7 de janeiro de 2014

Detalhes



Escrever eu acho, é como dispor objetos em uma estante vazia, com suas mil possibilidades. Há quem comece pela disposição das coisas grandes e vá encaixando as pequenas. Há quem pense em expor o que é belo e esconder o que julga feio para si ou para os outros. Há quem não arrume nada e saia colocando a esmo tudo que tem, que ganha, acumula.
E terminada a arrumação a cada coisa que se mexe, o que se vê, não é o mesmo, tanto nas estantes quanto nos textos. Comigo acontece assim: se eu escrever e depois pegar o mesmo texto para refazer, mudo sempre mais do que o que mexo em si, mudanças que fazem grande diferença, para mim ou para quem lê. E um detalhe as vezes, muda tudo.
Falando em detalhes, semana passada em um passeio que não imaginei ser tão legal o lugar, entre pessoas queridas em uma paisagem natural belíssima, fiz uma descoberta simples e encantadora: Eu, consumidora assídua de dendê, me toquei que nunca me perguntei ou vi ou soube de onde vinha o azeite dos deuses e  lá estava eu, debaixo de um dendezeiro achando ser coqueiro.
No chão avistei e peguei um coquinho avermelhado e logo pensei: Sinal de sorte enviado por Iansã, na cor do ano vindouro? Não! O fruto do dendê, que amei conhecer, morder sujinho e assadinho na brasa, receita de Eduardo, cunhado de meu marido.
Detalhes! A vida é feita de detalhes, sementes, frutos, palavras, frases, retalhos, que costurados, adornados, valorizados e por vezes remendados, adaptados, são por nós, pelos que nos cercam e pelo mundo semeados, escritos, lidos, cantados, desenhados, nos fortalecendo, formando, transformando.

8 comentários:

  1. Que descoberta legal,tina! nunca vi também esse dendezeiro...E a vida é assim.Nos detalhes crescemos,aprendemos e nos alegramos! Linda foto! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Tinaaaa

    sua lindona. Que passeio maravilhoso.
    A vida é feita de detalhes que bom que vc se deu conta pq vai aproveitar muito mais.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Já devo ter passado por um dendezeiro e não o reconheci. Achei que era um coqueiro qualquer. Esta falta de reconhecimento deve deixá-lo bem triste. Tal qual o boi no açougue que sempre ouve a madame pedir "quero carne de vaca". Afinal, detalhes tão pequenos, já dizia o Rei RC, são importantes e fundamentais para a nossa felicidade.

    ResponderExcluir
  4. Eis a beleza da natureza, que eleva em nossos olhos as descobertas mais singelas! abração

    ResponderExcluir
  5. Querida Tina
    Gostei de conhecer o dendezeiro
    A vida é feita de detalhes e momentos que devem ser bem aproveitados
    Te desejo uma abençoada semana, querida
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  6. Nunca, nem sequer provei dendê... que dirá saber aonde faz ninho :(
    Sobre escritos e escritores, soube de um que tem por característica voz rouca: escreve e lê em voz alta várias vezes seus romances, gosta de ouvir suas frases e perceber a tonalidade, a ênfase, a tranquilidade que elas passam.
    São os detalhes...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Xiii... Se vc não fala, eu acharia se coqueiro também! Não conheço dendê, nunca vi o fruto ou se vi, não reparei! Quanto a escrever e rescrever, estou nessa há 3 semanas, enrolada num artigo acadêmico! Mas vou dar conta! Beijos e aproveita esse lugar lindo!

    ResponderExcluir
  8. Passa por um coqueiro mesmo! Que legal descobrir assim rs.
    Somos uma mudança constante, por que não se aplicaria aos textos?

    Bons textos e semeaduras!

    ResponderExcluir