20 de abril de 2014

Ovos mexidos

Dei uma de repórter investigativa sobre o que fazem as pessoas hoje em dia no dia de Páscoa, cisquei aqui, ali e acolá para ver se achava algumas sementinhas variadas e não achei lá muita coisa. Aqui em terras baianas, nada de decoração nas casas, guirlandas nas portas como em países europeus e da América do norte, mesas postas com detalhes temáticos, tradição de esconder ovinhos para os menores ou colocar o ovo fora da porta e dizer para criança abrir pois alguém tocou e perguntar fantasiosamente se não terá sido um coelhinho.
E não venha me dizer que as crianças de hoje não são bobas. Nunca fui boba, mas tive infância, não nasci com tpm e cheia de certezas e inteligência pura. Acreditava em contos de fadas, histórias, duvidava as vezes, mas tinha magia na vida que me era apresentada, pois são os adultos que apresentam a vida, com mistérios, sonhos e realidade as crianças. Tem uma história, de um menino que conheço e criei que trocou a chupeta por um ovo de páscoa.
De lado anda a tradição de serem os padrinhos quem dão os ovinhos a seus afilhados, ao lado de tantas crianças que nem batizadas são mais, padrinhos que não dão a menor importância ao papel que assumiram e por ai lá vai. Nada de a maioria saber os símbolos da páscoa e nem de longe o que tem a ver cenoura, com ovos, coelhos e chocolates.
Mexido tudo isso, que nem ovo de galinha, há a obrigatoriedade e falta de originalidade no objeto comercial da data ser o famoso ovo de chocolate. Para as crianças pequenas ou grandes nada de variações, uma caixa de chocolates não vale, coelhinhos de pelúcia ou plásticos para crianças menores também não valem ou valem se vierem com um ovo de chocolate. Nas maioria das escolas, além dos amigos secretos de chocolate, dos ovos e coelhos nas ilustrações das tarefas, nada de pintar ovos de galinha e ensinar como esvaziar sem quebrar a casca e rechear com doces ou papel picado. Nada de confecção de cenourinhas, no máximo orelhas nas crianças e em escolas públicas, uma data qualquer.
Há os não tão famosos e deliciosos pães de páscoa, que são como os do Natal,  minha mãe disse que lá onde ela nasceu e cresceu, era tradição os padrinhos darem aos afilhados um pão, chamado roscão. Os almoços são tradicionais, religiosos e diferentes em cada região, cada família. Lá na casa de meus pais espanhóis por exemplo, sexta-feira santa é dia de peixe ou bacalhau e a Bahia se rende ao caruru. Domingo fartura como filhotes de coelhos de pratos diversos.
A Semana santa, foi para muitos e hoje ainda é para poucos um momento de estar em casa, em família, tipo um Natal de meio de ano, de ir as missas e não um feriadão, uma oportunidade imperdível de viajar, encher a cara e fazer coisas que se faz o ano inteiro além da conta.
Eu tenho em mim umas americanices, não por influência, por gosto mesmo e acho o máximo a tradição dos coelhinhos na Casa Branca. Ritual infantil seguido por um homem poderoso, que publicamente se diverte e curte, se não é com gosto, bem fingidamente. Obama me pareceu uma criança no ano passado.
Minha ciscada, cutucada e desejo de que em cada casa e de maneira viral como se é moda fazer algo pegar hoje em dia a semana santa e a Páscoa sejam uma oportunidade extra de reflexão, de agregar, de sermos tradicionais e criativos, de valorizarmos os laços de família e adornarmos nossa fé!

5 comentários:

  1. Bonito seu texto, Tina. Aqui em Portugal existem variadas tradições de Páscoa. Realizam-se procissões, há cozinhados e doces específicos, amêndoas das mais variadas e ovos de chocolate. Desejo um Feliz Domingo de Páscoa pra vc e sua família.
    Beijos
    Lita

    ResponderExcluir
  2. Tina, que lindo teu texto e ciscadas aqui e lá! Gosto das tradições de Páscoa, aqui, as de Itália e as alemãs.Aqui em casa sempre uma mistura de todas! FELIZ PÁSCOA! bjs,chica

    ResponderExcluir
  3. Que se fortaleçam as relações familiares assim como se fortalece as marcas de ovos de chocolate.
    Paz e a alegria do convívio!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Tina,aqui em casa tb não se faz nada de muito diferente. Há o almoço de Páscoa que nada mais é que um almoço de domingo em familia com a mesa mais caprichada na decoração...rss...o que vale mesmo e sempre é estarmos todos juntos! Boa Páscoa pra vc e sua familia, bjs,

    ResponderExcluir
  5. Não me lembro de sexta santa sem bacalhau, e eu sempre comia muito pouco, porque não aprecio bacalhau e muitos outros tipos de peixe. Mas sempre achava interessante a reunião, as histórias, a tradição se repetindo anualmente. Nesse ano nada mudou. Inclusive as histórias, que eu gostaria de ter escrito e colocado lá no blog, mas não deu tempo.
    Passamos o ano renascendo e não nos damos conta disso. A Páscoa simboliza as renovações que aconteceram, que acontecem e que ainda acontecerão.
    Legal ter dado uma investigada nisso, é tão legal se deparar com tradições mantidas.
    Feliz Páscoa, Tina!

    ResponderExcluir