17 de março de 2014

Sobre portas

Sobre portas, em uma pesquisa, me chamou atenção o nome de uma
Que até então eu desconhecia
Nada menos que uma das obras de Rodin
Ai lembrei que fui a uma exposição de esculturas dele
A alguns anos aqui em Salvador
Me vi com meu filho diante do gigantesco, imponente
Histórico e enigmático pensador
Que me fez descer literalmente do salto
Minhas sandálias de saltinho
Tiveram que ser deixadas na entrada
E sapatilhas tipo hospitalares foram por mim calçadas
Por causa da instabilidade do assoalho não causar danos as obras
E pelos passos assustarem os silêncio
Que fazia parte da contemplação coletiva e individual
Nada de máquinas de fotos
Ainda bem, pois eu não estava nada fashion com aqueles pisantes
A obra: Porta do inferno não me lembro ter visto na tal exposição
Nem sempre conseguimos prestar atenção a tudo
Ou nem sempre as grandiosidades nos marcam
A tal porta, é ornada com 200 figuras e grupos
Um universo de detalhes e significados
Para o qual Rodin usou de referência diversas obras
Como o Inferno de Dante Alighieri, no épico “A Divina Comédia”
“O Juízo Final”, de Michelangelo
“A Barca de Dante” , de Eugéne Delacroix
E a escultura em bronze de Lorenzo Ghiberti “A Porta do Paraíso”
Para aliar reflexão a culturice sobre portas
Li em algum lugar
Que não serve só para portas, mas também para vida
Se está escrito puxe, não adianta empurrar
Ponhamos essa chave no nosso maço
E já comecemos a semana abrindo ou fechando portas

14 comentários:

  1. Lindo,Tina! Bela =o empurrãozinho pra iniciar a semana:abrindo as portas... Adorei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo post, Tina! Adorei.
    Beijos e uma linda semana.
    Lita

    ResponderExcluir
  3. Que belo!
    Bom início de semana com bater de asas perto dos ouvidos para arrepiar!
    :)

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Tinaaaaa

    vamos abrir as portas da alegria e fechar as portas da infelicidade.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Que delícia de postagem... Tina acho que vou começar a semana fechando uma porta. Abri, vi o que tinha lá dentro, milhões de incertezas. É melhor eu sair antes que eu não consiga mais, pois tenho certeza que vou me machucar.
    Bêjo

    ResponderExcluir
  6. Oi querida Tina, sempre abrir as portas boas, as que trazem felicidade, né??
    Beijos e boa semana!!

    ResponderExcluir
  7. Quisera eu fechar algumas tantas portas de aborrecimentos e abrir outras tantas de prazer! Seria bom, não! Mas a sua no caso, muito interessante!. Não o sabia! Um grande abraço! Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Tina, portas abertas para a felicidade!
    Bjs
    Pedrinho

    ResponderExcluir
  9. Tina,
    No Convento de Cristo em Tomar, cidade onde vivo, há uma parta também muito trabalhada e cheia de significados. Não é Rodin, pois claro, mas essa a que se refere é belíssima e podemos passar horas observando cada pormenor. Nunca a vi de verdade, mas apenas num livro de arte onde encontro imagens de muitos dos seus detalhes.
    Afinal, as portas são inúmeras nas nossas vidas... abrir as da nossa mente para nos encaminhar para a felicidade é, por vezes, bem complexo, mas sempre tão belo!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Olá Tina,
    Amo portas, tenho centenas de fotos, costumo fotografa-las por onde passo. Tem de todo jeito e maneira: abertas, fechadas, de noite, na chuva etc. As antigas são as minha preferidas, com as marcas das pessoas que por ela passaram.
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Já andei batendo algumas portas, com muita raiva. Hoje eu prefiro abrir as janelas e dar uma espiadinha só para ver o lado de fora,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bater portas quando estou irada, tão eu ):)

      Excluir
  12. Desconhecia essa porta embora tenha uma admiração enorme pelas obras de Rodin. Talvez me tenha fixado nas esculturas, bastante divulgadas. Essa colocação sobre abrir e fechar portas está, de fato, ligada à vida, pois elas são inúmeras em nosso existir. Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Pois é Tina, quando as obras de Rodin estiveram em Salvador eu não consegui visitar. Uma pena, lástima, mas enfim, havia feito uma cirurgia. Mas quanto as portas, quero abri-las, sempre!
    Beijo querida,
    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir