30 de abril de 2014

Tomara

"Tomara que os olhos de inverno das circunstâncias mais doídas não sejam capazes de encobrir por muito tempo os nossos olhos de sol. Que toda vez que o nosso coração se resfriar à beça e a respiração se fizer áspera demais, a gente possa descobrir maneiras para cuidar dele com o carinho todo que ele merece. Que lá no fundo mais fundo do mais fundo abismo nos reste sempre uma brecha qualquer, ínfima, tímida, para ver também um bocadinho de céu.
Tomara que os nossos enganos mais devastadores não nos roubem o entusiasmo para semear de novo. Que a lembrança dos pés feridos quando, valentes, descalçamos os sentimentos, não nos tire a coragem de sentir confiança. Que sempre que doer muito, os cansaços da gente encontrem um lugar de paz para descansar na varanda mais calma da nossa mente. Que o medo exista, porque ele existe, mas que não tenha tamanho para ceifar o nosso amor.
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, dos pesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz." Texto de Ana Jácomo, como minha despedida de mais um abril e preparação para o inverno que acena ao longe com seu lenço branco neve. Aqui em Salvador nem nas portas de sua chegada a parte fria dessa neve faz morada, mas o branco toda sexta é sagrado, faça frio ou calor, chova ou faça sol.

11 comentários:

  1. Que tenha o tempo apenas suficiente nossas tristezas; que tenha o tamanho e o peso exatos. E que a gente não queira a ela se agarrar tirando de nós mesmos a possibilidade de deixar o sol entrar.
    Tristezas e medos existirão e não há como fugir, fazem parte do nosso viver. Podemos sempre, apesar dos abismos, escolher e deixar que a alegria volte!

    Lá se vai abril e eu me lembrei de você ontem à noite ao pedido de compra, feito por minha filha, de uma bacia. É chegado o tempo de escalda-pés. Coisas que nem perto da Bahia passam!
    Acenos com lenços de neve daqui. Boa sexta-feira. Bj

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto e a Ana é fabulosa! Que abril se vá e chegue maio, cheio e pleno de alegrias! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria, para não perder a deixa e rasgar seda que as Anas são, a do texto e a do primeiro comentário :)

      Beijos e carinho amiga joaninha solar \o/

      Excluir
  3. oi Tina

    Tb adoro a Ana.
    O que não podemos perder é a esperança e a vontade de sermos felizes.

    Que maio venha carregado de alegrias.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina
    Ana, escreve lindamente,adoro seus textos!
    Que maio venha com sua doçura!
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  5. Lindo, lindo!
    Importante mesmo não deixarmos que nada nos roube o prazer de ser e sentir a vida...
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Como escreve esta Ana Jácomo...toca sempre o coração da gente! é verdade, Salvador é sempre quentinho, mas aqui no sul já temos ares de inverno chegando...bom feriado! amei as meias da menina!

    ResponderExcluir
  7. Ai Tina,tomara mesmo! Confesso que não sou nada invernal...rss...queria ser baiana e tomar banho de sol todo dia,vestir branco na sexta...rsss...que coisa boa! Um texto muito gostoso de ler e sentir! bjs,

    ResponderExcluir
  8. Adoro os textos da Ana, este é belíssimo!
    Puxa, abril já acabou…o ano está voando, a vida está passando...
    Vamos viver!
    Bjs e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  9. Tomara. :)
    Esse texto é lindo. Bom feriado!!
    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
  10. Lindo texto de Ana Jácomo
    #tomara

    Imagem linda também Tina.

    Abraço.

    Ana Virgínia
    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir