3 de abril de 2015

Dos absurdos

Bonecas e cenografia by Evangelione
Quando penso que já vi de tudo, como diz um amigo, me aparece cada coisa. Psicólogos, estudiosos e educadores fizeram um estudo e defendem que brincar de boneca e de casinha atrapalha o futuro profissional das meninas. Oi?
Independente do tom da matéria (que foi de última), achei pra lá de absurdo tal estudo, pessoas argumentando, absurdo ser assunto de pauta em jornal de grande público e prestígio. Dava lugar fácil e mais proveitoso a observação de um ator americano, no mesmo dia, de que o Brasil precisa de trocadores para bebês nos banheiros masculinos.
Foi um tal de dizer que meninas tem que brincar mais de carro para criar desejo de consumo e status por veículos ao invés de por sapatos, de que mesinha de passar ferro é brinquedo com conotações depreciativas. Não aguentei nem ver até o final, tava me dando uma coisa. Resolvi vir escrever para despressurizar e semear a pergunta de onde se pensa que vai dar, com essas ideias loucas.
Lembrei depois da raiva passar, de minha irmã que desenhava as bonecas com a cabeça bem pequena no topo do papel e o vestido ocupava o papel inteiro em altura e largura. Na base pezinhos miúdos. Os educadores e pisis que fazem essas análises catastróficas diriam sei lá o que sobre o futuro dela. 
Outro link que fiz, foi com as histórias de escola de meu filho, não sei se já contei essa que segue aqui, de qualquer modo lá vai. Ele como filho de passarinha, que passarinho é, sempre teve a língua afiada (desde que nem falava direito). No jardim, época de desenhos e rabiscos, fez alguns desenhos com o sol na parte de baixo do papel e tudo livre em cima. a pró psicopedagoga (fazia questão de lembrar ela a cada colocação) disse que aquilo não era muito comum, era estranho.
Porque  o sol embaixo e não em cima? Ouvi a pergunta e de súbito chamei ele e perguntei, sem nem imaginar a resposta, que fosse qual fosse, do porque sim até uma explicação embasada (de uma criança de 5 anos), seria a que eu ratificaria, afinal cada um se expressa como quer nas artes, isso é parte da arte, eu entendo assim. 
- Paulinho, a professora quer saber porque você desenha o sol embaixo do papel. Ele: - Porque desenho ele se pondo.
Algo mais? Não né! Não argumentei na época e nem tampouco vou tecer comentários sobre meninas ou meninos brincarem de casinha ou de carrinho, melindres e excessos. Vou para emendar é dar a palavra a ninguém menos que Eduardo Galeano (recorte do livro: Mulheres).
“O que aconteceria se uma mulher despertasse uma manhã transformada em homem? E se a família não fosse o campo de treinamento onde o menino aprende a mandar e a menina a obedecer? E se o marido participasse da limpeza e da cozinha? E se a inocência se fizesse dignidade? E se a razão e a emoção andassem de braços dados? E se os pregadores e os jornais dissessem a verdade?”

6 comentários:

  1. Disseste bem...boa reflexão! concordo plenamente!

    quem puder me seguir agradeço, começando agora rsrsrs
    http://www.diamantenegroraro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Onde se vai dar com estas ideias loucas? Em pessoas literalmente perdidas, que não sabem mais qual é o seu papel na sociedade, na família. Os homens precisam ser o novo-homem. E acho que nem eles se encontraram ainda e nem as mulheres.
    Já ouvi mãe dizer que se a filha ganhar fogãozinho e panelinha de presente vai pro lixo sem nem sair da embalagem.
    Sol se pondo desenhado no fim da página... bem, filho de passarinha, passarinho é!

    ResponderExcluir
  3. Noooossa,Tina! Pra mim pesquisas assim são pra caracterizar a falta do que fazer de mais útil! Achei o fim da picada! Credo!!! bjs, obrigadão pelo carinho lá! chica

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu que sou mãe e sogra de jovens mulheres, tenho percebido como estão perdidas em seus papeis na vida. Elas e as amigas não estão encontrando a melhor forma de ser uma ótima executiva e uma ótima mãe. O tempo não se estica e ainda tem que administrar uma casa? Estão tão perdidas... E vem esta agora? Por acaso eles falam qual seria então o papel da mulher na sociedade?
    Concordo com a Ana Paula... Afinal alguem vai ter que assumir o lugar do nutrir e educar... Quem será?
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Um dia, quando tiver tempo e estomago, entre na página do MEC e veja os livros que estão sendo entregues às crianças. Acompanhe as orientações sobre como determinados temas devem ser apresentados em uma sala de aula.
    Não sei se você vai resistir.

    ResponderExcluir