19 de agosto de 2014

Chá?


Acho muito chique tomar chá, as cinco então é a cara da finesse e acho fantasioso também, falou em chá, sou remetida diretamente a mesa cheia de xícaras do filme Alice, a convite do chapeleiro Maluco. Uma senhora , que ajudou a me criar, me ensinou de pequena quando eu teimava para não beber os tais chás ou remédios, a tampar o nariz com o polegar e o indicador e tomar de virada. Fazia isso toda confiante, não perguntando e não entendendo o porque. Mas hoje trouxe um chá delicioso. De quê? De poesia! Bebi na vizinhança e trouxe porções. O escritor cheff se chama Will Willmondes.
"Tomo conhecimento de um projeto no Reino Unido que usa poemas e músicas para ajudar pessoas em idade avançada a recuperarem a memória (veja aqui, mas veja mesmo). Não duvido que a poesia que habita poemas, músicas, pinturas ou qualquer outra expressão de arte seja a cura para muitos males do espírito.
O fascínio causado pela poesia nos faz viver um instante divino no universo em forma de pensamentos e sensações. Somos tocados por algo especial, uma luz suave que não ofusca os olhos e não carece de esforço algum para ser entendida, apenas se veste de metáforas que sublimam a razão. “Quer se queira ou não, - admitiu Bachelard (filósofo francês) - as metáforas seduzem a razão”.
Um religioso dirá que esse poder da poesia é dom gratuito de Deus, um cético admitirá ser um inexplicável estado de leveza da alma fruto da criação humana.
É que a poesia desperta nossa memória e serve de espelho para belas cenas e paisagens adormecidas dentro nós. Ela desvela nossa sensibilidade, desnuda-nos, revela nossa essência fazendo simpatizarmos pelo que somos. “O poema nos revela o que somos e nos convida a ser o que somos”, ensina Octávio Paz em O arco e a lira.
Portanto, não duvido do poder curador da poesia, que chega de mansinho, enamora nossas ideias, desarma nossas preocupações, sopra as poeiras da memória como um esbaforido amante, colore um caleidoscópio dentro de nós e num instante estamos extasiados com a beleza desperta no mundo: um campo de girassóis, uma orquídea, um sorriso, um olhar, um por do sol."

12 comentários:

  1. Com certeza, muitos chás tomamos pela vida que precisamos tapar o nariz... Horrorosos, mas eram "remédios". Mas o chá poesia, esse vale bem à pena! Lindo post e desse nem precisamos fugir...Pelo contrário! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. bom, eu sou bebedora compulsiva de chá, adoro aquele cheirinho reconfortante quando a gente vira a água quente da chaleira, especialmente quando é de hortelã.
    Infelizmente não sou muito entendedora de poesia quanto sou de chás ♥
    adorei a foto, é muito fofa!

    ResponderExcluir
  3. Oi Tina

    Adoro tanto o chá qto a poesia, ambas me dão prazer e um gostinho de quero mais.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Lindo post, eu tbm fui ssim como vc tomando chá amrgos a tapar o nariz, hoje não tomo tantos, mas gosto de alguns sabores, até estamos usando na escola como projeto do folclore para que as crianças apuem o paladar, olfato, agora o de poesia amooooooooooooooo demais. Gostei do projeto.Por falar em poesia lá no blog hoje tem dicas maravilhosas vem conhecer e ver?

    ResponderExcluir
  5. Na verdade o que importa é a leveza da música, a delicadeza do toque e o amor expressado em todas as suas formas. Lindo post e lindo vídeo. Parabéns!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. O poema nos revela o que somos e nos convida a ser o que somos”. Um projeto brilhante e um post enriquecedor. Mais uma vez obrigada, Tina.

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  7. Olá querida amiga! Cá estou de volta!
    Demorou mas...finalmente instalaram a internet aqui no meu novo cafofo!
    Beijos e um abraço cheio de Sol! :)

    ResponderExcluir
  8. Olá, querida Tina
    Foi muito bom te ler agora...
    Como todo religioso, digo que é Dom divino... me faz muito bem e não saberia como 'desafogar' muitos dos meus sentimentos se não fosse pela poesia...
    Um poeta é um um filósofo da dor, da alegria, de mil coisas, enfim!!!
    Valeu muito pra mim e reforçou o meu Dom...
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  9. Poesia é chá para as agruras do espírito, Tina. Com doces gotas de sensibilidade, então...

    Abração!

    ResponderExcluir
  10. Tina, vovó conta que minha bisavó tomava o chá das cinco com as amigas!
    Minha mãe e vovó adoram chá eu não gosto! beijinhos Pedrinho

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho fascínio pela poesia e também pelo chá Tina Flor...amo a forma poética amorosa e as vezes até subliminar de se escrever e expor os sentimentos e a beleza das coisas...
    Tudo vira poesia com olhamos com os olhos da alma transparentes...a música poema cantada me encanta!
    Beijos Tina Flor, cantos de passarinho em sua casa!!!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  12. Sempre tomei chá e o café só pude apreciar quando o meu paladar aprendeu a tomá-lo sem açúcar. Mas o que faz bem à nossa alma é a palavra. Numa poesia, num conto, num texto qualquer. Ela é carinho, desperta a nossa emoção, nos faz sonhar.

    ResponderExcluir