19 de março de 2015

Milho, tradição e fé

Milho das Gerais em dos quintais de Sampa
Porque a roça mora em nós
aqui mais sobre a foto
Já tinha post programado para hoje, mas recebi uma ligação com indicação de um assunto que é o assunto hoje nos interiores aqui da Bahia (e de outros estados), que eu desconhecia. Casei no dia de São José não foi só pela tradição do bom marido eu descobri. Já falei aqui que adoro  galinhas (a elegância, penugem, a ligeirice, o botar ovos, o tagarelar). E não sei se já falei que amo milho. Pode ser assado na brasa, na grelha, cozido, com ou sem manteiga por cima, gosto de suco de milho verde, canjica, bolo. Além da poesia do sabugo, o descascar, os desenhos de milhos com gravatas, corpinho de bolinhas de crepon amarelo, feitas com esmero e graciosamente coladas uma ao lado da outra. Os Senhores Milhos eram o par das Senhoras Laranjas com tranças e chapéu com renda, em tamanho cartolina que enfeitavam as Barracas do Arraiá do Colégio e estavam no primário nas tarefinhas impressas que iam para casa como capa das atividades da segunda unidade escolar, além da tradional venda de rifas para o Concurso da Rainha do Milho. Talvez também eu goste do Visconde de Sabugosa por conta dessa sintonia, além de pela sabedoria.
O assunto da ligação, que divagando deixei para trás, é que para o pessoal da roça hoje é tradição secular, das grandes e importantes, o plantio de milho como início das festas juninas, um ritual de fé, cheiro de terra molhada, da receita do campo e da vida: plantar para colher.
A tradição e devoção ao santo aqui no nordeste começa no raiar do dia, com queimas de fogos e orações para o protetor dos agricultores. Seu dia, antecede a chegada do outono e por isso foi amuito tempo escolhido para o plantio de milho e de feijão. Dia de festa religiosa e popular, com missas, ladainhas, procissões, festejos, danças, comida e bebidas após.
O cultivo é marcado por pedidos de chuva e avós, pais e mães nesse dia levam os filhos pequenos para lavoura ou no fundo de casa para ensinar a plantar grãos de milho. Boa  referência, contação e vivência educacional, para o campo e para cidade, para se fazer no dia de hoje nas salas de aula, para passar na tv, plantar grãos de milho, ter contato tátil com a terra ou semear o tradicional feijão no algodão, tão deixado para trás em tempos de lousas digitais.
E dando uma curta passada, entre uma cavada de terra e outra, três grãos de milho que semeiam e nascem em forma de alimento, de sustento, tradição, de aprendizados diversos. A poesia e alegria, mágica para as crianças de acompanhar os pés de milho brotarem, tão logo, não com o imediatismo e senso de urgência moderno, em média após três dias do plantio.
Viva São José! Viva quem vive na roça! Viva as roças e tradições que vivem em nós! Viva as plantações de milho, as belezas e milagres da natureza! Viva o Nordeste, o sertão, gente boa, trabalhadora, que tem fé, que tem José a guiar, Nossa Senhora a acalentar e os Santos juninos a nos acompanhar no meado do ano, para seguirmos com alegria, festejando e agradecendo todo dia o dom da vida.

13 comentários:

  1. Também adoro milho! As tradições são sempre lindas e achei seu texto muito bacana.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  2. Seu texto é super legal e adorei "a elegância da Galinha"; nunca tinha pensado nisso, mas agora vou olhar para elas e confirmar este pensamento...bjs

    ResponderExcluir
  3. Que lindo e como é legal ver e saber das tradições!! Muito bom! Aprendendo com a Tina!!! bjs,chica

    ResponderExcluir
  4. Bom vir aqui e sentir a sua alegria falando de tradições e aprender um pouco com você.
    Um abraço,
    Élys.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito post ! E viva São José e a sagrada família...bjs Roseli

    ResponderExcluir
  6. Olá, querida Tina
    Fazendo missão em Alagoinhas, há um tempo, vi a alegria das trocas de produtos rurais e da festa de São João...
    São José não deve ficar atrás..
    Agora há pouco, vi no Jornal no Ceará como é festejado para se pedir chuva...
    Gosto muito da cultura popular e da devoção de um modo em geral...
    Bjm quaresmal

    ResponderExcluir
  7. Sabia que era dia de São José, mas não sabia de toda essa tradição... Que lindo levar as crianças para ensinar a plantar e mexer com a terra <3
    Tb adoro milho e tudo que vem dele, mas nunca experimentei suco de milho, por aqui nunca vi Tina :( Acho que uma hora dessas vou ter que ir ai experimentar um tanto de coisas que vc conta aqui pra gente <3

    Beijãoooo

    ResponderExcluir
  8. VIVA SÃO JOSÉ, VIVA O MILHO QUE ALIMENTA TODOS E TANTOS...
    BJS

    ResponderExcluir
  9. Lindo post e adorei conhecer mais sobre as tradições da data e do plantio do milho. Também gosto de tudo que vem destas espigas, só não gosto da pamonha.

    ResponderExcluir
  10. As tradições são as nossas origens.
    Beijo.
    Nita.

    ResponderExcluir
  11. Ah que eu conheço esse milho!
    Eu adorei vir morar numa cidade que tem como padroeiro São José!
    Chuva, plantio e colheita, a família. Semeemos sempre as tradições!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. Ah acho tão lindo as cidades comemorem pq tudo isso faz parte da cultura.
    E milho é bom demais, adorooo.

    bjokas =)

    ResponderExcluir