgiu através dos trilhos dos blogs
Que levam e trazem mensagens
Postagens, amizades
Uma estação, do lado de fora do coração
Porque do lado de dentro é apertado
Não dá para passar trem
Trem passa pelas veias e artérias
Pulsante, vibrante, emocionante
E na data de hoje nos trilhos de Ana Paula
Chegou um maquinista, arteiro, artista
Amigo, simpático
Sério e engraçado, esperto
Filho querido, irmão adorado
Chamado Bernardo
Muitos  trilhos há entre nós 
Céus, chãos, estações
Mas um vagão chamado carinho vai e vem
"Fumegando, apitando, chamando os que sabem do trem"
Como cantou Raul Seixas
E "não precisa passagem nem mesmo bagagem"
O céu, Bernardo 
"Já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais"
Você está crescendo e os horizontes se alargando
Desejo que os trilhos da sua vida sigam como o trem da imagem
Entre cores, paisagens, folhagens
Roteiros, viagens
Paz e bem
Que o trem do bem, além de seja lá o que ou quem
Passe sempre pelo seus trilhos
Amém!

25 de janeiro de 2013

Post deletado

Eu apaguei o post de hoje
Cheio de comentários
Como?
Não sei!
Sei que apagado está
Ai vim dar satisfação
Fazer um post de reparação
Substituição
E como disse Saramago:
“Cho­rar o leite derramado não é tão inútil quanto se diz, é de alguma maneira instrutivo porque nos mostra a verdadeira dimensão da frivo­lidade de certos procedimentos humanos, por­quanto se o leite se der­ramou, der­ramado está e só há que limpá-lo.” José Saramago - Caim, pg. 40

24 de janeiro de 2013

Não! Ascensorista não!

Eu estava pensando um dia desses que se ainda fosse comum a ocupação de ascensorista (por aqui não se vê mais) e saísse em testes vocacionais eu não me encaixaria nela e se fosse obrigada por força maior a exercer o cargo, ia ter que fazer análise. Porque? Eu explico, é simples.
Adoro ouvir, ler, saber de histórias e em um elevador pensem a quantidade de histórias pela metade que entram e saem sem dar a menor satisfação?
É gente que entra com a história já começada, gente que começa a história e sai deixando a(o) ascensorista ali sem saber o desfecho. Muito tenso isso!

23 de janeiro de 2013

Desejo: “vontade de possuir”, segundo o dicionário. Na prática o sentimento ou instinto é misturado inadvertidamente com avareza, gula e todos os 7 pecados capitais. Muitas pessoas infelizmente não conseguem perceber a linha tênue que existe entre vontade, necessidade, capricho e limites.
Desejar é saudável, mas com moderação. A listinha de desejos tem que ter desde coisas compráveis a prazeres inegociáveis. As pessoas querem coisas e querem tudo de vez e para ontem, as vezes nem sabem o que querem e geralmente essa busca desenfreada por experiências, experimentos, objetos de desejo, são o retrato de carências, fugas, busca em realizar-se com felicidades que são passageiras.
As pessoas passam horas de seus dias assistindo televisão: novela, futebol, séries ou "conversando" e "interagindo" nas redes sociais e reclamam de filas que demoram 5 minutos e não tem tempo para ler e não tem tempo para fazer a tarefa com o filho, para colocar e tirar a mesa pra tomar café, almoçar, jantar. E é nessas pequenas vivências que mora satisfações, emoções, a família, o casal na mesa, a disputa e aperto no sofá, disputa por um lençol, nada de um para cada para não ter briga, dividir é legal, esperar, ceder, dar a vez.
Quantas matérias você vê, ou quantas pessoas você ouve conversando e comentando sobre peças de teatro, leitura, receitinhas caseiras? Poucos. Porque? Porque são poucas as pessoas que se dão ao trabalho de cozinhar, por a mão na massa mesmo, com prazer, poucos tem o hábito de ir ao teatro como tem de ir ao cinema, exceto para peças famosos e super populares, reclamando do preço do ingresso como não reclama do preço dos shows e contas de barzinho de toda semana e que custam o dobro.
Ler livros, também não é hábitos de muitos, pelos menos dos que conheço, ou se leem todos leem ou leram o mesmo livro e não ler te coloca completamente fora de moda e te deixa sem assunto, pois até assuntos tem que ser o da moda, variar não rende papo.
Em plena era e efervescência digital, quantas pessoas se dão ao trabalho de pesquisar algo de útil? O Face chegou às massas, porque essa é a moda, todo mundo tem, do flanelinha ao empresário, mas a busca se resume a conhecidos, rivais, fofocas, a busca de conhecimento, cultura, movimentação social, são um uso lamentavelmente pequeno.
Desejo que as pessoas sejam mais curiosas, se instruam, busquem conhecimentos diversos, fúteis, inúteis e agregadores. Ouço frases e expressões como: Carpe diem e tantas outras, ditas e repetidas, sem noção do que realmente querem dizer, apenas repete-se por achar bonito, por  achar que quer dizer pegar geral, tomar todas, aproveitar a vida loucamente. Oh God!
Lembrei da recente e ainda atual moda Moustache como é chamada, todo mundo usando e querendo e nem a vendedora da loja, nem meia dúzia de pessoas a quem perguntei sabia o que significava. Será que só eu sou curiosa? 
O tal bigode é um símbolo na luta contra o câncer de próstata masculino, a marca foi lançada na França, é como o nosso espiral, símbolo da luta contra o câncer de mama.
Só para constar "Carpe diem" é uma frase em latim de um poema escrito por Horácio, que segue, em latim e traduzido.

