19 de junho de 2015

Dos cheiros

De um blog vizinho veio uma pergunta sobre cheiros e eis que resolvi trazer a baila dada a mão a Bailune, autora da resenha poética, clica aqui para ler.
Quando no jardim perfumado da vizinha estive a ler a tal resenha, tive dúvida se havia publicado ou estava aqui na gaveta com sabonete (no pacote para não manchar as roupas), colocado e trocado quando em vez, para perfumar as peças e também para no dia que o sabonete da dispensa acabar  ter um para nos salvar.
Após pesquisar, vi que publiquei sim alguns aromas em palavras e histórias, clica aqui para ler. E como eu comentei sentada na varanda da recente amiga, que cheira a um mix de papel de mimeógrafo, borracha perfumada dos tempos de escola e palavras no varal sob sol e lua, eu e cheiros somos chegados. Do farejar, que parece engraçado e tosco , de haver barata na área (se eu disser acredita e espera que a bicha vai aparecer e quando a barata voa, como li dia desses por ai, não tem corajoso que não balance, pior ainda é quando a feiosa some) a eu só de falar certas coisas já sentir o cheiro, e não, não sou loucoa, ou talvez seja. "Misture a sabedoria a um pouco de loucura. É doce enlouquecer no momento certo", dica de um filósofo de mesmo nome que o Dino dos Gibis.
Ah! Gibis! Cheirinho de Banca de revistas, de histórias curtas e de logas viagens e sem saber reflexões, de diversão, de recortes das capengas para fazer corrente de festa junina. Sinto cheiros que reconheço de imediato, outros fico encafifada até reconhecer, sinto cheiros que a maioria tá sentindo e por vezes sinto uns que só eu sinto, como brisas que sopram do passado e por vezes creio, do futuro.
Um dos cheiros de meu avó é loção pós barba da Bozano. De meu pai, jornal. E na viagem de sentir só de lembrar, sinto o cheiro da colônia que meu marido usava quando namorávamos, cheiros que associo a lugares como terra e grama molhada a casa de minha Tia Nélia. Fogos de São João, cheiro dos Arraiás de meu colégio, pão assando cheiro da Padaria de meus tios e Dindo. Cheiros diversos de casas, de praças, de dias, de sentimentos.
Essa prosa toda aromatizada foi para fazer pontes, abrir espaço para histórias pessoais e coletivas, para convidar geral a postar amanhã sobre comida como proposta de Blogagem coletiva da vizinha de cozinha e quintal, Ana Paula Amaral e minha, por uma sexta-feira com aromas de descanso ou passeio, água benta, alfazema, incenso. Cheiro dos Deuses de acarajé no tacho borbulhante e exalando, por todos os nossos sentidos apostos, inclusive o sexto. Por mais sentidos e sentires, além de ter, por mais ser, estar e permanecer.

19 comentários:

  1. Os cheiros e o que eles evocam em nossas lembranças são bem legais mesmo! Adorei te ler.

    Há o cheirinho de terra molhada, o cheirinho de nenê, o cheirinho do perfume do maridão, o cheiro do Natal, tantos são eles...

    Fazem bem ser relembrados! Ficou lindo teu post!

    Porém ,pelo que entendi lá na Ana Paula, a BC não será amanhã e sim, dia 4 de julho! Confere?

    beijos, lindo e perfumado fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma extra amanhã
      Tema: comida
      E a próxima 4 de julho

      Excluir
  2. Guardo os meus cheiros do passado no coração. Já fiz um texto falando sobre eles, e, de quando em vez, menciono alguns em minha crônicas. Tem um cheiro que busco sempre e não consigo encontrá-lo. rs
    beijogrande

    ResponderExcluir
  3. Cheiros... eu sou uma pessoa aromática! Se eu não gosto do cheiro passo longe seja comida, pessoa e afins!
    Agora um cheirinho que me faz muito bem é alfazema. Eu tinha um tio e usava muito esse perfume. Qdo chegavamos lá na casa dele e ele estava no banho, ao vir pelo corredor, o cheiro de alfazema invadia a casa! que delícia.
    cheiro de rosas me lembra muito minha avó materna: Rosa! #amo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cheirinho da Alfazema da moça com braçada de flores nos braços, me lembra minha sogra e tb a água de cheiro das baianas na lavagem do Bonfim
      Alfazema Suissa, uma do frasco verde,me lembra minha vó e Leite de Colônia, tb do frasco verde, primo do Leite de Rosas também

      E talco ? Tão bebês
      Ai que vou assinar o atestado de insanidade nesse momento Só de falar sentir cheiro de talco

      * Chica, será que foi pq vc trouxe Mari na hora que veio

      Excluir
  4. Você sente cheiro de barata, minha filha, de pulga.
    Bem, não vou questionar nem você nem ela. Vou é acatar essa mistura de sabedoria e loucura!
    Sexta, em minha casa de infância, o cheiro era de limpeza, na cortina, na estante e no chão que reluzia em seu vermelhão.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc foi então menina dos pés vermelhos?
      Diz a Júlia que deve ser por isso a paixão de Théo por meias e pés, tem no DNA deles essa cerejinha :)

      Excluir
    2. Esse cheiro de pulga me deixou com uma música atrás da orelha, não parei de cantar e ai resolvi compartilhar
      "A pulga e o percevejo fizeram uma combinação..."

      Excluir
  5. Cheiros, cheiros... e minha mãe que dizia que uma coisa ou outra tinha o gosto do cheiro de uma terceira coisa?! Pode?
    Mas na verdade o cheiro fala muito mais do que possa compreender nossa vã filosofia...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compreendo sua mãe
      Eu digo que tal coisa tem poste, ferrugem...rarara, meu marido pergunta: vc já lambeu post ou comeu ferrugem pra saber o gosto?
      E tenho a impressão tb se colocar algo destampado na geladeira, fica com gosto de geladeira
      Como seria esse gosto?
      Ah gosto de td que tem lá dentro misturado ora essa :)

      Excluir
    2. É assim mesmo, do jeitinho que ela fala, kkkkk

      Excluir
    3. Sou normal então rarara

      * digo gosto de poste e ferrugem

      Lembrei de um cheiro clássico que sinto, que é de sombrinha ou casaco guardado molhado de chuva

      Excluir
  6. E aquele cheirinho que vinha na mala de voinha quando ela chegava da Espanha? Era uma mistura de sabonete "Heno de Pravia" com cheiro de "chorizo" que ficavam impregnados em todos os pacotinhos...cheiro de presente! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chamávamos e ainda chamo de cheiro da Espanha
      Muito bom
      Acho que quando eu pisar lá um dia, minha memória encarnada e inventiva vai sentir esse cheiro

      Excluir
  7. Ai Tina, como eu gostaria de poder apreciar cheiros.. com a minha alergia quase morro quando sinto um :( Pode ser bom ou ruim, e pior é que não é frescura..

    Adorava quando criança o cheiro de café da tarde na casa da minha vó, com direito a bolinho de chuva feito na hora... Mas sempre passava mal e acabava nem comendo!!

    Que seu final de semana seja lindo, leve e abençoado!

    Beijãooo

    ResponderExcluir
  8. Olá, querida Tina
    Preparadinha pra amanhã... delícia de post...
    Já escrevi proseando sobre cheiros... temos tanto a sentir olfativamente!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  9. Até hoje sinto o cheiro de violeta do perfume da minha mãe.
    E quem não ama o cheirinho de bebê?
    Saudade tem cheiro e gosto! Bom demais a postagem!
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir