9 de junho de 2014

Iluminices

Que as luzes que nos guiam
Seja mais fortes que as dificuldades que nos cercam
Vou da prece para descontração e relatos da vida nossa de cada dia. Do tempo em que as lâmpadas eram do tipo bujudinhas como balões de ponta cabeça enroscados aos bocais do teto ou fios de lâmpadas em festas juninas e dessa meada resolvi trazer esse objeto já tão moderno com nome robótico de luz dicroica, propriedades, modelos e durações além vida ao ouvir a notícia num telejornal de que sairão de circulação as lâmpadas de 60 whatts.
Na minha memória de iluminação está um fio com uma lâmpada comum em uma das pontas, entre as coisas de meu pai, nome da engenhoca para momentos de concertos de carro e outros concertos e necessidades de iluminação em locais escuros e sem tomadas: gambiarra. Tinha tambem umas coloridas, pequenas e pontudas usadas no presépio no natal, as de dentro da geladeira que queimavam e ele me dava enrolada em jornal para eu comprar uma nova em lojas de material de construção, onde fui muitas vezes comprar pregos, parafusos, lixas e mil e uma utilidades e inutilidades
O tempo de vida das lâmpadas eram menores e os preços também e confesso que até hoje vou comprar lâmpadas com a referência das de 60 serem mais fortes e as de 40 as mais fraquinhas e fico perdida nas novas descrições e mil e um modelos que podem caber ou não dentro do plafon, luminária, lustre. E apesar de as lâmpadas terem mudado muito em formatos, duração, consumo e preços, há algo que creio ser uma conexão entre os objetos elétricos e eletrônicos, que não muda.
Sejam antigas ou novas, as lâmpadas e eletrodomésticos e eletrônicos em geral ou partes mecânicas e elétricas de carros, parecem ter uma ligação entre si. Algo acontece, que nem ciência, nem Freud explicam, que quando uma coisa pifa, outras pifam junto, uma atrás da outra feito dominó enfileirado. Sério isso! Uma lâmpada, depois outra, ai o ventilador, a torradeira.
No caso específico das lâmpadas quem ai confessa que quando aperta o interruptor e a luz não ascende entra numa de ligar e desligar trocentas vezes antes de entender que queimou e tem que trocar? E quem ai tem lâmpadas reservas, resistências de chuveiro reservas? Vou fazer que nem criança exibida: - Eu tenho! E também tenho sempre velas numa caixinha, que servem além de para faltas de luz, para decorar, exalar cheirinho de cera que eu adoro, para espantar os maus espíritos, fazer pedidos, prece, oração, para as imagens dos nosso altares se sentirem aquecidas e queridas.
Chega de papo, vamos que vamos e que tenhamos uma semana iluminada, com bençãos, energia, paz e bem, por dentro, por fora e além. Amém!

7 comentários:

  1. Gostei de te ler e de tuas divagações... Vamos estranhar sem essas lâmpadas,não! Mas vamos em frente mesmo e com a cabeça iluminada para que assim a nossa vida também o possa ser! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Menina,
    como ficamos meio perdidas diante destas mudanças impostas, mas é para um melhor proteção ao meio-ambiente.
    O importante é seguirmos com teus votos de cabeças iluminadas e dias brilhantes.Paz e Bem com claridades!
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  3. Oi Tina!
    Quando ouvi tempos atrás sobre estas mudanças iluminadas, quase não acreditei...e a conversa surgiu porque me queixei que não achei no supermercado as tais lâmpadas gordinhas...snifff! ! e agora reformando minha casa, o eletricista junto com a arquiteta me confirmaram tudo isso...pois é, mudanças, mas que sejam sempre para melhor! abraços e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina, essa frase que abre o post é tudo o que eu precisava ler hoje!
    Também tenho uma ligação especial com tudo o que possa emitir luz.
    Bjs e ótima semana

    ResponderExcluir
  5. Embora não conheça, pude visualizar as prateleiras de teu pai cheias de coisinhas - parafusos, resistências, fios e pavios e você ali a iluminar as ideias, a imaginação!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Oi Tina!!!
    rsrs eu tenho!!! Pq onde moro a energia elétrica é meio caótica, então ameaça chove a luz pisca - em casa tem sempre lâmpadas e velas. Houve uma época que havia resistências, mas deu um break nas queimadas de chuveiro, graças a Deus.
    Também lembro dessas lâmpadas antigas. Adora as da árvore, grandes, coloridas e demoravam pra queimar. Agora, quando queima uma, temos que jogar todo o pisca fora rsrs. Quem vai ficar procurando a luzinha queimada no meio daquele emaranhado? rs
    E o efeito dominó é fato, pelo menos lá em casa - foi o liquidificador, a televisão, o espremedor de fruta, o telefone... Os 17 anos de uso começaram a pesar rs.

    Abração esmagador e lindo dia.

    ResponderExcluir
  7. Tina, iluminou tudo por aqui! Lindo texto e adorei a prateleira do teu pai! bjs,

    ResponderExcluir