Carpe diem quam minimum credula postero
Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint
Leuconoe, nec Babylonios temptaris numeros
Ut melius, quidquid erit, pati
Seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare
Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida

Colha o dia, confia o mínimo no amanhã
Não perguntes, saber é proibido, o fim que os deuses darão a mim ou a você
Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia não brinque
É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho
Se muitos invernos Júpiter te dará ou se este é o último, que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar
Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo reescale suas esperanças
Mesmo enquanto falamos, o tempo ciumento está fugindo de nós

22 de janeiro de 2013

Luz, câmera, ação

Martha Medeiros escreveu o que segue, ao comentar sobre o novo programa da GNT, dirigido por Selton Mello, chamado Seção de Terapia, gosto muito dos 3: Martha, Selton e GNT. Muitos do que eles escrevem, falam, transmitem, parece ler meus pensamentos, traduzir minhas opiniões e indagações, assim como, o que eu escrevo, parece ler os pensamentos alheio por muitas vezes e isso é fascinante.

"Analisar-se é aprender a narrar a si mesmo. Parece fácil, mas muitas pessoas não conseguem falar de si, não sabem dizer o que sentem. Para mim não é tão difícil, já que escrever ajuda muito no exercício de expor-se. Quem escreve está sempre se delatando, seja de forma direta ou camuflada. E como temos inquietações parecidas, os leitores se identificam: “Parece que você lê meus pensamentos”. Não raro, eles levam textos de seus autores preferidos para as consultas com o analista, a fim de que aqueles escritos ajudem a elaborar sua própria narrativa.
Meus pensamentos também são provocados por diversos outros escritores, e ainda por músicos, jornalistas, cineastas. Esse intercâmbio de palavras e sentimentos ajuda de maneira significativa na nossa própria narração interna. Escutando o outro, lendo o outro, se emocionando com o outro, vamos escrevendo vários capítulos da nossa própria história."

Sinto que faço análise ao escrever e me delatar, retratar e indagar e isso se estende ao que leio, assisto, ouço e por isso defendo muito por aqui a seleção de leituras, músicas, filmes, assuntos, valores que colocamos em nossas vidas, para que a narração seja da melhor qualidade possível e as cenas dos próximos capítulos sejam sempre dignas de óscar.

21 de janeiro de 2013

Felicidade
É um fim de tarde olhando o mar
O céu
É a água fervendo para o café
O marido que chega do trabalho
O filho crescendo a cada dia
A cama limpa e cheirosa
Tarefas cumpridas
Um abraço, um sorriso
...

