19 de janeiro de 2015

Licença poética e polêmica

Imagem da web

Trouxe hoje uma poética polêmica musical
Que tal?
Para rimar ainda mais, é de Brow
Uma composição que tem gerado além de encanto, espanto
Eu gostei de cara e de cara fiquei com o raso alheio
Alô Cacique! 
Eu nascida no dia do índio e sua conterrânea
Fã de sua as vezes sutil, as vezes estampada poesia, cultura e sabedoria 
Cá estou 
Louco querer interpretar poesia acho eu
Sem e até mesmo com conhecimento
Poesia não se entende, se sente
Sem a licença da razão, da gramática ou da idiomática
Mas vumbora 
Seguem trechos da tal canção que cantarolo e adoro 
Aqui link para ouvir
E seguem as tais dúvidas e críticas dos sem noção de plantão
E minhas humildes suposições nas entrelinhas

“Pra quê
A gente ficar de mau
Se dói, se dói
Quero aquecer, ter calor
Te ter
Sem águas que desaguou
Embora não sei
Quem de nós dois vai segurar nós três
Será que é ela, será que é o mundo
Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão nós
Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão
Se é amor verdadeiro
Tem chance
Por existir natural
Romance
Que o tempo não metralhou
Foi bom
Foi beijos que desarmou
Fiquei
..
Venha ver o sol
E o que é seu
E viver o mar
Também
Oromim Má
Oromim Má
Oromim Má
Muito obrigado por você me amar”

Concordâncias verbal e de gênero ou número, são perdoadas para rima e sonoridade ou como na explicação do que é lógica, dos exercícios de matemática, que segundo um professor de quem assisti aulas, é procurar uma cartola preta em um quarto escuro sabendo não estar lá, a lógica é essa, ver além. Eu não conseguia resolver os problemas mas essa explicação valeu as aulas e só fez poetizar ainda mais o meu olhar.
"Sem águas que desaguou", eu acho que se refere as tais águas passadas que não movem moinhos, águas já desaguadas. Embora não sei, é a dualidade, própria do amor.
"Quem de nós dois vai segurar nós três". Que três? Cada um e o amor, cada qual e os dois que a terceira pessoa de todo par é. Quem não entende #éprecisoamar
E para ele, é ela ou mundo que podem segurar esse trio, pois ele já perdeu o controle, tá entregue, sem freio, apaixonado.
O verão é eco de haverão, tipo repique do coração ou de tambor e verões haverão é que haverão muitos verões para se viver esse nós, além de nas entrelinhas todas as outras estações, calor e frio, flores e frutos #lindológicoeprofundo 
Oromim má é saudação africana e bacana é as vezes gostar e cantar e sentir sem explicação ou tradução. Oromim má Brow! Obrigada por vc compor, cantar e tocar \o/

13 comentários:

  1. Vi essas críticas quando fui pesquisar o que significa oromim má, gente sem ter o que fazer ou sem sensibilidade, ou as duas alternativas

    Se não forem esses os significados, achei sua interpretação muito boa

    ResponderExcluir
  2. Tina, a sua poesia transborda pelo seu blog e escorre por todas as suas postagens. Que linda essa análise de "Vc, o Amor e Eu".
    "O coração disparou, por dentro", que ele sempre dispare de amor. =)
    E viva a licença poética!

    Beijocas,
    [Sorteio] Livro “Beleza Estranha”

    ResponderExcluir
  3. Tina, aprendemos sempre te lendo! Muito legal! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  4. Tina, menina cultura! Fico boquiaberta sempre que venho aqui, aprendo, estendo, amplio meu horizonte! E ainda tem o texto, que parece que vem cantado, embalado no teu ritmo a mil rsrsrs Adoro!
    Sobre o assunto do texto, quem são os chatos que complicam, afinal? Desde quando concordância gramatical faz música? Não me ligo muito nessas frescuras, gosto mesmo é de sentir a poesia, a melodia... Bom demais te ler hoje e me acrescer em cultura, você é demais!!!

    Beijos

    P.s.: Perdoa, por favor, os sumiços... Amo o blog, mas não é atividade profissional, então vou e venho conforme as ondas da vida. Quando volto para meu espaço, volto correndo pra cá também, isso é certo. Adoro te ler!

    ResponderExcluir
  5. Impossível vir aqui e não aprender um bucado ctg dona Tina!!
    No caso da terceira pessoa, fiquei imaginando que seria o amor... mas sei não... Acredito que não seja para entender, compreender... como vc disse, é para sentir e saborear <3
    Sou sua fã!!

    Beijão minha amiga!!!

    ResponderExcluir
  6. Tina, lembrei-me da implicância adolescente que eu tive com a música cantada por Marisa Monte "beija eu, beija eu... molha eu, seca eu". Talvez fosse meu amor declarado à Língua Pátria unindo voz ao chato e também amado professor AAA ( Almério Antônio Almeida, trazia um reluzente anel com as iniciais de pilhas alcalinas! ). Não tinha maturidade na época para ver e ouvir ali uma licença poética. Hoje adoro e cantarolo a música!
    Amei a ilustração e todo o texto. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Excelente texto Tina, parabéns ! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, cadê você? Sempre passo por aqui - muito rápido e nem sempre com tempo para comentar - mas estou sentindo falta das atualizações. Férias??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filho de férias, grudado no computador
      As visitas de férias e eu como ariana legítima gosto de palco
      Algumas atividades extras também
      Ai, tô meio sumida daqui e de por ai
      Meio, não total, passo sempre no Kinder
      Voltarei a assiduidade e rotina de posts e comentários
      Amei a queixinha e a saudade
      Beijos

      Excluir
  9. Todos temos nossas implicâncias beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  10. Sou fã do trabalho do Brown. Vejo " nós três" tanto como o casal e o amor como um triângulo amoroso...

    ResponderExcluir
  11. Oromim má, Tina! Que blog maravilhoso! Obrigada! E feliz ano lindo pra vc!

    ResponderExcluir