27 de maio de 2015

Contra a descriatividade

Pintura que não tenho a referência
Dei o nome
Porque Pinguim pode voar sim
E eis que desde o dia de meu aniversário lá no mês de abril, até esse domingo passado, meio de maio, esteve em cartaz aqui em Salvador, uma peça que só anunciaram com gosto quando estava para acabar e eu não tinha como ir lá, a rima é do meu chatear, como pode tanta porcaria se anunciar e um tesouro desses deixar passar? Ainda mais com a escassez de criatividade que tá o mundo, todo mundo fazendo igual, tudo digital, sem poesia e alegria, de quintal, varal, tal e coisa, coisa e tal.
Resolvi trazer para cá, vai que volta, vai que vai por ai. A direção foi a primeira de um ator baiano, Caio Rodrigo o nome dele, o espetáculo: A máquina que dobra o nada, foi inspirada nos neologismos e poemas do por mim amado e apassarinhado Manoel de Barros. A história, segundo pesquisei, revela a busca incessante de um cientista contra a descriatividade e gira em torno da amizade entre ele e um garoto, que juntos planejam criar uma máquina fantástica, capaz de dobrar o nada, com fantasia, emoção, enigmas e poesia.
A proposta de lutar contra a falta de criatividade, bem como muitas histórias infantis, ao meu ver, são para todas as idades. Nas bordas e recheio do espetáculo: Ciências, História, Linguagem, Cultura, Filosofia, Artesania, entre outras aprendizagens. O cenário, área de meu irmão, portanto minha imaginação criativizou acelerada, soube era andante, móvel, modulável, manipulado pelos atores, assim sendo, cheio de possibilidades criativas. Minhas palmas mesmo sem ter visto, só de imaginar.

7 comentários:

  1. Pena que não conseguiste ver ,mas daqui aplaudo a iniciativa a empreitada contra a falta de criatividade! beijos,lindo dia e adorei esse pinguim... chica

    ResponderExcluir
  2. Lamentável que assim seja em todas as artes: grandes patrocínios e visibilidades para uns e tantos outros de fora com tanto a nos enriquecer.
    Tomara volte em outros espaços com mais divulgação.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Que belo texto.
    Olá, aqui quem fala é Ian Fraser, autor do texto da Máquina.
    Estamos trabalhando duro pra achar uma forma viável de retornar em uma nova temporada. A resposta tem sido muito boa. Qualquer informação sobre a peça você pode encontrar aqui: https://www.facebook.com/amaquinaquedobraonada

    Abraços e muitos pinguins voadores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que surpresa boa e que honra!

      Grata, apassarinhada e com balões nas mãos para vôos de pinguins e afins.

      Tomara vcs encontrem uma, quisá várias formas de viabilidade, maior vitrine e um sem fim de respostas, perguntas e exclamações.
      Eu já estou na fila.

      Excluir
  4. Oi Tina

    O que falta para o homem é criatividade,muitos tem e não estimulam, outros negam que tenham, o fato é que muita coisa poderia ser inventada para ajudar mais as pessoas e não só para que seus criadores tivessem fama.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. A criatividade existe. Falta boa vontade de alguns.
    Uma bela crítica.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  6. A criatividade vem da imaginação de cada um,,,,beijo Lisette.

    ResponderExcluir