Todos contra as drogas

Que vejamos copos vazios 
Ou cheios de suco, água, pode até ser de refrigerante
Becos cheios de crianças e adolescentes sadios
Pessoas cheias de vida, esperança, afeto, valores
Hoje começa a ser colocada em ação
Política, prática e luta
Através da internação compulsória
Que devia ser adotada a meu ver pos todo o país
Que o Brasil e outros países do mundo
Poder público, empresários, voluntários
Quem está envolvido diretamente com usuários
Das drogas mais pesadas as mais "leves"
Usuários de álcool a drogas sintéticas
Famílias, amigos
E quem não está envolvido
Se sensibilize, mobilize, ore
Mudemos e façamos mudarem os hábitos
O tratamento com quem usa e incita o uso de drogas
Nada de beber e dirigir
Nada de usar nenhum tipo de droga para se divertir
Toda droga é uma droga
Parece um assunto meio pesado para começar a semana
Mais a vida não é um mar de rosas
E para que seja o mais florida possível
Cuidar das ervas daninhas é necessário

19 de janeiro de 2013

Li a pouco uma matéria sobre a sanção pelo governador do Rio de Janeiro, de uma lei que institui o "Programa de Resgate de Valores Morais, Sociais, Éticos e Espirituais" em todo o Estado e não resisti em publicar, divulgar e registrar minha admiração e desejo da sanção dessa lei aqui na Bahia e em todo o território nacional.
Conversávamos dia desses aqui em casa da extinção arbitrária, na nossa opinião, das disciplinas : EMC (Educação Moral e cívica) e OSPB (Organização social e política do Brasil), constantes no currículo das escolas.
O projeto desse programa sancionado no Rio, foi proposto pela ex-atriz global e atual deputada estadual Myrian Rios e foi apresentado e defendido por ela em junho de 2011, dentre outras argumentações, com a seguinte citação:
"Infelizmente, a sociedade de uma maneira geral vem cada dia mais se desvencilhando dos valores morais, sociais, éticos e espirituais e estes valores são de extrema importância para que nossa sociedade caminhe para o crescimento".
Eu assino embaixo!
O projeto pelo que pesquisei abrange diversas áreas e tenho esperança que seja colocado em prática, levado a sério, que seja transformador pois visa fortalecer as relações humanas, a  valorização da família, a seriedade e compromisso das escolas, das comunidades, do indivíduo e do poder público como os valores morais, éticos, religiosos, pessoais e coletivos.
Segue trecho do artigo 1º da lei:
"O programa deverá envolver diretamente a comunidade escolar, a família, lideranças comunitárias, empresas públicas e privadas, meios de comunicação, autoridades locais e estaduais e as organizações não governamentais e comunidades religiosas, por meio de atividades culturais, esportivas, literárias, mídia, entre outras, que visem a reflexão sobre a necessidade da revisão sobre os valores morais, sociais, éticos e espirituais."
Minha torcida e aplausos!

"E aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente
Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas"
Palavras, poesia e sabedoria
De Gonzaguinha na canção Caminhos do coração
Eu ganhei ontem um abraço recheado de paz
Com a ilustração desse post
E outras ilustrações tão lindas quanto essa
De um telhado vizinho e apassarinhado
Obrigada amiga cotovia!
Obrigada a quem sempre me manda mimos!
Quem passa por aqui!
Quem lembra de mim!
Abraço recheado de paz a todos
Com cobertura de gratidão
E bordas recheadas de carinho e aprendizados

18 de janeiro de 2013

A pé e com fé


 


Ontem foi dia de lavar a escadaria da Igreja do Senhor do Bonfim, dia de culto ecumênico para iniciar a comemoração, retratar e representar a mistura de credos e o respeito a pluralidade cultural da Bahia.
Dia de caminhar da Basílica de Conceição da praia até a Colina Sagrada, como em toda segunda quinta-feira após o dia de Reis. São 8km que fazemos sem pressa, sem reclamar da distância, do calor, da sede, uma caminhada de fé, oração, com muitas baianas caracterizadas, água de cheiro levada em vasos com flores em torços na cabeça, ou abraçados como se não pesassem, aroma de alfazema, tambores, atabaques, timbais, pandeiros, bandas de sopro, cantos soltos, colares de contas com figas nas costas, filhos de Gandhi, filhos da Bahia e de vários lugares do Brasil e do mundo. Todos juntos, caminhando e cantando e seguindo a canção, a emoção, a devoção.
Uma multidão, um tapete humano visto do pé da ladeira, muitas cores misturadas, mas juntos parecem que todos estão vestidos de branco e azul, por fora e por dentro, bonito de se ver, emocionante de participar e bom demais receber toda a energia que circula no ar.

