10 de abril de 2014

Das distâncias

Esse é um post de reconhecimento, percepção e reflexão sobre distâncias. Dos tipos concretas e abstratas. Os parceiros que escolhemos na vida amigos e amor, por exemplo, são próximos de nós por nossa opção e distantes no que se refere as vezes a geografia, a afinidades e destemperanças comuns a sermos cada um de um jeito e a acontecimentos diversos dos caminhos que percorremos juntos e também dos que percorremos separados.
Essa foto é da distância percorrida por meu marido até a portaria de onde ele foi pelo trabalho, em Atibaia, por dois dias. Porque que ele tirou essa foto e para que ia até a portaria? Porque Atibaia tem pareja com Tapiré, lugar fictício da novela Além do horizonte, lá no mundo real e conectado de hoje, não tem sinal de celular e internet, o que não me parece um bom lugar para concentrar gerentes e responsáveis por equipes, produtos e serviços, mas vamos a parte romântica da história. Ele fez muitas vezes esse percurso, simplesmente para dar bom dia, falar que ia para reunião, perguntar como eu estava, contar coisinhas, saber coisinhas, mandar fotos que tirou por lá. Vale valorizar, tarde da noite e de dia sob o sol, camisa, calça e sapatos sociais.
Mas isso é pouco para o que ele fazia a uns anos atrás quando foi transferido para Maceió e ia de carro toda segunda e voltava toda sexta: 600km, todo final de semana por muitos meses. Fez isso também quando passou um tempo Aracaju. Ele também ia nos idos da adolescência, a pé para a escola ou de minha casa para a dele (longe a beça). Guardava o dinheiro do transporte para comprar coisas para mim ou não tinha o tal dinheiro para o transporte.
Uma vez fomos juntos a pé por um percurso longinho para sacar um dinheiro no banco e chegando lá lembrei que esqueci a senha em casa. E ele brigou? Fez cara feia? Me chamou de mil e um nomes feios? Não! Voltamos conversando e de volta fomos no banco e de volta fomos para casa. Essa parte tolerante e doce está um pouco gasta, com reações encaroçadas as vezes, mais seguimos caminhando juntos, pelas distâncias e proximidades nossas de cada dia.

11 comentários:

  1. Que linda reflexão sobre as distâncias e no que expressas vê-se claramente a proximidade dos corações de vocês, mesmo longe fisicamente. isso é o que vale e muiiiiiiiito! Valorizar é preciso! beijos,felicidades aos dois! chica

    ResponderExcluir
  2. Nossa... que reflexão... caminhar juntos! #delícia

    ResponderExcluir
  3. Coisa boa é ter um companheiro de verdade. Mas confirma para mim: o tel do marido é OI? O meu é e só pega na segunda chamada. Lugares que não conecta. O #G não funciona. Mas como falo de graça com ele vou aguentando esta porcaria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Vivo, que ficou morto e as vezes desmaia...rsrs

      Excluir
  4. Parabéns pelo maridão,carinhoso, educado e é claro apaixonado eternamente.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Amor e distância são os maiores construtores de pontes!
    Reflexão, distâncias e proximidades, juntos, sempre fica melhor.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Ai que lindo Tina, me fez lembrar de muitas passagens assim, que tivemos eu e meu marido. Nesses quinze anos que vivemos juntos, muitas viagens, e algumas bem longas e distantes interromperam nosso convívio, mas nunca o carinho, a atenção e a preocupação de um com o outro. E que permaneçamos assim!
    Beijo querida,
    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Que lindo Tina. Isso tudo só prova o quanto existe amor e cumplicidade.

    Grande beijo

    Nanda

    ResponderExcluir
  8. Olá Tina,
    Linda sua declaração de amor e reconhecimento do amor!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Que bom amiga que vc sabe olhar por estas frestas da vida e valorizar os sacrifícios e esforços daquele que te ama... isso é tão raro, eu qua já caminho para os 36 anos de união e muitas distâncias vencidas sei bem da importância de se valoriza estes "detalhes" tão importantes.
    Bjs e muitas distâncias vencidas com amor.

    ResponderExcluir
  10. Tina,isso é que é amor! Tem muitos caras por aí que não vão nem até a padaria pela amada...rss....adorei o seu texto e sua linda história de amor! bjs,

    ResponderExcluir