12 de novembro de 2014

Ao meu padrinho

Ilustração de Maria Lamar
Segunda-feira a minha noite ficou sem rima, cinza, fria, triste e o dia amanheceu do mesmo jeito na terça-feira, me senti sem pernas, sem chão, sem cores e cercada de dor. Aqui no blog estava agendada uma viagem ao mundo de Alice e hoje como não havia nada na programação, ainda com muito pesar resolvi dividir esse momento pessoal como forma de homenagem.
Levado pela violência, numa fração de segundos, se foi um dos melhores abraços que eu ganhava e dava desde pequena, falei do dono grande, sempre perfumado e aconchegante desses braços que tanto me abraçaram e me deram colo, várias vezes por aqui, tantas que nem eu mesma lembrava de todas. Só na busca com a palavra: padrinho, apareceu uma lista, seguem alguns links para leitura: aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.
Amo as minhas fotos de batismo ao lado dele e da minha madrinha. Ainda em fase de colinho minha mãe conta que ele é que ficava comigo nas missas dos eventos festivos do calendário religioso ou familiar. Ficava conversando, andando de lá pra cá, me enchendo de dengo, de elogios como fez a vida toda. Eu peralta elevava o volume da voz e ele dizia baixinho no meu ouvido: - Não pode falar alto aqui! Já sabendo o que eu faria, nada menos que falar bem alto: - Porque não posso falar alto? Ele saia para o lado de fora rindo e minha mãe brigando com nós dois. Sabia também o que sempre eu fazia a cada vez que resolvia ir dormir na casa dele que cheirava a pão fresco com manteiga e minha tia Amparo sempre tinha um pano de pratos nos ombros, nascidas no mesmo dia, eu e ela. A casa antiga, com escadas de madeira que rangiam está em minhas lembranças, o terraço nas lembranças e em fotos. Hoje (a um bom tempo já) no lugar é um Shopping center grande aqui da cidade, mas para mim é um lugar familiar e era a padaria da família, que se mudou para perto. Eu ia, jurava que daquela vez dormiria lá, mas ele sempre tinha que me trazer de volta.
O maior fã dos meus maus feitos, se divertia e sempre advertia aos garotos a minha volta, que na escola eu quebrava capas, elásticos e classificadores inteiros batendo na cabeça dos meninos que ousassem me perturbar, entenda-se por perturbar por exemplo, tocar em um fio que fosse de meu cabelo.
Nossa única discórdia era pelo time de futebol, não há ser humano perfeito e o defeito dele era ser torcedor do Bahia e esse não era um assunto proibido ou polêmico, era sempre motivo de risos e pertubações. Detesto o Bahia e lá entre as estrelas do mês de agosto que ficaram para sempre sem o mesmo brilho para mim, Dindo que amo e sempre vou amar você sabe que pensei em vestir a camisa do Bahia como última homenagem enquanto processava que era verdade tudo que aconteceu e que eu iria te ver pela última vez. Prova da porra (usando nosso linguajar) de meu imenso amor por você, mas ai pensei melhor e achei que você ia ficar decepcionado comigo, minha teimosia sempre foi sua alegria e é de você alegre, amigo, carinhoso, disponível, doce como os açucarados sonhos da Piedade, grande no tamanho e no coração que vou lembrar sempre e ser teimosa mesmo e brigona mesmo, sempre fui e agora com meu dindão no camarote celestial olhando por mim, com poderes de anjo, ninguém me segura. Vamos sentir muito sua falta! Muito! Muito! Muito!

12 comentários:

  1. Ser levado de forma tão brutal, violenta, torna esse momento ainda mais difícil.
    Linda a tua homenagem com uma vida de traquinagens ao lado do padrinho amado.
    Fiquem as boas lembranças, o som do riso largo e o conforto a você e a todos os familiares.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Que triste essa violência que leva cada vez mais pessoas do bem...

    Meus sentimentos e lá da sua poltrona, ele te sorri e acompanha,com certeza!

    Triste perda e um padrinho amigão! bjs, fica bem! chica

    ResponderExcluir
  3. Oi Tina

    Cada vez que perdemos um ente querido morremos um pouco.
    Tem uma frase do Confúcio que diz assim: Se nós não entendemos a vida, como poderemos entender a morte?

    Meus sentimentos para todos ai, tenho certeza que o céu ficou mais alegria com a chegada dele lá.
    E de onde ele estiver está cuidando de cada um de vocês.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Nossa Tininha que triste, que homenagem linda que vc fez a ele.Chorei com tudo que li aqui como vc deve ter chorado enquanto escrevia. Perder alguém que amamos é tão difícil, dói tanto. Que Deus o ilumine. Triste ...

    ResponderExcluir
  5. Ai Tina, que triste…
    Acho que o pior é ter sido de forma violenta, se fosse uma doença ou velhice a gente se conformava mais facilmente.
    Guarde as lembranças maravilhosas que você tem, eu mesma não tive esse carinho de meu padrinho e nem mesmo de meu pai.
    Sei que só o tempo poderá acalmar um pouco essa dor, deixe que ela saia em palavras e lágrimas.
    Receba um abraço muito terno e carinhoso e minha solidariedade neste momento tão difícil

    ResponderExcluir
  6. Minha querida, cada vez que alguém querido nos deixa, vai um pedacinho de nosso coração. Mas ele está la no alto te buscando com os olhos da alma porque sabe das saudades que ambos sentirão. mas os corações que se amam nunca se separam e vocês permanecerão irmanados neste amor eterno.
    Você tem passado por momentos duros, sinal de crescimento, hora de dar mais um salto, um passo à frente. Que Deus te fortaleça e ilumine.
    Um beijo em seu coração. Muita luz e força.

    ResponderExcluir
  7. Que triste! Deus abençoe a família e conforte vcs. E dele ficará sempre o amor e as boas recordações

    ResponderExcluir
  8. Só o tempo para curar esta imensa dor. Que Deus ilumine e fortaleça todos aqueles que foram afetados com esta perda tão trágica. Que tenhamos mais PAZ neste mundo.
    Eu ao contrário de minha irmã quando era criança ia para casa dele levava uma sacolinha para passar alguns dias e me divertia muito!!! Primo, lembrarei sempre de você com muito carinho. Obrigada por todos os momentos que esteve ao meu lado.

    ResponderExcluir
  9. Tina, que triste! Os momentos lindos que vc viveu com ele isso ficara para sempre!
    Que Deus te de muita força! bjs
    Amara

    ResponderExcluir
  10. Olá,querida Tina
    Meu padrinho é ainda (80 anos) uma realização de proteção sem igual depois do pai saudoso... e em todos os níveis...
    A violência é tremenda hoje em dia e to ficando apavorada com tudo isso... nem dá gosto de ir a cetos lugares pelo que se vê na tele, pelo menos...
    Desejo que vc supere o melhor possível a grande perda... sei o quanto é difícil...
    Fique na paz!!!
    Seja abençoada e feliz!!!
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  11. Sinta-se abraçada com todo o meu carinho...e com todo o meu amor...

    ResponderExcluir
  12. Boa noite, Tina.
    Não há nada que acalente a dor da perda. Mas a gente mostra o carinho como sabe, como sente. E como você diz, foi um fim trágico, sem aviso, maior o sofrimento que fica.
    Que fiquem lembranças dos bons momentos.
    bjn gde nesse coração

    ResponderExcluir