17 de janeiro de 2013

"Comprei o ócio"

No título do post está uma das muitas frases do apassarinhado, poeta, ao meu ver filósofo, formado em Direito, fazendeiro, escritor, Manoel de Barros.
Nascido no Mato Grosso do Sul, em 1916, aos 13 anos Manoel foi estudar num internato religioso no Rio de Janeiro e em 1949 saiu do Rio e voltou ao Pantanal para tomar conta da uma fazenda que herdou do pai.
Foi através de Arranjos para assobio, em 1980, com 66 anos que ele levantou vôo como escritor. Hoje já são mais de 20 livros publicados, que preciso pontuar, não encontrei ao procurar, mais de uma vez nas livrarias aqui de Salvador, prefiro não comentar para não perder a doçura da postagem.
Manoel de Barros é considerado um dos grandes e mais originais poetas da língua portuguesa e para mim é um senhorzinho fofo, meio ranzinza, meio doce, meio maluquinho e meio lúcido, meio relax e meio estressado, um sábio-sabiá. Para quem não o conhece, ou conhece e não se cansa de conhecer, clica aqui para ver um documentário sobre ele, chamado: "Só dez por cento é mentira". Clica aqui para ver apenas o trailer, com comentários.

16 de janeiro de 2013

Essa ilustração não sei se fui eu que achei ou ganhei
Mas estava aqui guardada
Salvei com o nome Ariana
Sou do signo de Áries para quem não sabe
Hoje olhei pra ela e achei com cara de contente
Segue sugestão de fundo musical para combinar

"Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá

Quando a gente tá contente
Tanto faz o quente, tanto faz o frio, tanto faz
Que eu me esqueça do meu compromisso
Com isso ou aquilo que aconteceu dez minutos atrás

Quando a gente tá contente
Gente é gente (gato é gato!)
Barata pode ser um barato total
Tudo que você disser deve fazer bem
Nada que você comer deve fazer mal"

Música de Gal Costa

15 de janeiro de 2013

"Sei que existe o céu e o inferno
E não é longe não
É aqui mesmo"
Palavras de um senhorzinho
Lá do sertão de Pernambuco
Anotadas de um especial que recomendei aqui
Penso igualzinho
Aqui se faz e cedo ou tarde
De uma forma ou de outra
Aqui mesmo se paga ou recebe

14 de janeiro de 2013

“O esplendor da manhã não se abre com faca"
Que nossa semana seja esplendorosa
Abrindo e fechando manhãs, dias
Portas, caminhos, ciclos
Com sabedoria e paciência
Observação e cautela
Delicadeza, afeto e fé

12 de janeiro de 2013

Os outros somos nós

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.”
Salve Nelson Mandela!
Salve o respeito!
Salve o amor!
Bom final de semana!

11 de janeiro de 2013

A dona felicidade

"O trem da alegria saiu agora
Partiu nesse instante 
Da rádio nacional
A gare principal da central
Carregado de ioiôs e colares
Cocares, miçangas e tangas
E sambas para o nosso carnaval
O trem da alegria promete, garante
Que o riso será mais barato dora em diante
Que o berço será mais confortável
Que o sonho será interminável
Que a vida será colorida, etc e tal"
Música de Frejat que ouvi, amei e compartilho com vocês
Em clima de sexta-feira
E prelúdios de carnaval pra quem vive em ritmo acelerado
Eu ainda estou em ritmo de ano novo

10 de janeiro de 2013

Walter Queiroz, poeta, cronista, artista baiano
Bem descreveu:
"A Bahia nasceu pra ser um jeito bom de caminhar
Tomando um sorvete de manga
De mangaba ou de cajá
Um jeito bom de sorrir
Um jeito bom de provar
Na folha da bananeira o gosto bom do abará"
No papel de embrulho acarajé quentinho
Com camarão, vatapá, salada e pimenta para completar
Energia, sabores e cores da Bahia
Para quem por aqui passar

