15 de setembro de 2014

Preta Preta Pretinha

Quem é meu leitor assíduo, lembra de uma postagem que fiz (além de outras com esse tema e nas entrelinhas) sobre a necessidade de livros infantis com personagens negros nas estantes de crianças negras e de todas as cores, de personagens negros em filmes, desenhos animados e histórias contadas, sem caricaturas. Personagens, personalidades, ilustrações negras nos quadros e objetos de decoração de centros culturais, educacionais, nas recepções, nas casas. Clica aqui para ler ou reler. Pois bem! Estou a um bom tempo procurando, para a Pretinha de neve da foto, um dos livros que indiquei nessa postagem e indico sempre pois acho muito interessante, chamado: Pretinha de neve. Nada de ter na Editora, nem nas livrarias. Como pode isso?
Desse livro a história paralela (ou será perpendicular?), de que eu já me fantasiei de Branca de neve em peças, nos idos da minha adolescência, que fazíamos no prédio onde eu morava e de Pretinha de neve para contar a história para uma roda de crianças multicores. A minha amiguinha Lore se fantasiou de Branca de neve esse ano, no bailinho de carnaval de meu sobrinho Zaion. Ou seja, somos princesas gêmeas.
A Princesa Lorenza é filha de uma amiga e na foto, que ela está disfarçada de menina comum, no cavalinho do parque de areia, foi um dia que brinquei com ela como se eu tivesse 2 anos e a noite meu corpo me lembrou que estou me aproximando dos 40. Nesse dia eu prometi a mãe dela que ia achar um exemplar do dito livro nem que fosse num sebo.
E diante da dificuldade de achar o livro e da falta real desse tipo de literatura no mercado, enumerei no post linkado e vou trazer mais sugestões amanhã, nomes de livros com personagens pretinhas e pretinhos, com lendas e cultura afro, para que compremos para as nossas crianças, para dar de presente, para doar para centros culturais e grupos de incentivo a leitura, sem o sentido direcionado da cor da personagem, nem dá temática, naturalmente, assim como entendemos e somos eu e Helga (dona mãe de Lorenza), mães, tias, educadoras, baianas, amantes das tradições, valor e beleza da cultura africana.
Amanhã, como já cochichei, tem indicação livros (de um em especial) de uma editora que espero mude essa realidade, com rubra atitude e poder, cor do cavalinho  do parquinho, de São Jorge Guerreiro, da roupinha de Lore, de Iansã, vermelho amor e paixão, que move e faz transformar.
Uma semana de raça, graça, ginga e energias africanas, com axé da Bahia, positividade, transformações, permanências, animação, calmaria e alegrias.

13 comentários:

  1. Tina, tomara encontres esse livro,mas se não o fizeres, porque tu, com toda tua habilidade e sabedoria , não escreve um assim, com esse foco? Boa ideia! bjs, linda semana e a bonequinha no cavalinho é linda! chica

    ResponderExcluir
  2. Estou com Chica, se não encontrar, bora fazer!
    Transformações, igualdade e calmaria. Já querendo conhecer tuas indicações literárias.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Sim, as editoras precisam acreditar mais neste mercado e disponibilizar títulos para que as nossas crianças descubram como é bom ler.

    ResponderExcluir
  4. oi Tina

    Eu gosto demais do filme a princesa e o sapo, justamente pq a princesa é negra.
    Mas o desenho tb fala de macumba e bruxarias, o que pode deixar alguns pequenos (as) com medo.
    Ainda não vi livros infantis com personagens negros, a maioria são loirinhos e branquinhos rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As crianças veem, ouvem, processam as coisas de acordo a como são apresentadas a elas.
      Quantas crianças não tinham e tem medo da Cuca ou da bruxa da Branca de Neve por exemplo?
      Não mata não, rsrsrs, ensina.
      Assim como tem as que gostam, que veem o lado positivo, que vem as bruxarias, feitiços, macumbas, como encanteirias, como poções mágicas que podem ser usadas para o bem e para o mal, como as palavras, sentimentos, atitudes.
      Os Orixás não são vistos como os Deuses gregos, como cultura e com podas em suas histórias, pois assim não são apresentados por educadores e em casa por pais, avós, tios na maioria dos casos. Os heróis da floresta e do Folclore não são como os da Marvel porque assim não são apresentados.
      Eu penso assim Belzita :)
      Bjokas!

      Excluir
    2. Eu também gosto desse filme e vou te dizer com toda minha sinceridade que só vc citando me liguei que a princesa é negra, veja só vc como meus olhos vêem transparente!

      Excluir
  5. Este eu não conhecia. LI um lindo falando da história de uma criança negra, não sei se conheces?se chama Obax. bjs e passa depois no blog

    ResponderExcluir
  6. Sempre senti falta e sempre, desde criança me perguntei porque tão poucas crianças negras aparecem na tv, nas histórias... ontem a noite assistindo um pouco de Fantástico ainda pensei nesse assunto... Precisamos mesmo mudar essa realidade <3 Amei de mais a Lore, coisa mais linda e amada <3
    Vontade apertar, aperta por mim Tina!!

    Beijãooooo, semana mais que abençoada pra vc!

    ResponderExcluir
  7. É Tina as vezes fico pensando se as crianças notam tudo isso... Ou se seus olhinhos vão muito mais alem da cor, sexo, raça ou credo. Acho que para os pequeninos todos são "pessoas" , boas ou más, isto sim elas percebem, simples assim.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Ai que delícia ver minha(nossa, porque não sou egoísta) lolo no seu blog tão cheio de poesia minha amiga linda! O fio que tece e enreda nossas famílias é cheio de encantos. Ela vai amar ver isso quando tiver mais velha e eu guardarei com muito carinho.

    ResponderExcluir
  9. Oi Tina,Tem um livrinho que gostei muito, vovó pediu para te enviar o link da minha postagem sobre o livro Obax é uma menina africana, depois vou procurar nos meus livros se tem outros.beijinhos Pedrinho
    http://mpequenoprincipe.blogspot.com.br/2014/09/brincando-e-colorindo-semana-com-anne-e.html#links

    ResponderExcluir
  10. Uma lindeza Lore enfeitando este post. Irmã, vc sempre nos encantando com suas palavras aqui no Blog. Se eu achar o livro te aviso, mas concordo que vc poderia escrever um com o tema (que tal numa versão digital!!!).
    Bjo, Susana

    ResponderExcluir