2 de junho de 2015

Bailume de bem quereres

Ilustração de Gabriella Barouch

"O nada nada diz
Nada ouve
Nada afeta
Nada quer
Nada oferta
Nada sente
Nada causa
Nada sabe
Nada aprende
Nada ensina
Nada acha
Nada salva
Nada fere

Se cismo
Sobre o nada
Já não é nada
É algo
Se me afeta
É algo
Se me fere
É algo
Se me espeta
É algo
Se me ofende
É algo
Se provoca
Minha fala
Meu discurso
Minha crítica
Minha fúria
Meu sorriso
De desprezo
Reação
Ódio ou asco
Já é algo
E o algo
É sempre mais
Muito mais
Que apenas nada"

Ana Bailune

Hoje trouxe a baila, um mix de bem quereres
Já falei aqui das minhas cismas
E canduras por nomes próprios
Baseada em experiências
Históricos
Implicância ou amor
Com e sem explicação
Enfim, chama-se Ana
Escreve poemas lindos
O sobrenome me lembra baile, bailar, balão
E também lume, lumiar
É Baiulune
Aos meus olhos, a primeira vista, Bailume
Assim fixei
Para arrematar e vir para cá
A primeira de muitas vezes prevejo
Falou a poetiza, nova amiga blogueira
De algo que para mim é e não é
Cheio de tudos
O nada
Complicado e simples assim
Sem mais e cheio de reticencias

13 comentários:

  1. Ana é maravilhosa ,escreve com intensidade e sempre muito inspirada!

    Bela homenagem e fará ela bailar de alegria! bjs às duas,chica

    ResponderExcluir
  2. Adorei ver Ana aqui! Poesia na alma, no olhar ela tem!
    E acho que essa musicalidade nas palavras que nos fazem bailar.
    Beijo para vocês!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a Ana e você! Duas grandes na sensibilidade da escrita! beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ana sempre arrasa, adoroooo!!!

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Ver a Ana homenageada, é muito bom. Ela merece. Sempre visito os seus blogs. Gostei de ver a sua, terna, sensibilidade nesta homenagem.
    O meu carinho as duas.

    ResponderExcluir
  6. Muito lindo o poema cheio de graça dos nadas e dos tudos que a vida nos dá a cada manhã.
    parabéns as amigas

    ResponderExcluir
  7. Que bom que você nos apresentou e homenageou a Ana Bailune eu ainda não conhecia, e vou lá conferir. Belo poema. Me encantei. Parabéns às duas. bjs.

    ResponderExcluir
  8. São lindos os poemas da Ana! Bela e merecida homenagem!
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tina!
    Só soube agorinha... muito obrigada, e obrigada a todos que comentaram. É muito bom a gente saber que aquilo que fazemos é apreciado.
    Grande abraço a você, e a todos, e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  10. Ana é uma das melhores poetizas que conheço! Ela escreve lindamente. Parabéns Tina, ficou linda sua homenagem. Parabéns Anaaaaaa!!!!! Mts bjks

    ResponderExcluir
  11. ANA,

    isto é a vida: tudo ou nada,isso ou aquilo, aquilo e aquilo outro!

    Nós nos impomos quantidades, qualidades, adjetivamos com superlativos ou denegrimos sem pejo nem pudor.

    Somos humanos , essência viva da contradição, momento mágico da criação,somos o Alfa e o Omega, somos viáveis, nos fizemos contraditórios,nos passamos por tolos ou gênios, somos humanos.

    Veja você, o quanto de ensinamentos,informações, poesia e outras tantas coisas mais, nos proporciona.

    Belos neurônios os seus.

    Quer dizer, belos neurônios também, afinal você é mulher e existe coisa mais bonita que vocês mulheres?

    Certo... para quem gosta (rs)

    Mas, mesmo para os que não gostam, fica a obrigatoriedade do respeito, fica a reverência às mães de todos nós!

    Lindíssima,também a sua postagem.

    Um abração carioca e um belíssimo final de semana.

    ResponderExcluir
  12. Ana escreve divinamente e sou sua grande admiradora. Você lhe fez uma bela homenagem e brincou com o nome dela de forma especial. Bjs.

    ResponderExcluir