9 de janeiro de 2013

Ser ou ter? Eis a questão

Assisti dia desses uma reportagem no Jornal Nacional sobre o aumento de cursos de medicina em Faculdades sem tradição atrelado a diminuição da procura e empobrecimento dos cursos nas grandes e tradicionais Universidades.
A opção pelos cursos em Faculdades alternativas se dá pelo custo ou por imaginar ser a mais nova mais moderninha ou menos exigente, mais perto e outros detalhes que recaem sobre uma má qualidade de ensino e consecutivamente uma má qualidade de médicos, o que é preocupante. 
Ai pensei, temos muito, mas com pouca qualidade de muitas coisas hoje em dia. Muitos amigos (contatos melhor dizendo), muitas lanchonetes, muitas marcas e achamos isso o máximo, realmente muita coisa é o máximo, mas muito também é o mínimo e muito se perdeu.
Nas perdas não visualizadas ou contabilizadas, por se estar deslumbrado ou alienados, vai se criando um sistema interno que acha que mais é sempre melhor e que o maioria acha, faz, gosta, é bom.
Adolescentes que deviam estar nos playgrounds, shoppings, praças, praias, estão de frente para um  PC ou o celular de manhã, de tarde e de noite, se orgulham em dizer que possuem 3.000 amigos no Facebook, por exemplo e eu duvido que lembre o telefone de alguns deles para ligar, que algum deles atenda de pronto a um chamado, um pedido, coisas de amigos não de contatos.
Pior ainda, adultos, uns sem rumo na vida e outros com família estruturada, dão mais atenção aos amigos virtuais, se preocupam em postar fotos e gracinhas a ver seu filho recém-nascido dar o primeiro sorriso, visitar um amigo doente ou deixar um bilhete de próprio punho na geladeira com alguma gracinha, recadinho, mimo.
Empresas têm cadastros de “clientes” com milhares de nomes, serão mailing´s com quantidade o diferencial ou com qualidade e acompanhamento?
Queremos ter muitas coisas, muitos objetos, viajar muito, ir a muitos lugares que tenham muita comida, muita gente. E a qualidade?
Será que muitos dos nossos problemas não estão relacionados a esses excessos?
Será que não seria melhor termos menos experiências, com mais qualidade?
Ninguém, no sertão por exemplo, tem muitos dos nossos problemas, para eles problema é faltar água, não ter ou não saber onde colocou o candeeiro, porque a noite não há luz elétrica,  ficar doente e não poder trabalhar, ter um parente ou vizinho passando dificuldades, não andar, não amanhecer com saúde para dormir agradecendo pela vida. É uma falta não tirar o chapéu ao falar dos entes que já se foram ou ao pronunciar o nome de Deus.
A busca do muito, do estético, do popular, dos desafios constantes, da excelência, dos valores cultivados e cultuados hoje em dia empobrece a vida, é o que penso. Todo mundo parece querer ser o maior e não o melhor.
Simplificar é a receita da felicidade, o valor está na qualidade. A intimidade de um casal está na mão dada, na troca de olhares que falam, em saber o que o outro está sentindo ou pensando, em ver o que uma pessoa gosta e lembrar-se dela imediatamente. Está no sorriso de uma criança, em descansar numa tarde de domingo com a cabeça vazia, paz no coração
Precisamos de um mundo que valorize a qualidade, a simplicidade do que são as pessoas e as coisas e o quanto podem ser boas e agregadoras e não o quanto podem exibir e ter. E tenho dito!

8 de janeiro de 2013

Hoje cedo nada de post pois fui fazer mercado e pensei de talvez trazer uma boa história de lá, mas além de ter encontrado minha querida e adorável Tia Beta, nada pra contar e muita coisa para arrumar. Preciso só de tempo e coragem para colocar tudo no lugar e mais tarde faço visitinhas e comentários e leio os comentários de quem por aqui passar.
Sejamos como o bambu, com suas principais características:  resistência e flexibilidade, um pouco de cada é sempre bom e para quem gosta de simbologias, o bambu é um símbolo de paz.

