25 de setembro de 2014

Aulinha de palavrinhas internéticas

Ganhei nem me lembro mais de quem essa figurinha
Amei e achei a cara desse post de hoje
Obrigada a quem me mandou que já devo ter agradecido
Mas agradecer nunca é demais né
Ao ilustrador, aplausos com patas de centopéia
Vamos a uma aulinha básica de internetês, não sou nenhuma mestra, nem entendida de palavrês internético e veemente contra o uso de palavras que são desse meio para bate papos e afins na linguagem escolar e comunicação interpessoal de uma maneira genérica (tipo a criatura falar com a avó como fala com a colega de 15 anos). Eu, por exemplo, falo muitas gírias, mas sou contra o uso das mesmas em determinados contextos. Tudo tem sua hora e lugar, como dizia um Padre que rezava missas na Igreja do Bonfim, não tem nada a ver ir de biquíni para igreja nem de paletó para praia.
Voltando ao vocabulês das redes sociais, sempre via a sigla -pap- em sites de artesanices e passei a usar a expressão no automático após descobrir que significa passo a passo. Aprendi e sempre ensino e me acho o máximo por saber, que até pouco tempo eu não sabia, o significado da sigla -tag-. Vale primeiro a explicação enciclopédica que parece mais a segunda explicação do professor de matemática quando eu dizia que não entendi a primeira, invariavelmente piorava. Vamos lá para uma explicação técnica: "Tags são estruturas de linguagem, de marcação, contendo instruções, tendo uma marca de início e outra de fim para que o navegador possa renderizar uma página". Oi??? esse rendenizar do final então. Corri para o moderno pai dos burros. Em tempo, rendenizar é o "processo pelo qual pode-se obter o produto final de um processamento digital qualquer".
A explicação para mim entendível é que são palavras-chaves, usadas para agrupar diversas mensagens que tratam do mesmo assunto. Todo usuário pode criar ou comentar uma Tag no no seu blog. Tags são a cereja do bolo e criadoras de álbuns no Instagram. O que determina uma Tag é o símbolo "#" que deve ser digitado antes do assunto desejado.
Acho sempre bom saber o significado, ensinar e usar palavrinhas novas e velhas, formais ou locais pouco usadas. Enriquece o vocabulário e é um toque de bossa. Falando em bossa e palavras, tive por mais de um semestre na época da faculdade um professor de Língua Portuguesa, um senhor, veterano na instituição, todo cheio de pose, garbo e cara fechada, que todo mundo corria para secretaria para fugir de sua turma e eu fazia questão de pegar, tipos desafio, por ser ariana ousada, para não deixar ele ficar naquela de temido e também porque o cabra tinha um vocabulário de juiz de Direito, falava bonito. E das muitas coisas que ele falava e eu não sabia o que era, eu pesquisava e eis-me aqui, explicando para arrematar, uma palavra aprendida de uma expressão que ele usava em quase todas as aulas: "erro crasso", assim como exigia em todas elas silêncio sepulcral.
Na Roma antiga havia o Triunvirato (muito chique essa palavra e com cheiro de aulas de história, que quem teve bons professores lembra, eu lembro: poder dividido por três generais). O primeiro dos Triunviratos foi formado pelo nightmare time (antônimo de dream time, time de pesadelos em bom português): Caio Júlio, Pompeu e Crasso. Este último foi incumbido de atacar um pequeno povo chamado Partos. Confiante da vitória e arrogante de formação ele resolveu abandonar todas as formações e técnicas romanas e simplesmente atacar e para piorar escolheu um caminho estreito e de pouca visibilidade. E o pequeno povoado conseguiu vencer os romanos. Desde então, sempre que alguém tem tudo para acertar, mas comete um erro estúpido, chama-se de erro Crasso. Adoro essa história!

9 comentários:

  1. Adoro essas tuas aulinhas e empenho em mostrar tudinho que pensas(tão bem) e nos esclarece ou relembra. Legal! bjs, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. Assisti a aula saboreando as delícias feitas com amor. Vou ter um bom dia, com certeza.

    ResponderExcluir
  3. oi Tina

    O mundo virtual tem sua própria língua.
    Mas uma coisa que eu não gosto é de ver os adolescentes escrevendo tudo errado. Nossa e aquelas letras de funk, que começam no plural e terminal no singular rs...
    Não aguento, não consigo.
    Uma coisa é vc aderir linguagens próprias, como as que vc apresentou, outra é escrever errado por modinha.

    bjokas e um lindo dia =)

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito de aprender mais por auqi. Sabe que eu tbm luto para evitar ficar falando em mensagens e reduzir as palavras, não gosto mesmo hehe, tanto que se alguém me manda mensagem importante eu logo ligo heheeh.

    ResponderExcluir
  5. Em princípio acho que vc me deixou um pouco confusa... mas a história do erro crasso, não vou esquecer mais, kkkk
    bjs

    ResponderExcluir
  6. concordo que a gente deve aprender palavras novas, misturar com as velhas e usar tudo, mas o povo pega pesado no que diz respeito à linguagem de internet ou informática. Ouço cada asneira, hahahahaha
    Adorei a história dos imperadores <3

    ResponderExcluir
  7. Adorei saber a origem de alguns termos novos e antigos!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Nossa, eu ouvi incontáveis vezes esse tal de erro Crasso, mas só agora te lendo foi que descobri o significado.
    Ou será que sabia, e por conta do avanço da idade, e esqueci?
    rs
    Agora vou comentar com os filhos, vamos ver se já ouviram falar.
    Abraços com sabor de varinha de condão.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, passei por aqui e tive uma aula de história, português e ainda entendi esta nossa curiosidade de ariana, sou de 15 de abril...sempre a curiosodade nos levando adiante, isso é tudo de bom...amei! beijos e até mais e tomara que os erros Crasso não nos atinjam! bjs

    ResponderExcluir