14 de janeiro de 2015

Sobre tacos e assuários

Apois, foi palavrinha que muito nos inícios, meios e fim de contações enquanto estive pelas bandas da Chapada Diamantina. Traduzindo seria genericamente Pois então. Duas outras trouxe no bolso para cá pois saíram do passado para me visitar. Tacos eram o piso da casa de meus pais, de tantas outras pessoas a minha volta, alguns sempre soltos onde tropeçávamos, onde o restinho do lixo que a pá teima e não pegar e vassoura fazendo de juntar espalha, iam para lá. Junto com eles aterrisou as enceradeiras, tão majestosas, barulhentas e modernas. Uma fascinação para o olhar e o brincar da infância. 
Assuário eu li num anúncio, placa, nem me lembro ao certo, anotei conforme estava escrito e pensei que falei muito e podia jurar que era assoalho a palavra. E é. Me achei a sabida e assim é o piso de parte da casa de minha mãe, Quarto onde eu dormia, corredor por onde ir e vir é uma sinfonia de rangidos e o piso sala da frente como chamamos, pois fica na entrada da casa, que é a frente pois no fundo, cozinha e quintal é onde passasse a a maior parte do tempo e no fundo do quintal, numa casinha tipo puxadinho, morei muito tempo. Enfim, lá tem 3 salas, eu não dou conta de limpar e decorar uma e lá tem três. Essa principal de estar, onde quase nunca está ninguém atualmente, a sala principal e a copa, que é uma sala de jantar por assim dizer.
Palavrices compartilhadas e histórias contadas, como petizou Eduardo Galeano, os cientistas dizem, que somos feitos de átomos, mas na verdade somos feitos é de histórias. E na história da minha ida a Mucugê, uma casa que avistei do ônibus assim que chequei por lá, cansada da viagem longa e que alumiou meus olhos o P&C na plaquinha, letras do meu nome e do de marido, tipo boas vindas, que na primeira saída de celular em punho fotografei e ai está a fotografia. A casa laranja ao lado pode ser para você Ana, na nossa imaginária estadia um dia. Com mesinhas na calçada pra proziar, falar muitos apois e já que é imaginação, Chica na outra casa ao lado, Carol, Alê, Ivani, Beatriz, Nanda e quem quiser se achegar.

4 comentários:

  1. Olá....
    vim lhe visitar!
    espero ter chegado em boa hora...
    amo ler....desejo que seu ano seja
    cheio de saúde e alegrais...

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda!

      Sempre é hora de boas energias, simpatia, gentilezas, bons desejos.

      Um 2015 recheado de coisinhas boas para vc ;)

      Volte sempre!

      Excluir
  2. Adorei te ler, já sentei numa mesinha...Não me vês? Usa a imaginação que tens bem grande,rs bjs praianos, obrigadão pelo carinho,chica

    ResponderExcluir
  3. Além de ganhar a lembrança da enceradeira barulhenta de minha mãe lustrando o piso de vermelhão, ainda ganhei uma casinha laranja cheia de bons vizinhos?!
    Amei!

    ResponderExcluir