7 de janeiro de 2013

Que

Que nós tenhamos uma boa semana
Que tenhamos olhos de olhar e coração de sentir
Com filtros para impurezas
Cura para as mazelas
Força para os vendavais
Que exercitemos sempre a capacidade de esperar, sonhar, crer
Que não percamos a capacidade de amar
Que estejamos livres dos labirintos, poços e becos ruins
Que tenhamos impulso de voo e serenidade de repouso
Cada um no momento necessário

6 de janeiro de 2013

Bençãos dos Reis

Hoje é tradicionalmente o dia de guardar os enfeites de natal, dia de festejos populares em todo o mundo aos Reis magos. 
O evangelho de Mateus 2:1, os descreve como “homens que estudavam as estrelas”. O texto não menciona quantos eram, mas foram definidos como três por causa dos presentes que levaram: ouro, incenso ou olíbano e mirra, essa concepção surgiu no séc. VII d.C. Já a tradição oriental falava que eram doze.
Com relação aos nomes, Gaspar significa “Aquele que vai inspecionar”, Melquior “O Rei é minha luz” e Baltazar “Deus manifesta o Rei”. O termo Reis foi acrescentado mais tarde e foram assim nomeados pois antigas profecias diziam que reis prestariam homenagens ao Messias. Já o termo mago deriva do latim magus e do grego mágos e significa sábio e sacerdote da Pérsia. 
Os magos eram estudiosos da astrologia e astronomia e da grande  importância dessas duas ciências na época, surgiu o culto e a mística em torno da Estrela de Belém, associada ao nascimento de Jesus, assim como outras histórias de estrelas em movimento foram associadas a presságios de morte ou nascimento de grandes homens, como o cometa associado ao assassinato de Júlio César em 44 a.C. e não por acaso, 6 de janeiro é o dia em que comemora-se o Dia do Astrólogo.
Na tradição católica, após os festejos do nascimento de Jesus Cristo no dia 25 de dezembro, comemora-se a data da visitação dos Reis Magos ao rebento no dia 6 de janeiro. Em alguns países de origem latina, especialmente aqueles cuja cultura tem origem espanhola, há mais importância e comemorações no dia de Reis do que na noite de Natal.
O Terno de Reis, ou Folia de Reis por exemplo é um festejo de origem portuguesa  tradicional em muitas regiões do Brasil, como aqui na Bahia, em São Paulo, Minas, Espírito Santo, Goiás, Rio de Janeiro, Santa Catarina, dentre outros. No estado do Rio, grupos realizam folias até o dia 20 de Janeiro, dia de São Sebastião e padroeiro do Estado. 
Na comemoração do Terno de Reis grupos de músicos vão de casa em casa, desde o início da noite até o amanhecer, cantando a história dos três Reis magos e segundo a cultura popular quem recebe o Terno de Reis em sua casa é abençoado.
Bençãos dos reis, dos astros, do menino Jesus e de todas as fontes de energia positiva para todos nós.

