28 de março de 2015

Do conter e estar contido

Concordo com a máxima de que o pior analfabeto é o que sabe lê, mas não lê. E sempre fui de achar válido ler desde livros a placas de trânsito ou bulas de remédio. Ressalvas ao teor dos escritos  que se não somam de alguma maneira (informação, distração, aprendizado, descontração,...) vide efeitos colaterais.
Esse papo introdutório é para dizer que acho legal, inteligente e interessante o cada dia mais popular hábito de leitura de rótulos, por algum problema de saúde ou cuidados com a saúde, além da validade e do que tem na composição das coisas, sendo que em alguns casos já se sabe o que tem contém e lê-se o rótulo para confirmar,cadastrar ou sei lá o que.
Mas, como diz o dito popular tudo de mais é sobra. Eu por exemplo, sempre comi passarinha, iguaria dos tabuleiros das baianas, de vista, sabendo ser calórico, mas não mudou nada o gostar e querer depois de eu saber que é o baço do boi. 
Não muda nada para mim também saber a composição da água maravilha que uso até hoje para pancadas, com efeito curativo satisfatório, gelo também vale, está contido no hábito, assim como beber água com açúcar para acalmar e de fato não saber se faz algum efeito, sem rótulo e calmante, me acalma tomar, ofereço, sem rótulo ou explicação.
Resenha com puxão de orelha as neuroses, aos aficionados em rótulos de plantão, ao rotular pessoas e lugares e tudo mais, com brinde de água com gás e amanhã tem mais.

5 comentários:

  1. Tina, tenho um cunhado que tem uma gaveta com remédios e porcarias várias de A até Z... Tudo que ele imagina fazer bem, compra,toma. Um porre.Hora do remédio !A, hora do P, e eu se fosse minha irmã, mandaria pra PQP, isso sim,rs... Neurótico total.A sua aparência é a de um rato morto, sabes aquela cor? Coitado!

    E de que adianta? Vão se tratar1 ao invés de encher o saco!! * Nota: se por acaso isso acabasse em suas leituras, diria que foi uma baianinha Tina, que me fez falar mais que que a língua aguenta,rs...Provocou o tema! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Pode deixar!
    E eu ainda vou arrematar...rsrs
    Que horror!
    Comer além de alimento é prazer, memórias, novas experiências e outras cositas mas.
    Isso de comida japonesa não pode cortar, macarrão ñ se come com farinha, é feito de que?, qual a marca?...Bá...Deuzmilivre...Né comigo não!
    Por saúde ou gosto e sem excessos até passa, mas descolando da realidade o profissional passa de nutricionista a psiquiatra.
    E tenho dito!

    ResponderExcluir
  3. Já pegou aí na Bahia que não pode mais comer arroz com feijão? Substitua por batata doce. E o ovo de páscoa fitness? Feito com whey protein? Só me responda onde está o prazer, porque para mim isso ultrapassou os limites do saudável, do cuidar-se para se tornar escravidão maquiada pelo estilo fitness.
    E tenho dito também!

    ResponderExcluir
  4. Tina, olá! Que crônica para ser lida sem restrição, viu?! hehehehe. Tenho ojeriza a rotulagens, sejam essas de "moda" ou de pessoas. Coisa mais sem gracinha é ficar de plantão esperando o que surge e vai pegar, torna-se viral rapidinho.
    Aliás, eu adoro quando passo a ser única, exclusiva e singular por não ter rótulo algum ;o}
    Beijos mais

    ResponderExcluir
  5. É tipo as muitas dietas do tipo de fruta, que não come banana pq o sangué é tipo A, não tinha alergia á nada ai aparece a febre do glutem e agora não come mais massas. Acho que tudo demais faz mal, mas a saúd e ea boa alimentação cabe a todos. Gostei do texto e pensamento. Tem novidades no blog

    ResponderExcluir