3 de julho de 2014

Por + Platão - Prozac

Mais Platão, menos Prozac, de Lou Marinoff, é um livro com máximas de filósofos de todos os tempos reunidas com o intuito de oferecer uma ajuda auxiliar ao uso de medicações para males da mente e da alma. Um reconhecimento e incentivo ao valor terapêutico da filosofia e suas aplicações no cotidiano, sem nenhum desmerecimento, muito pelo contrário, a psicologia e psiquiatria. Cada caso é um caso e portanto há que se estudar as soluções.
A propósito não li o livro, se alguém que leu tiver considerações a fazer, sinta-se a vontade. Gostei da proposta e do nome e pelo que li por ai o livro traz a desmitificação de alguns problemas que não são doenças e propõe que trabalhemos a nossa perspectiva sobre nossos conflitos e os do mundo, buscando respostas, segurança e bons resultados. Em resumo é um convite a filosofar, remexer na capacidade humana de tecer perguntas, repostas, buscar curas, soluções, de se auto-motivar e assumir o controle da mente, pensamentos, visão, ações e sentimentos.

6 comentários:

  1. Tina, não li o livro e acho que tens razão, mesmo sem ler...

    Temos que nos livrar de tantas coisas que nos colocam como imprescindíveis, tratamentos pra isso, pra aquilo e tudo assim. Achar o nosso jeito de controlar mente e sentimentos ,nos ocupar com coisas boas, fará uma grande ajuda. Claro, há casos que só com ajuda profissional. beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Tina

    Temos que cuidar do nosso corpo, da nossa mente e da nossa alma.
    Melhor ler um livro do que enfiar a cara nos remédios, que acabam trazendo dependência.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Tanto adorei o título quanto a ilustração escolhida!
    Bem nos faz esse filosofar, seja no sofá de casa, depois de um cinema, com os botões...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Nada contra a filosofia, pelo contrário, mas eu proporia um novo livro: + Poesia - Prozac... rs
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Oi Tina,

    Conheço esse livro, é bem interessante. Concordo que é importante nos permitirmos refletir sobre a existência para encontrar caminhos que tragam sentido para a vida, a maioria não quer ter esse trabalho e prefere tomar um remedinho para acalmar a angústia.
    Mas também há momentos em que a vida nos assola de tal forma que por mais fortes que sejamos sentimos que não vamos dar conta, nestes momentos o remédio, quando bem indicado é muito importante, ele pode dar estabilidade para que a pessoa enfrente seus demônios e saia renovada dessa experiência.
    Bjs querida e ótimo final de semana

    ResponderExcluir