5 de janeiro de 2013

Fora do tom

Hoje vou sair um pouco do tom do incentivo, das coisas com as quais me identifico, almejo e desejo, para um tom tipo: Pronto, falei!
Tenho preferências e até teorias no que se refere ao gosto por música, literatura, filmes, programação na tv, eventos e afins. Para mim, tudo está correlacionado e tudo produz ou mina nossas energias, maneira de pensar, se comportar, viver e enxergar a vida.
Há mais que diversão em ver um filme ou ler um livro, é mais do que ocupar o tempo e não tem nada a ver com maioria ou moda. São escolhas que podemos e devemos fazer como a comida que comemos, no que cremos, nossa carreira, amigos.
Modas, comportamentos e estilos são, invariavelmente, um reflexo cultural dos grupos e sociedades e a cada dia mais, lamento e desaprovo muito do que vejo.
Na sala de cinema do último filme da saga Harry Potter uma mulher sentada ao lado de meu filho trocava idéias filosóficas com ele sobre o filme. Sem noção a garota?
Não, ela é a adolescente que começou vendo o primeiro dos filmes e acompanhou a história vivendo paralelamente a história dela e provavelmente tendo reflexões e levando reflexos "hariporteanos" para sua vida, compartilhando ali no dia do desfecho de toda uma  história, suas impressões, com quem estava ao seu lado na sala do cinema.
Para quem não assistiu, leu ou se interessou pela história, há mais que bruxaria em todo o contexto, há amizade, fidelidade, luta entre o bem e o mal e uma definição clara de quem é quem, valores familiares, hierárquicos, tradições e por ai lá vai. Sem falar no acompanhamento por trás da câmera, da imagem, vida e conduta dos atores envolvidos, que são formadores de opinião e tem que ser vistos e conduzidos como tal.
Não admito conceituar a saga Crepúsculo como história de amor, romance é o máximo que concebo, do tipo que há hoje, fugaz, inconsistente. Além de amizades de lobo que no meu tempo eram da onça,, amores, valores sangrentos e vazios.
Mudando de tom, gosto de todos os ritmos, levadas e sonoridades, como boa baiana. Desde piano a pandeiro, sons lentos ou agitados, com algumas predileções, é claro, mas o que eu não gosto é de determinadas letras. Para mim ouvir, cantar, achar legal letras que falam de coisas inapropriadas, preconceituosas, ofensivas, degradantes, sem pudor ou sem sentido nenhum é inconcebível. Não tem espaço em minha pilha de cd´s, nem no i-pod, nem no meu carro, casa, festas, etc. Tanta coisa boa há pra se ouvir, eu mereço!
O mesmo ocorre para livros, para mim cinza tem um só tom e sadomasoquismo é cinza escuro e sombrio. Eu gosto de branco, azul, verde e vermelho e não há modismo que me faça entrar em mares e ondas que eu desaprovo.  Aos meus olhos, além do gosto pessoal, pensando coletivamente, poeticamente talvez, mas com propósito e objetividade, devemos buscar ilusões e realidades que agreguem, adicione, dividam, que sejam no mínimo sadias.
Que maravilha seria se os tons da moda, do marketing, se o livro de cabeceira do momento fosse as "Cores de outono" de minha amiga Keila. Não resisti em aproveitar para recomendar o primeiro livro dela, que estou lendo e amando, e ao mesmo tempo elogiar e desejar sucesso para ela, uma pincelada de bom tom para não perder o hábito.
Bom sábado, bom domingo de reis. Realezas ou plebeus, ouçamos músicas, façamos boas leituras, tenhamos bons hábitos.

4 de janeiro de 2013

Primeira sexta do ano

Ei-me aqui
Para a primeira sexta do ano de 2013 saudar
E fitas do Bonfim no portão vou amarrar
E a amigos vou presentear
E boas coisas desejar
A fitas adornam
Simbolizam a fé
E quem tem fé, vai a pé
Garante, almeja, espera, busca, sorri
Alegria não tem marca, preço, padrão
Sonhos tem que ser intermináveis
Na mesa pão
No pensamento, palavra e ação
Coração e razão
E que haja Paz
Branco, azul, verde, rosa, vermelho, amarelo
Que a nossa vida seja colorida
Que além de nossas escolhas
Forças superiores nos mantenha afastados do mal
Que a dona felicidade
Além de idade, cidade ou crença
Bata a nossa a porta
Seja avistada por nós da janela
E nos mostre como a vida é bela

3 de janeiro de 2013


"Olha a menina-flor
Ela emana carinho e amor

É Genial, sábia e simples
Simples como o orvalho da noite
Como a fina garoa que molha nosso rosto

Tina é seu nome
Tina-flor
Doce Tina
Tina-amor

Sabe Tina?
Aquela que com seu jeito nos fascina

Menina, Mulher
Mãe e Amiga
Aquela que é como uma leve brisa no fim da tarde

Por onde passa, semeia harmonia, paz e simpatia
Enche nossos corações de alegria
E colore nossas vidas

Tina-cor, Tina-humor, Tina-raio-de-luz
Tina forte mulher que paz e bem nos conduz

Quem dera existissem Tinas mil
Tinas mil realçariam ainda mais a beleza da vida
Da natureza, dos céus e das simples coisas
Arrancariam ainda mais sorrisos de alegria
E deixariam em mais pessoas o gostinho bom de viver"

A Gratidão é um sentimento, um valor, uma dádiva tanto quando praticada, quanto quando recebida. A palavra vem do latim gratia que significa honra ou homenagem prestada a alguém. Tem ainda no nosso vasto e simpático vocabulário palavras derivadas como  agradar, agradecimento, gratificação e congratulação.
Comecei o ano com poesia, amizade, homenagem, gratidão e emoção. Recebi por e-mail uma linda e encantadora poesia, de  uma amiga aqui da blogosfera, Marcilane é o nome dela, nome que tem origem francesa, uma variante de macela ou marcela, erva da flora brasileira, aromática e calmante.
Recebi ontem orquídeas, de meu marido, no final do dia, quando ele voltou do trabalho, como simbologia de um feliz, fértil e florido 2013. 
Recebi hoje um convite para participar de um livro que será uma coletânea de textos a ser publicado ainda esse ano e recebi hoje também, uma porção de ilustrações fofas, a desse post é uma delas, da amiga e irmã passarinha Sheilinha. A essa troca constante de figurinhas para ilustrar nossos blog´s chamamos de mimos.
Tenho recebido desejos, comentários, declarações de amizade, mimos, admiração, gratidão, boas energias e agradeço a cada um, do fundo do meu coração.

Eu sabiá laranjeira

"O tempo 
Não corre depressa quando o observamos
Talvez haja mesmo dois tempos
O que observamos 
E o que nos transforma"
Reflexão de Albert Camus
E imagem de um sabiá laranjeira
Aqui na blogosfera 
Passei a ser chamada de passarinha
E meu avó me chamava de flor de laranjeira
Rosana também passou a me chamar assim
Logo, me identifiquei com a espécie
E sigo daqui a observar o tempo
Sendo a mesma e uma nova
A cada voo, olhar, cantar, silenciar e pousar

2 de janeiro de 2013

Palavras, pensamentos e poderes

Seguem trechos de um texto de Luiz Marins, antropólogo, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior:

“Sei que para muitos pode parecer uma grande bobagem, mas a palavra, principalmente as palavras que repetimos constantemente, tem um poder incrível para nossa motivação e nosso sucesso.

Quando repetimos muito uma afirmação, essa imagem criada pelas palavras que dizemos vai formando em nossa mente as condições de motivação para que aquilo que afirmamos se torne realidade. Isso acontece porque agimos de acordo com o que acreditamos, com o que afirmamos, com o que repetimos constantemente. A repetição e a imaginação são duas forças mentais poderosas que recebemos do Criador com exclusividade e precisamos aprender a utilizá-las em nosso benefício.

Preste atenção e verá que todas as religiões utilizam essa força. Os católicos recitam o Rosário ou um terço do Rosário, repetindo 50 vezes a Ave Maria. Os orientais se utilizam de mantras que são repetidos incessantemente para entrar em estado de relaxamento e meditação. O homem primitivo quando, na noite anterior à caçada, fazia a dança da caça, repetia incessantemente que iria caçar aquele animal e mesmo desenhava o animal em suas cavernas, acreditando já tê-lo caçado.

Tudo isso não acontece à toa ou porque todos sejam loucos ou ingênuos. O homem primitivo e a sabedoria dos antigos já utilizava o que hoje se observa pela ciência. A medicina moderna afirma com toda a segurança que pessoas que repetem pela oração seus pedidos de cura (e acreditam no que estão pedindo e dizendo) e já se imaginam curadas, agradecendo antecipadamente a cura, têm uma possibilidade de recuperação muito superior aos que não acreditam, não rezam, não se imaginam curadas.”

Palavras e pensamentos com adornos de esperança e bondade, toques de sutileza, carinho, resumo ou detalhamento, dependendo da ocasião, pessoa, lugar, intenção, se valendo sempre da sabedoria e certeza de que tanto as palavras, quanto os pensamentos tem poderes.

1 de janeiro de 2013


“Somos feitos de átomos
Dizem os cientistas
Mas um passarinho me contou 
Que também somos feitos de histórias”  
Disse uma poeta americana para Eduardo Galeano
E achei perfeita essa frase para começar o ano
Somos feitos de histórias
Nossa vida é feita de histórias
Muitas histórias serão escritas em 2013
Que sejam boas
Como diz a canção de final de ano
"Depende de nós
Quem já foi ou ainda é criança
Que acredita ou tem esperança
E faz tudo por um mundo melhor"
Temos um livro com 365 páginas em branco
Mãos a obra então
Com aplicação de nosso conhecimentos e experiências
Novos aprendizados
Ilustrações
Emoções